Matérias Mais Lidas

imagemMaiden faz homenagem a Eddie, do Stranger Things, que foi inspirado em tragédia real

imagemQuando Dave Mustaine mostrou como tocar uma música do Metallica de forma mais pesada

imagemRichard Fortus diz que Axl Rose danificou as cordas vocais

imagemSlash explica porque o Guns N' Roses faz shows de 3 horas e meia

imagemLed Zeppelin: Crítica de George Harrison fez Jimmy Page compor "The Rain Song"

imagemO mega sucesso do Led Zeppelin que era pra ser uma piada mas se tornou um hino

imagemO clássico dos Stones que foi escrito em um motel e não deixou Keith Richards satisfeito

imagemDave Mustaine perde a compostura e xinga membro da equipe do Judas Priest

imagemLed Zeppelin ou Pink Floyd, qual dos dois vendeu mais discos de estúdio?

imagemA banda de hard rock dos anos 1970 que é a queridinha de Xande de Pilares

imagemOs 10 melhores álbuns lançados em 2022, segundo leitores da revista Metal Hammer

imagemSteven Tyler deixa reabilitação e Aerosmith comenta como músico está se sentindo

imagemA crucial contribuição do Angra para revolucionar o power metal, segundo ex-guitarrista

imagemGuns N' Roses cancela show na Escócia por razões médicas

imagemGuitarrista original do Mercyful Fate solta os cachorros por ter ficado fora de reunião


Stamp

Resenha - Straight Between the Eyes - Rainbow

Por Allan Jones
Em 23/11/03

Nota: 8

Este é o álbum de maior sucesso de toda a carreira do Rainbow. Algumas pessoas irão contestar esta afirmação, citando a fase clássica com Dio e tudo mais, mas o fato é que com "Straight Between The Eyes", o Rainbow ganhava o status de grande nome. O que era antes o projeto do ex- guitarrista do Deep Purple se tornava uma grande potência do hard rock mundial. Talvez movidos pelo Hit "Stone Cold", o Rainbow estourou definitivamente nop Japão e nos E.U.A, os maiores mercados da indústria fonográfica.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Neste disco, estreiava o tecladista David Rosenthal que substituia (a altura) o talentoso Don Airey. Este álbum também foi o segundo com o jovem vocalista norte americano chamado Joe Lynn Turner, que substituiu o apenas razoável Graham Bonnet. Joe estreiou no álbum "Difficult to cure" mas apenas refez os vocais que haviam sido gravados por Graham. Os músicos se mostravam em forma, Joe e Bobby se mostravam mais soltos em relação ao álbum anterior.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O play abre com "Death Alley Driver", canção que mostra que a banda não estava para brincadeiras. A disputa acirrada ente guitarra e teclado demonstra isto.

"Stone Cold", balada que Joe compôs para sua ex-mulher, estourou no mundo todo, e falando-se em cifras e execução, é o maior hit da história do Rainbow.

"Bring on the night" vem logo após e surpreende, pois quando imaginamos que vá surgir uma música fraca, aparece a que talvez seja a melhor canção do álbum. Forte e empolgante, a bateria de Bobby Rondinelli brilha nesta música, que estranhamente não costumavam tocar ao vivo.

"Tite Squeeze" é o tipo de música desnecessária. Sua levada um tanto quanto enjoativa faz o ouvinte imaginar que ela poderia ter ficado de fora ou então ser colocada no final do disco.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Tearin out of my Heart" é mais um sucesso do álbum. Joe e Ritchie mostram seus lados sensíveis. É a típica música para trilha sonora de filme romântico.

"Power", com um riff dançante, é um hard rock descompromissado para pegar FM. O resultado é perfeito. A música era presença garantida nos shows da banda, apesar de não ser a predileta dos fãs.

"Miss Mistreated", mais uma música falando sobre mulheres, tem uma levada meio pop onde brilha o arranjo de cordas feito por Blackmore e Glover.

Em "Rock Fever" o rock n 'roll toma conta. Uma música muito forte com um refrão excelente, a tentativa de criar um hit do rock n'roll, que infelizmente não pegou... injustamente, por que a música é excelente.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Chegamos ao final do disco. Em "Eyes of Fire" surge um clima de nostalgia. Esta música tem um bom arranjo, uma levada medieval no estilo do velho Rainbow. A diferença é que Ronnie James Dio não está mais lá, e por mais que Joe se esforce para soar como o Rainbow antigo, a voz dele não é a mais indicada para aquele tipo de música.

Apesar de muitos fãs torcerem o nariz para esta fase final do Rainbow, é inegável que esta tenha sido uma fase muito produtiva, em que a banda colocava músicas nas paradas, invadia as FMs e lotava os shows.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Airbourne 2022
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Dio: quando a potente voz dele fritou um microfone do Tenacious D


Axl Rose: "ele é um fracassado", diz mulher de Slash


Sobre Allan Jones

É carioca, tem 23 anos e ouve rock desde pequeno. Suas principais influências são dos anos 70 e 80. Fez vários trabalhos relacionados ao rock, desde programas de rádio até promoção de eventos. Além disso, é músico e também faz trabalhos relacionados ao teatro. Oficialmente trabalha para a secretaria de fazenda de uma prefeitura de um município do Rio. Atistas prediletos: Kiss, Alice Cooper, Van Halen, Todd Rundgren, Asia, Kansas, Journey e as bandas do cenário do hard oitentista.

Mais matérias de Allan Jones.