Resenha - X - Def Leppard

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rafael Carnovale
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 4


O que aconteceu? Será essa a mesma banda que gravou clássicos como "Pour Some Sugar on Me", "Animal", "Let's Get Rocked", "Rock Till You Drop"? Este novo cd, "X", vinha recheado de expectativas, com os membros da banda afirmando que a direção musical seria um retorno ao bom Rock and Roll, como já haviam esboçado com sucesso no seu predecessor, o excelente "Euphoria". Mas o que vemos aqui é um apanhado de baladas pop ao extremo, a maioria de boa qualidade, porém extremamente grudentas, um ou outro rock meio pesado e muitos elementos eletrônicos, mas não caracterizando uma experimentação, como foi feito no excelente "Slang". E eu continuo me perguntando, o que houve?

Biologia: brasileira presta homenagem a Angra, Maiden, Scorpions e Def LeppardAxl Rose: Afinal de contas, o que houve com sua voz?

"Now" a primeira faixa já dá a tônica: uma balada pesada, seguida de outra semi-acústica, a melosa "Unbelievable". Aí você pensa: abrir o cd com uma balada não é nada demais, mas duas já de cara é algo que incomoda, e a seguinte é um rock-pop bem levinho, com o singelo título de "You're so Beautiful". A maioria das faixas segue o esquema "balada com refrão pesado e grudento", como "Everyday", "Turn to Shreds" e "Love don't Lie". Todas têm aspectos positivos, mas falta um rockão animal, daqueles de derrubar tudo, como havia em "Euphoria" com "Demolition Man".

Os rocks, quando aparecem, são bem inferiores ao que a banda pode fazer, como o razoável "Four Letter Word", com uma pegada que tende a cair para o blues, "Scar", um rock mais lentinho, e o pesadinho "Girl Like You", que com suas guitarras distorcidas e vocais com efeitos, torna-se o melhor momento do cd.

Mas eu reservo um parágrafo para falar de algo que vai incomodar a todos: o excesso de efeitos eletrônicos. Nunca a bateria de Rick Allen esteve tão sintetizada, nunca os vocais de Joe Elliot tiveram tantos efeitos. E não estão bem dosados, como em "Slang". Na faixa "Gravity", o abuso chega a ser tamanho que a mesma vai cair logo em uma pista de dança. Parece um REMIX!

O cd é uma boa coletânea de momentos pop-grudentos, mas para uma banda como o Def Leppard, que tem em seu passado rocks vigorosos e muita força ao vivo, se esperava mais. Não recomendo mesmo este cd... agora eu vos pergunto: de 13 músicas, 10 baladas... quem aguenta essa?????

Lançado no Brasil pela Mercury Records.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Def Leppard"


Biologia: brasileira presta homenagem a Angra, Maiden, Scorpions e Def LeppardBiologia
Brasileira presta homenagem a Angra, Maiden, Scorpions e Def Leppard

Down 'n' Outz: projeto classic rock de Joe Elliott, do Def Leppard, lança álbum autoralRodz Online: Freddie Mercury Tribute Concert (vídeo)

Hair metal: os 50 melhores álbuns de todos os tempos, segundo a Rolling StoneHair metal
Os 50 melhores álbuns de todos os tempos, segundo a Rolling Stone

Dio: Epiphone anuncia linha de guitarras "Les Paul Diver"

Revista Época: as melhores músicas para tirar a roupaRevista Época
As melhores músicas para tirar a roupa

Classic Rock: 100 grandes discos da década de 1980 segundo a revista inglesaClassic Rock
100 grandes discos da década de 1980 segundo a revista inglesa

Def Leppard: a influência do rap em Pour Some Sugar On MeDef Leppard
A influência do rap em "Pour Some Sugar On Me"


Axl Rose: Afinal de contas, o que houve com sua voz?Axl Rose
Afinal de contas, o que houve com sua voz?

Ozzy Osbourne: Sharon conta como o Madman tentou assassiná-laOzzy Osbourne
Sharon conta como o Madman tentou assassiná-la

David Bowie: a última foto pública e a última foto privadaDavid Bowie
A última foto pública e a última foto privada

Dream Theater: o vacilo na capa de A Dramatic Turn of EventsDream Theater
O vacilo na capa de "A Dramatic Turn of Events"

Humor: O dia em que Steve Vai foi humilhado por ChimbinhaHumor
O dia em que Steve Vai foi humilhado por Chimbinha

Tesla: o Guns N' Roses teria roubado Patience?Tesla
O Guns N' Roses teria roubado Patience?

Cannibal Corpse: o pescoço gigante de George FisherCannibal Corpse
O pescoço gigante de George Fisher


Sobre Rafael Carnovale

Nascido em 1974, atualmente funcionário público do estado do Rio de Janeiro, fã de punk rock, heavy metal, hard-core e da boa música. Curte tantas bandas e estilos que ainda não consegue fazer um TOP10 que dure mais de 10 minutos. Na Whiplash desde 2001, segue escrevendo alguns desatinos que alguns lêem, outros não... mas fazer o que?

Mais matérias de Rafael Carnovale no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336