Van Halen x David Lee Roth: troca de farpas nos anos oitenta

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Allan Jones
Enviar correções  |  Comentários  | 


1736 acessosVan Halen: Simplesmente "FUCK"5000 acessosGlen Benton e Euronymous: a verdade sobre o encontro

A rivalidade e as provocações entre Van Halen e David Lee Roth após a saída do vocalista em 1985 foram tão intensas que até hoje correm histórias a respeito das alfinetadas indiretas através dos álbuns lançados pelos mesmos. Apesar de não conseguirmos um site ou uma revista que ateste a veracidade do que será contado, vale a pena tomar conhecimento, pois é engraçado demais para se ignorar.

Para começarmos a história, lembraremos que a saída de Dave da banda foi conturbada e se ele de uma lado alegava ter saído por sua própria vontade, do outro a banda alegava que o havia o despedido. Enquanto Dave alegava que a banda estava mudando seu direcionamento musical e ficando entediante, a banda (leia-se Eddie) se defendia dizendo que ninguém mais aguentava o egocentrismo do vocalista, que se achava o razão do sucesso da mesma.

Não entrando no mérito da questão de quem estava certo, o fato é que o primeiro disco do Van Halen sem Dave saiu em março de 1986 e levou o nome de "5150", e curiosamente, 5150 é o código da polícia americana para situações onde existe um louco a solta.

O disco trazia na arte da capa um homem carregando uma espécie de bola de aço extremamente pesada que continha o logotipo da banda. Na contra capa, o mesmo homem aparecia caído, dando a ideia de ter fracassado na tarefa de sustentar a bola, que ali já se encontrava partida, deixando à mostra o seu conteúdo, os integrantes da banda.

Possivelmente ofendido com a mensagem subliminar do novo disco da sua ex banda, que em suas entrevistas o acusavam de ser egocêntrico e se achar o responsável pelo sucesso da mesma, Dave lançou em julho seu álbum solo e batizou-o de "Eat' em smile" (Coma e sorria).

A guerra estava declarada!

Ambas as bandas entraram em turnê e disputavam a preferência do público e o espaço na mídia. Em 1988, apesar de já ter lançado um novo álbum chamado "Skyscraper", Dave Lee Roth receberia a resposta pelo seu "coma e sorria". O Van Halen em outubro lançou um novo álbum com o curioso título "OU812", reza a lenda que o código seria um trocadilho e trazia a mensagem subliminar "Oh you ate one too" (oh você comeu um também).

Uma possível resposta de Dave viria em abril de 1991 com "A little ain't enough" (um pouco não é suficiente), e meses depois o Van Halen lançaria "F.U.C.K", que à primeira vista, apesar de aparentemente formar um palavrão, é uma sigla, que significa "for unlawful carnal knowledge" (Para total e ilimitado conhecimento da carne"). Aqui aparentemente não parece ter havido nenhuma possível piada, mas vá lá saber né?

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, nos links abaixo:

Post de 10 de fevereiro de 2013
Post de 27 de outubro de 2014

Van HalenVan Halen
Em "5150", uma banda mais compacta e divertida

1736 acessosVan Halen: Simplesmente "FUCK"487 acessosLoudwire: em vídeo, 10 maiores riffs de metal dos anos setenta0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Van Halen"

Van HalenVan Halen
Sammy Hagar comenta as bizarrices de Eddie

Top 20Top 20
Os discos e singles mais odiados do rock, segundo o UCR

Van HalenVan Halen
A participação em "Beat It", de Michael Jackson

0 acessosTodas as matérias da seção Matérias0 acessosTodas as matérias sobre "Van Halen"

Qual a verdade?Qual a verdade?
O polêmico encontro de Glen Benton e Euronymous

Pink FloydPink Floyd
Tudo sobre o clássico "Another Brick in the Wall"

HumorHumor
Os roqueiros mais chatos das redes sociais

5000 acessosNirvana: Claudia Ohana faz cover desastroso no Programa do Jô5000 acessosEntrevistas: Coices e tretas entre artista e entrevistador5000 acessosSeparados no nascimento: sou só eu, ou eles são parecidos?5000 acessosGene Simmons: explicando por que álbum do Guns é um de seus favoritos3707 acessosAerosmith: E se isolassem o vocal de Steven Tyler em IDWTMAT?4974 acessosDesde criancinha: a recém nascida mais metal do mundo

Sobre Allan Jones

É carioca, tem 23 anos e ouve rock desde pequeno. Suas principais influências são dos anos 70 e 80. Fez vários trabalhos relacionados ao rock, desde programas de rádio até promoção de eventos. Além disso, é músico e também faz trabalhos relacionados ao teatro. Oficialmente trabalha para a secretaria de fazenda de uma prefeitura de um município do Rio. Atistas prediletos: Kiss, Alice Cooper, Van Halen, Todd Rundgren, Asia, Kansas, Journey e as bandas do cenário do hard oitentista.

Mais matérias de Allan Jones no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online