Audiófilo: o impressionante sistema de som de Henry Rollins

WHIPLASH.NET - Rock e Heavy Metal!

Audiófilo: o impressionante sistema de som de Henry Rollins


  | Comentários:

Por Henry Rollins

Traduzido por Nacho Belgrande

“Eu tive bastante sorte por ter sido criado em um ambiente onde música de vários tipos era tocada o tempo todo. Eu morava com minha mãe em apartamentos pequenos em Washington, DC, nos anos 60 e 70, e na maior parte do tempo, tinha música rolando. Chopin, Wagner, Beethoven, Coltrane, Miles, Sonny Rollins, Streisand, Baez, Dylan, Miriam Makeba – até mesmo Doors, Hendrix e Janis Joplin.

Nós íamos até uma loja de discos perto de Dupont Circle com frequência. Eu não sei como minha mãe ficava sabendo de novos discos, mas ela parecia sempre estar pegando algo pra ouvir. Eu tinha um toca-discos em meu quarto e ouvia a tudo desde discos de criança até Strauss, dos Beatles até uma cópia de ‘Hot Buttered Soul’ de Isaac Hayes que, de algum modo acabou lá.

Por muitos anos, eu nunca me dei conta da qualidade do som. Eu ouvia à música, e se eu pudesse ouví-la, era bom o suficiente para mim. Você deve entender que isso foi muito tempo atrás – quando você é jovem e trabalhando para ganhar salário mínimo, áudio hi-end pode não estar no topo de suas prioridades. Eu também sei que há muitos fanáticos por hi-fi lendo isso nesse momento que ralaram sem parar em vários empregos, em condições saídas de um romance de «Charles» Dickens, com uma determinação única de comprar aquelas caixas – e por isso, eu vos saúdo.

Naquela época, eu estava comprando discos com todo e qualquer dinheiro extra que eu tivesse: tocá-los não era tão importante quanto comprá-los. Eu não tenho arrependimentos daquele tempo. Muitos dos discos que eu comprei por alguns dólares então eu vejo à venda no Ebay e em outros lugares por quantias astronômicas. Eu fico feliz de sempre ter ido atrás dos discos.

Ao longo dos anos 80 e no começo dos anos 90 eu só possuía os equipamentos de som mais rudimentares, e isso se eu tivesse algum. Aqueles foram dias magros, ainda que agitados para mim. Eu estava, na maior parte do tempo, na estrada excursionando, ou compondo, ou gravando. Eu tinha equipamento acumulado daqui e dali. Mais uma vez, se eu pudesse escutar aos discos, eu achava que estava tudo bem.

Isso começou a mudar quando eu comecei a passar mais tempo no estúdio e ouvindo material num par gigantesco de alto-falantes Altec Lansing que estavam num estúdio no qual trabalhávamos muito. Eu comecei a pensar em o quão ótimo seria ter algo como aquilo em minha sala. Naqueles dias eu nem tinha uma sala, mas eu sonhava acordado com um belo ambiente para audição.

Imagem

Meus colegas de banda e eu comprávamos a maioria de nosso equipamento em um lugar chamado Russo Music Center, em Trenton, Nova Jérsei. Ainda está lá. Russo era o pit stop de nossas infindáveis voltas ao redor do mundo. Nosso cara lá era Dan Brewer. Ele e eu tínhamos uma piada recorrente sobre caso eu algum dia fizesse algum dinheiro, eu ligaria para ele e ele me arrumaria um robusto equipamento de som.

Em 1991, eu recebi um pequeno adiantamento e liguei para Dan. Eu disse a ele que eu tinha alguns fundos para entrar em ação. Eu acabei com um sistema muito bom – talvez não o melhor, sonicamente falando, mas ele me durou muitos anos e mandava muito bem: um par de falantes Tannoy de 12 polegadas com um subwoofer de 18 polegadas, um pré-amplificador Carver parafusado ao rack, e um crossover Rane. Não riam – eu disse que não era algo de audiófilo. Para mim, era mais do que eu jamais tinha pensado em ter.

Imagem

Imagem

Cerca de 13 anos atrás eu comecei a fazer o upgrade. Eu subi de maneira constante com grande entusiasmo à medida que ia descobrindo o que era possível. Como você sabe, uma vez que você tenha ouvido um sistema verdadeiramente bem-elaborado e equilibrado, você compara todas as experiências auditivas àquela.

Houveram muitos daqueles momentos parecidos com pular na água trincando de gelada quando eu descobri quanto alguém chega a pagar por um cabo. Se os varejistas de produtos para audiófilos ganhassem um dólar para cada vez que alguém olhou para um cabo na mão deles como se fosse uma «cobra» Mamba preta e perguntaram, enquanto o sangue some de seus rostos que agora são uma máscara de horror e descrença, ‘Quanto você disse que isso custa?!’ Tinha muito disso.

Eu tenho cinco sistemas em minha casa. O que eu mais passo tempo em frente é talvez amador para pesos-pesados do hi-fi como vocês, mas eu gosto muito dele: alto-falantes Wilson Audio Sophia 3s, amplificadores e pré-amplificadores MCIntosh, um toca-discos Rega Planar 3, e um CD Player Rega Valve Isis. No fim de 2012, esse sistema vai se mudar para uma sala diferente, e Brian da Brooks Berdan Ltd., em Monróvia, Califórnia, virá com sua enorme equipe e vamos começar tudo de novo.

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Okay, essa foi a parte autobiográfica. Agora, eis a filosófica. «...»

Essa matéria pode ser lida na íntegra no site do LoKaos Rock Show, no link abaixo.

http://lokaos.net/henry-rollins-o-impressionante-sistema-de-...

Criado em 1996, Whiplash.Net é o mais completo site sobre Rock e Heavy Metal em português. Em março de 2013 o site teve 1.258.407 visitantes, 2.988.224 visitas e 8.590.108 pageviews. Redatores, bandas e promotores podem colaborar pelo link ENVIAR MATERIAL no topo do site.

Esta é uma matéria antiga do Whiplash.Net. Por que destacamos matérias antigas?


  | Comentários:

Todas as matérias da seção Curiosidades
Todas as matérias sobre "Henry Rollins"

Henry Rollins: Daft Punk e Miley são merdas da Rolling Stone
Slash: mensagem sobre como se comportar no palco
Glen Danzig e Henry Rollins: amantes nos quadrinhos
Audiófilo: o impressionante sistema de som de Henry Rollins
Henry Rollins e Glenn Danzig: vivendo história de amor
Flaming Lips: Henry Roliins e Peaches cantam Pink Floyd
Henry Rollins: depositando confiança em Barack Obama
Henry Rollins: trocando cartas com Charles Manson
Em 13/02/1961: Nasce Henry Rollins (Black Flag, Henry Rollins Band)
Em meio a spoken-word tour Henry Rollins procura banda
Henry Rollins participa de novo CD do Capitão Kirk
Tributo ao Black Flag pretende gerar recursos
Henry Rollins em tour lançando CD de discursos e DVD
Henry Rollins organiza tributo ao Black Flag
Henry Rollins beneficente

Os comentários são postados usando scripts do FACEBOOK e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Pense antes de escrever; os outros usuários e colaboradores merecem respeito;
Não seja agressivo, não provoque e não responda provocações com outras provocações;
Seja gentil ao apontar erros e seja útil usando o link de ENVIO DE CORREÇÕES;
Lembre-se de também elogiar quando encontrar bom conteúdo. :-)

Trolls, chatos de qualquer tipo e usuários que quebram estas regras podem ser banidos sem aviso. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Sobre Nacho Belgrande

Nacho Belgrande, 33 anos, residente em Marilia - SP, é professor de inglês e francês, apesar de formado em Técnico de Engenharia de Estúdio pelo Recording Workshop de Los Angeles, nos EUA. Suas lembranças musicais mais remotas datam de 1983, com a fervilhante passagem do Kiss pelo Brasil e da alta popularidade do Queen no país. Fã(nático) por Mötley Crüe (de quem tem mais de 100 CDs), segue de perto também o trabalho de Slayer, Krisiun, Guns N´ Roses, Van Halen e Ozzy Osbourne, entre outros.

Mais matérias de Nacho Belgrande no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

QUEM SOMOS | ANUNCIAR | ENVIAR MATERIAL | FALE CONOSCO

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em março: 1.258.407 visitantes, 2.988.224 visitas, 8.590.108 pageviews.


Principal

Resenhas

Seções e Colunas

Temas

Bandas mais acessadas

NOME
1Iron Maiden
2Guns N' Roses
3Metallica
4Black Sabbath
5Megadeth
6Ozzy Osbourne
7Kiss
8Led Zeppelin
9Slayer
10AC/DC
11Angra
12Sepultura
13Dream Theater
14Judas Priest
15Van Halen

Lista completa de bandas e artistas mais acessados na história do site

Matérias mais lidas