Michael Anthony: como é trabalhar com Hagar e Satriani?

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Diego Camara, Fonte: Brave Words & Bloody Knuckles, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

O Bravewords.com recentemente conversou com o lendário baixista Michael Anthony (CHICKENFOOT, ex-VAN HALEN), sobre um número diverso de tópicos, mas principalmente sobre a sua nova banda com Sammy Hagar, JOE SATRIANI e Chad Smith. Confira os principais trechos abaixo:

1363 acessosVan Halen: Simplesmente "FUCK"5000 acessosAnette Olzon: "Eu fui demitida exatamente como Tarja também foi"

O CHICKENFOOT soprou um pouco de vida em você enquanto artista de estúdio e ao vivo?

Anthony: "E também como um ser humano! Ele te leva ao passado e você lembra o porquê entrou nestes negócios e o que você estava fazendo em primeiro lugar, que é fazer música e se divertir, fazer isso para os fãs. É óbvio que toda nossa carreira e tudo o que passamos deram a nós a luxúria de poder fazer apenas isso. Ter um bom tempo com isso e não ter que escrever hits, fazer dinheiro e isso e aquilo. Apenas queremos fazer isso para nossos fãs e para nós mesmos".

Com o CHICKENFOOT perto de ser uma banda ativa, você está se perguntando por que não fez isso mais cedo?

Anthony: "(Risos) Sim, mas você sabe que isso não foi uma coisa forçada e essa é a beleza disso. Chad, Sammy e eu ensaiamos várias vezes no clube em Cabo San Lucas e foi lá onde o nome CHICKENFOOT apareceu pela primeira vez, pois foi o que nos chamou até lá. Foi em torno de um ano e meio atrás, no Super Bowl Sunday do ano passado, e Sammy estava tocando em Vegas e queríamos fazer algo diferente como bis. Ele tinha sua banda, o THE WABOS, tocando e ele convidou Chad e eu para o palco. Ele disse, 'Venham aqui e vamos ensaiar algumas músicas'. Então ele decidiu chamar Joe pois ele queria fazer o CHICKENFOOT. Ele disse 'Vamos arrumar um guitarrista apropriado. Eu posso fazer isso (tocar guitarra) e cantar, mas vamos arrumar um guitarrista que irá explodir a mente de todos e eu posso cantar'. Ele chamou Joe e ele disse 'Claro', então fomos juntos ensaiar. Fazer isso pela primeira vez de frente a um público ao vivo - você tem aquela gratificação instantânea, pois o local foi à loucura. Cabo Wabo é um grande lugar para ficarmos juntos, e muitos músicos vão lá para ensaiar, de KENNY CHESNEY a TED NUGENT, e isso é algo legal. É um tipo de lugar legal quando os músicos vão até lá e querem subir no palco e ensaiar, é legal e não tem nenhuma pressão".

Para ser honesto, de fora a conexão entre você e Hagar, o CHICKENFOOT pegou os fãs de surpresa... especialmente o nome! Pensávamos que Satriani estava contente com sua carreira solo, e Smith podia ser visto um pouco fora de sua zona de conforto? Mas as peças se encaixaram perfeitamente.

Anthony: "Quando você lê pela primeira vez sobre isso e escuta, parece ser um emparelhamento improvável. Mas Joe sempre quis colocar junto uma banda com um músico, e eu estava certo que ele lhe diria que ele não tem que ficar pensando o tempo inteiro em tomar conta das melodias e outras coisas. Acho que isso irá explodir a mente de muitas pessoas, pessoas essas que não olhavam ele como um verdadeiro guitarrista de rock, mas sim como um instrumentalista que faz jazz, blues e todo o tipo de coisa grande, pois ele toca todo o espectro das músicas. Acho que ele estava realmente procurando por algo como isso. Quando nós entramos no estúdio pela primeira vez e começamos a ensaiar tivemos um ótimo momento. Ele veio com algumas ideias de músicas aqui e ali, foi bastante legal. E Chad é um roqueiro de Detroit, é aí que seu coração realmente não importa-se com o que ele fez com o Chilis. Ele traz um elemento de funk para alguns dos materias que fazemos, e tocar com ele nas seções de ritmo me inspira a fazer materiais diferentes. Quando as pessoas escutarem isso pela primeira vez acho que eles ficarão surpresos em como isso tudo se combina".

Quais são as principais diferenças em trabalhar com Satriani ao invés de Eddie?

Anthony: "Os dois são grandes guitarristas e Eddie é um grande inovador. Tocando com Joe eu viajo pois ele tem um grande conhecimento e entendimento e pode tocar praticamente tudo na música. A única coisa que eu ainda não ouvi ele tocar foi reggae! É realmente legal e novamente bastante inspirador, e isso me leva a pensar em coisas para tocar. Apenas ensaiando - eu tinha Joe de um lado e Chad do outro. Meu maxilar estava no chão tocando com esses caras ao vivo e no estúdio. Estou maravilhado, é muito legal".

E é ótimo ver Hagar realmente tocar de novo, faz você se esquecer de sua posição no WABO.

Anthony: "Sim e o que é realmente legal é que há uma diferença em cada música. Não é como se tudo soasse o mesmo. Eu penso que Sammy estava pensando em algo um pouco diferente e em retornar às suas raízes do rock. Com o WABOS é mais o som e o estilo de vida da fronteira. Isso é uma festa e eu passei um ótimo tempo ensaiando com ele, acho que o mais engraçado para mim foi ver Sammy no palco com calças compridas! Pois não sei há quantos anos eu só o vejo com shorts! Estamos usando calças e estamos tocando! Não estamos fazendo coisas de Cabo Wabo, estamos tocando rock!"

Fique atento à parte II da entrevista, quando Anthony irá explicar a setlist dos shows ao vivo do CHICKENFOOT e seu relacionamento com os irmãos Van Halen!

A entrevista completa pode ser lida neste local (em inglês).

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Van HalenVan Halen
Em "5150", uma banda mais compacta e divertida

1363 acessosVan Halen: Simplesmente "FUCK"474 acessosLoudwire: em vídeo, 10 maiores riffs de metal dos anos setenta0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Van Halen"

Van HalenVan Halen
Anthony: "Infelizmente Eddie é um cara amargo!"

Jennifer BattenJennifer Batten
Michael Jackson, Eddie Van Halen, machismo e mais

Gibson.comGibson.com
Page, Van Halen e Hendrix entre os melhores solos

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Chickenfoot"0 acessosTodas as matérias sobre "Van Halen"0 acessosTodas as matérias sobre "Joe Satriani"

Anette OlzonAnette Olzon
"Eu fui demitida exatamente como Tarja também foi"

TatuagensTatuagens
Homenagens à banda Iron Maiden na pele dos fãs

SlipknotSlipknot
"Pastor" detecta mensagens subliminares nas capas

5000 acessosLuxúria: uma lista de alguns dos clipes mais sexys da história5000 acessosMetal: 101 motivos para perceber que você ouve há muito tempo5000 acessosLars Ulrich: "Eu era o maior fã do Iron Maiden"5000 acessosAntônio Carlos Monteiro: A coleção do "ACM" da Rock Brigade5000 acessosMetal nacional: quinze álbuns clássicos de bandas brasileiras5000 acessosGN'R Lies: Com bela capa, revista repassa a insanidade de 1989

Sobre Diego Camara

Nascido em São Paulo em 1987, Diego Camara é jornalista, radialista e blogueiro. Seu amor pelo metal e rock começou há 6 anos. Um amante da nova geração, é um grande fã de Arjen Lucassen, Andre Matos e bandas como Nightwish, Hammerfall, Sonata Arctica, Edguy e Kamelot. Também não deixa de ter amor pelos clássicos, como Helloween, Gamma Ray e Iron Maiden e do Rock de bandas como Oasis, Queen e Kings of Leon. Atualmente seus textos podem ser lidos no blog OCrepusculo.com sobre assuntos diversos, além de planos para criação de um projeto totalmente voltado aos blogs de Rock e Metal.

Mais informações sobre Diego Camara

Mais matérias de Diego Camara no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online