Mustaine: "Vou fazer o meu melhor em aprender a amar!"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Daniel Molina, Fonte: Rust In Page, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 24/12/09. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

Segue mais um comunicado de Dave Mustaine postado no site oficial do Megadeth.

3428 acessosMegadeth: cinco vezes onde a banda foi melhor que o Metallica5000 acessosDossiê Guns N' Roses: A versão de Slash para os fatos

Droogies!

Estou lutando contra o processo de envelhecimento. E não se trata do número de anos que carrego - 48; não é sobre os erros - um zilhão. Não é sobre o número de amigos - 7 1/2; nem o número de inimigos - um zilhão. Não é pela cor da minha barba e cabelo - ruivo e branco; nem as condições do meu corpo - velho. Nem pela coisas que estão na lista do que quero fazer antes de morrer... não, nem é tanto sobre mim, mas sobre meu único filho. Meu primogênito meu orgulho e alegria.

O jovem chamado Justis David Mustaine.

Onde foi parar o tempo? Ontem a noite estava conversando com o Justis e ele estava descrevendo porque queria ir pra cidade onde ele decidiu cursar a faculdade - 4 horas de viagem rumo ao norte do país, e não consegui entender. Não sei onde o tempo foi parar, não sei como fui perder isso, e estou tão triste pela minha escolha de ficar longe do meu filho, porque escolhi ser músico. Perdi tanto do que aconteceu na vida desse rapaz.

Relembrando todos os momentos bons e ruins; eu fui amável e engraçado, mas também fui autoritário e opressivo. Tentei celebrar ocasiões ou tentei disciplinar via telefone, e dei e tirei quase tudo que ele já teve na vida por causa da nossa situação e pelo fato de tê-lo forçado a crescer sem um pai na vida dele, e quero que um raio caia na minha cabeça se não estiver cometendo os mesmos erros que ocorreram na minha infância.

As drogas, as bebedeiras, o mau comportamento e tratamento da mãe e da irmã dele, não estar presente para ensiná-lo a praticar esportes, a lutar, a brigar, ajudar no dever de casa, pra nos divertir, e nas horas dificeis como a puberdade, o primeiro beijo dele, primeira cerveja, todas as primeiras coisas que ele fez... como pude ser tão cego e fadado a repetir as mesmas coisas que meu pai fez comigo? Estou fazendo a mesma coisa, nos minimos detalhes.

Já encontrei e concordei, mas também já tive problemas com os amigos dele, e tentei incentivá-lo, nós já brigamos e amamos, e sei que ele está orgulhoso de mim, mas me sinto tão envergonhado pelo modo que lidei com ele. Eu olho os posts de alguns de nossos adoráveis Droogies aqui, e assim como nas vezes que me envolvi na vida de vocês - como do nosso amigo na Filadélfia que era espancado pelo pai, ou do nosso amigo Australiano que tinha tendencias suicidas, e sentei e conversei com eles pelo telefone, ou qualquer uma das outras vezes que estive do lado de vocês, e ai me pergunto "Porque não pode agir assim com a jóia preciosa que tem o seu sangue?" "Porque não está do lado do Justis?" e nem vou ter que querer responder essa pergunta de novo.

Isso tudo pode parecer estranho e inesperado, mas não é. Estou tentando muito mesmo colocar a minha vida em perspectiva, e têm acontecido tantas coisas no decorrer dos anos que me deixaram do jeito que sou agora. Eu tive que revisar minha autobiografia por alguns motivos legais, e enquanto o livro relata o que me tornou a pessoa que sou, também mostra o quanto eu quero mudar e o que estou fazendo para corrigir esse comportamento meu e essa transgressão passada ou "cicatriz", seja a que eu tenho ou a que causei.

Então, hoje continuarei a celebrar a vida dele, e passar um tempo com ele nesse feriado de Natal. Eu olho pra ele, e ele é tão bonito e inteligente, e penso "A mãe dele fez um trabalho excelente (qualquer um que acha que uma mãe não rala está enganado - a não ser que seja uma puta gorda) com ele enquanto eu estava fora fazendo meu trabalho, algo que vendo de fora parece ter sido uma escolha que fiz, de bancar o rock star ao inves de ser um pai. Claro que um é um papel e o outro um dom Divino; um tem a ver com o ego e o outro com estima. E um vai me dar dinheiro agora e o outro vai ser uma recompensa eterna.

Creio que o que estou tentando dizer hoje é que se você é pai, há uma linha dourada que mantêm juntos (o pai e o filho) desde o começo. Essa "linha" o ajudou a manter a calma quando ele foi para a creche pela primeira vez, quando ele estava chateado e chorando. Ele não sabia que eu estava chateado e chorando também. Nos ajudou quando começamos a brincar com o "Hooked On Phonics" (que ajuda com a fonética), e percebi como ele seria inteligente. Nos manteve juntos quando estávamos em apuros e quando estavamos bem.

Mas o mais importante é que está ajudando a manter meu mundo de pé agora que vejo meu garotinho preparando para se mudar.

Até agora a única coisa que fiz melhor que meu pai alcoolatra foi ter vivido mais que ele. Eu quero ser um pai melhor, estar disponível para conversar com ele ou apenas escutar, poder dar as respostas que precisa ou mostrar como encontrá-las por conta própria, brincar e festejar, malhar ou relaxar, surfar, esquiar e praticar snowboard, basicamente qualquer coisa que me permita passar o tempo com essa pessoa com a qual Deus me abençoou. Não me entendam mal, não pensem que isso é drama da internet ou que não sinta o mesmo pela minha filha maravilhosa. Mas nesse quesito acho que cometi menos erros com ela depois de aprender o que fazer com o irmão dela.

Para encerrar, se você é um Droog e tem filhos, POR FAVOR não menospreze nem um momento da vida deles porque logo eles vão querer mudar - é um processo natural chamado individualização e é engraçado porque com todas as pessoas que falei e que são pais acontece o mesmo, ou ele não querem que eles vão embora quando crianças e mal podem esperar para que saiam quando estão crescido, ou quer que eles vão quando crianças e tem todos os planos feitos pra eles, e quando eles estão prontos, os pais hesitan e não conseguem deixar eles irem (esse sou eu no momento).

Eu estou aprendendo muito sobre mim com a minha família, com meus amigos, com meus mentores e guias. Eu aprendi como lidar melhor com minha gravadora (vocês precisam ver isso), como lidar com discordâncias na banda (as quais nós mal temos e quando tem é a respeito de comida), como lidar com minhas emoções no mundo da música e toda a fofoca, os rumores, e as pessoas que me odeiam (estou bem melhor nesse assunto, mas tenho muito que melhorar ainda). Mas a coisa mais importante que aprendi nesse ano que passou é que não sei como amar as pessoas, lugares ou as coisas muito bem.

Vou fazer o meu melhor em aprender a amar. Acho que um grande passo seria tentar manter minha boca grande fechada.

Eu sei que ele parou de visitar o fórum por causa de toda a conversa negativa sobre o pai dele, mas se você ler isso, Justis, eu te amo, e tenho muito orgulho em ser seu pai, e continuarei trabalhando pelo resto de minha vida aqui na Terra para ser o melhor pai do mundo pra você.

Feliz Natal Filho,

Seu Pai (também conhecido como Megaman)

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

MegadethMegadeth
Cinco vezes onde a banda foi melhor que o Metallica

3082 acessosHeavy Metal: os 10 melhores riffs dos anos noventa521 acessosMarty Friedman: ouça "Miracle", single do novo álbum solo3525 acessosMetallica: e se James Hetfield cantasse no Megadeth?0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Megadeth"

Megadeth & SlayerMegadeth & Slayer
King e Dave falam da simbiose entre as bandas

Heavy MetalHeavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados no ano de 1985

MegadethMegadeth
Será que Dave Mustaine voltaria para o Metallica?

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Megadeth"

Dossiê GNRDossiê GN'R
A versão do guitarrista Slash para os fatos

Heavy MetalHeavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados no ano de 1990

GhostGhost
Uma foto assustadora dos bastidores do RIR

5000 acessosCapas de álbuns: algumas curiosidades e histórias5000 acessosBizarre Magazine: Quão bizarro é... Ronnie James Dio5000 acessosSlayer: quando o católico pai de Tom Araya descobriu que a banda era satanista5000 acessosGuns N' Roses: Fã quer comprar acervo de Axl por US$ 1 bilhão4086 acessosMortes: Relembre alguns dos artistas que nos deixaram em 20162753 acessosNirvana: uma versão clássica de "Smells Like Teen Spirit"

Sobre Daniel Molina

Nascido em 79, professor de inglês e tradutor. Conheci o metal e suas várias vertentes através de um amigo do meu irmão no final dos 80, onde em 89 acabei me deparando com Megadeth dentre os vinis que estava ouvindo e foi amor à primeira ouvida, uma paixão que dura 20 anos. Apaixonado por thrash metal, especialmente Bay Area e East Coast mas também aficcionado por NWOBHM, Hard e Death. Com o passar do tempo percebi que o rótulo é o que menos importa e sim o tipo de música que nos agrada, mas apesar de tudo, thrash sempre acima de tudo. Já trabalhei com vários sites, cobrindo shows e fazendo entrevistas mas sempre tocando a Rust In Page por amor ao Megadeth, e hoje além de dedicação total ao meu trabalho salvo bastante do meu tempo para manter a página rolando firme e forte e mantendo os Droogies brazucas informados.

Mais informações sobre Daniel Molina

Mais matérias de Daniel Molina no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online