Matérias Mais Lidas

imagemA bizarra exigência de Ace Frehley para participar da última turnê do Kiss

imagemMax Cavalera revela como "selou a paz" com Tom Araya, vocalista do Slayer

imagemO grave problema do refrão de "Eagle Fly Free", segundo Fabio Lione

imagemPink Floyd: Gilmour nega alegação de Waters sobre "A Momentary Lapse of Reason"

imagemEngenheiros do Hawaii e as tretas com Titãs, Lulu Santos, Lobão e outros

imagemLobão explica porquê todo sertanejo gostaria, no fundo, de ser roqueiro

imagemEdu Falaschi descobriu que seu primo famoso tem mais seguidores que ele no Instagram

imagemGregório Duvivier: "Perto de Chico Buarque, Bob Dylan é uma espécie de Renato Russo!"

imagemDave Mustaine cutuca Kiss e bandas "preguiçosas" que usam playbacks

imagemAC/DC: Angus Young conta como é para ele o antes, o durante e o depois de um show

imagemIggor Cavalera diz que reunião da formação clássica do Sepultura seria incrível, mas...

imagemMax Cavalera diz quais foram os dois discos mais difíceis que já gravou

imagemA categórica opinião de Dave Mustaine sobre religião "abusiva e falsa" de sua mãe

imagemRush: Geddy Lee comenta as dificuldades da gravação de "Hemispheres"

imagemBenny Anderson toca música do Foo Fighters por ter visto Dave Grohl homenageando Abba


Airbourne 2022

Celtic Frost: Tom G. Warrior conta origem do "Uh!" e shows em homenagem a Martin E. Ain

Por Maicon Leite
Fonte: Wargods Press
Em 02/12/21

Press-release - Clique para divulgar gratuitamente sua banda ou projeto.

Em live realizada no dia 28/11, o canal do YouTube HEAVY CULTURE conversou com Tom G. Warrior, um dos precursores do Death Metal mundial com o Hellhammer e Celtic Frost, duas das bandas mais cultuadas do Metal mundial e que dispensam apresentações. Atualmente com o Triptykon e o Triumph of Death, onde homenageia o Hellhammer¸ Tom também se prepara para lançar dois novos livros e diz que há possibilidades de fazer shows com o Celtic Frost em homenagem ao saudoso baixista Martin E. Ain, falecido em 2017. Mostrando-se simpático e em humorado, o guitarrista/vocalista contou que o atual momento pandêmico não tem sido inspirador, e que por causa disso as coisas estão lentas, sobretudo quanto a um novo lançamento do Triptykon, dizendo ainda que a pandemia está afetando inclusive os shows para 2022, pois a situação na Europa está novamente ficando fora de controle, mas acredita que a banda estará tocando no próximo ano.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre o próximo álbum do Triptykon e principalmente sobre sua forma de compor, explicou que as coisas não são assim tão simples para ele: "Eu não vou no cinema e saio de lá com uma canção sobre isso. A pandemia está acontecendo, mas eu não gosto de pensar, "oh, eu tenho que escrever algo sobre a pandemia". As coisas que eu contribuo para o Tryptikon, e só posso falar sobre mim, é claro, são muito baseadas na minha vida, nas minhas emoções, meus pensamentos. É claro, eu tenho 58 anos de idade, então agora isso é uma quantidade significativa de vida... O mundo está caindo aos pedaços, e claro, tenho minhas ideias sobre isso, e isso afeta minhas emoções, afeta meus pensamentos. Tenho certeza que isso vai afetar a música de alguma forma, mas eu sempre tento direcionar para o lado artístico, no final das contas, música para mim é arte, e essa arte é algo muito sagrado. Quando uma música é finalizada, há tantas coisas que entram nela, tantas emoções e detalhes, tanto trabalho...".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Tom G. Warrior também falou sobre suas primeiras experiências musicais e a importância do passado, citando o Grave Hill como sua primeira banda, embora não tenham feito shows: "O passado é muito importante, eu vivo no presente, é claro, abraço o presente, a tecnologia, mas o passado é muito importante e define quem você é. É muito perigoso esquecer o passado... Estou em contato com o passado e o presente. Minha primeira banda era pequena, o Grave Hill, e era influenciada pela NWOBHM, mas não conseguíamos tocar tão bem naquela época, nunca chegou a esse nível, mas eu estava tentando deixar a banda mais pesada". O músico ainda contou a importância que o Hellhammer teve para ele e destacou suas impressões sobre a capa do álbum "To Mega Therion", do Celtic Frost.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Indagado sobre seu disco favorito entre suas bandas, foi bem humilde e sincero: "Eu nunca falaria da minha própria música como uma obra-prima. Estou tentando ser realista, é muito difícil, porque fui agraciado a estar em três bandas que se tornaram muito importantes para mim, o Hellhammer, Celtic Frost e Triptykon, e em cada uma dessas bandas houve alguns momentos que foram extremamente importantes para minha vida, então é muito difícil para mim selecionar um álbum. Se eu tivesse que escolher, o primeiro álbum do Celtic Frost foi extremamente importante, porque começou muitas coisas, mas por outro lado, o primeiro do Triptykon também foi muito importante, pois significava que eu poderia sobreviver artisticamente depois que o Celtic Frost acabou. Outro álbum seria "Monotheist", o ultimo do Celtic Frost, que para mim é um dos álbuns mais fortes que foi feito como uma banda, porque pela primeira vez nós realmente trabalhos como uma banda".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Em relação ao álbum que gostaria de ser lembrado, Tom destacou que há coisas mais importantes que devemos nos preocupar: "Você realmente tem que me conhecer para entender minha abordagem, mas quando eu era mais jovem, eu e Martin, é claro, nós éramos muito jovens e com muita testosterona e queríamos provar a nós mesmos, e queríamos ser levados a sério, e assim por diante. Eu tenho feito isso há quase 41 anos, e espero ter crescido um pouco mais, estou mais maduro e um pouco mais calmo, e agora não me levo mais tão a sério, e eu acho que não preciso ser lembrado, há coisas muito mais importantes no mundo que precisam ser resolvidas, o mundo está em um estágio muito difícil, e claro, minha música é importante para mim e provavelmente também para o público, é muito importante, eu sei, e eu mesmo sobrevivo apenas porque posso ouvir música e muito é como um refúgio, mas quando se trata do meu próprio trabalho, não acho que meu trabalho seja tão importante que precisarei ser lembrado. Há coisas que realmente importam no mundo, na maneira como tratamos a natureza, a maneira como lidamos com as mudanças climáticas, a maneira como tratamos os animais e assim por diante. Há tantos problemas que são 10 milhões de vezes mais importantes do que a melhor coisa que já fiz.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Outro assunto da pauta foi sua afeição pelas causas animais, dando sua opinião sobre o uso de restos de animais em shows de Black Metal: "Eu vejo todas essas bandas se apresentando, ou a maioria das bandas se exibindo como um homem forte, e através de gestos você tenta projetar que é um forte guerreiro, que você é cheio de coragem, um homem macho, mas matar um pequeno ser inocente para mim não faz de você um homem, é na verdade algo muito covarde. Se você for a um açougue e comprar alguns crânios não te fazem um cara durão. Não é como você viver em tempos antigos e ter que lutar por sua vida... eu realmente não entendo o que isso traz para uma banda se você for num açougue local antes de um show e comprar alguma carcaça, de um pobre animal que foi abusado por toda a sua vida e que morreu uma morte terrível e então colocá-lo no palco, isso o torna mais masculino ou faz com te deixe mais pesado? Para mim, a verdadeira masculinidade, o verdadeiro peso, a verdadeira determinação, vem de outro lugar. Você tem que ganhar o nome "guerreiro"".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Um dos assuntos que mais intrigam os fãs de Celtic Frost é o a origem do clássico "uh!", que praticamente se tornou uma de suas marcas registradas, mas Tom contou que não se considera o precursor desse recurso: "Eu não sei porque o Celtic Frost é famoso por isso, ou porque sou famoso por isso, porque se você ouvir música dos anos 1970 e início dos anos 1980, você ouve bastante, quero dizer, até mesmo o James Brown e muitas bandas de Funk Music fizeram bastante isso e também algumas bandas de Rock e da NWOBHM, acho que até Paul Di’anno fez isso em algumas das primeiras músicas do Iron Maiden. Não é sem precedentes, e por alguma razão em 1984/1985, a imprensa inglesa da época começou a escrever sobre mim sobre isso e depois me tornei famoso por isso, mas não sou o inventor. Para mim sempre foi uma espécie de realce de um momento poderoso na música, para torná-la ainda mais distinta. Apenas fizemos esse arranjo que é simplesmente para aumentar o poder".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Por fim, o suíço deixou suas impressões sobre a banda Crypta, dizendo que admira bastante o trabalho de Fernanda Lira e por levar mais mulheres a cena Metal. Contou também sobre o relançamento do livro "Are You Morbid?", que será lançado como uma versão expandida e que está trabalhando em outro livro, sobre o fim do Celtic Frost e início do Triptykon. Revelou ainda que há possibilidades de fazer shows com os membros antigos do Celtic Frost em memória de Martin E. Ain, inclusive contando com o baterista Reed St. Mark, que considera seu melhor amigo. Comentou que é impossível reformar a banda sem o baixista, mas que shows em sua memória são possíveis de realizar.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Para conferir estes e outros assuntos, acesse:

Para o mês de dezembro o canal contará, por enquanto, com apenas uma live, no dia 18/12, às 14h, com o vocalista Dave Ingram, do Benediction.

Mais informações:
https://www.instagram.com/heavyculture

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Tom Gabriel Fischer: A juventude problemática do líder do Celtic Frost

Metal sinfônico: os 25 melhores álbuns do estilo, em lista da Metal Hammer


Exodus: "Rick Rubin é uma verdadeira fraude", diz Gary Holt


Sobre Maicon Leite

Maicon Leite é assessor de imprensa na Wargods Press, colaborador na revista Roadie Crew e um dos autores do livro Tá no Sangue! - A História do Rock Pesado Gaúcho, dentre outros projetos e publicações.

Mais matérias de Maicon Leite.