Fechando com chave de ouro: As melhores faixas finais do metal melódico

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Samuel Coutinho, Fonte: Metal da Ilha
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nada mais gratificante do que ouvir um álbum, e lá no finalzinho ter uma faixa épica para "fechar com chave de ouro". Você já deve ter ouvido bastante um álbum por causa desta faixa em especial. Muitas bandas optam por deixar o melhor para o final, e é esse tema que abordaremos neste artigo.

Tarja: agredida sexualmente por fã durante show no México em 2000Deep Purple: o riff de "Smoke on the Water" foi criado por Tom Jobim?

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Nota do redator: A maioria das bandas são de power metal por se tratar de um gosto pessoal.

Na hora de compor uma música, o artista se sente à vontade de escolher que número de faixa terá aquela música, ou aquela balada que combina com o andamento do disco. Faixas épicas, ou até mesmo as mais pesadas, são deixadas para o final como de propósito, para deixar um gostinho de quero mais. Obviamente o ouvinte ficará ansioso pelo próximo álbum, e é isso que acontece.

Aquela sensação que temos de ouvir um ótimo riff de guitarra, ou uma música bem elaborada, e pensar que aquela faixa será a última do álbum... vale a pena esperar.

Confira abaixo uma lista de algumas bandas que fizeram isso.

DREAM THEATER - "Learning To Live"
Álbum: Images And Words (1992)

O Dream Theater é uma banda forte em soltar várias faixas épicas em apenas um álbum. O "Images And Words" é um deles, é tão difícil escolher qual a mais épica que é melhor nem comentar. Mas estamos falando daquela faixa que fecha o disco, "Learning To Live" com seus 11:30 é uma música que finaliza de jeito o disco. Com sua pegada progressiva de sempre, a banda soube finalizar o álbum com uma boa faixa. E não é qualquer faixa, a música em questão parece que faz o ouvinte querer sempre ouvir de novo e de novo. Depois de muito prog durante a execução da música, bate aquela saudade de querer ouvir mais quando a canção vai desvanecendo, todo este clima já começa ainda na metade da canção.

EYES OF SHIVA - "Just A Miracle"
Álbum: Eyes Of Soul (2004)

Com um power-metal a la "ANGRA", o Eyes Of Shiva mostra isso no álbum todo, pena que não pôde continuar com álbuns futuros, depois do "Deep". "Just A Miracle" que tem um refrão bem grudento, é a faixa encarregada de fechar o disco da banda paulistana. "Só um milagre" traria essa banda de volta, para reforçar o cenário nacional.

SHAMAN - "Pride"
Álbum: Ritual (2002)

Um das melhores revelações dos anos 2000, "Ritual", é o álbum da então nova banda de Andre Matos e metade dos membros remanescentes do Angra, o Shaman. Este álbum possui um petardo como faixa que finaliza o disco, ela se chama "Pride". Que música! Junte Andre Matos, Tobias Sammet, Sascha Paeth em uma mesma música, acrescentando mais um pouquinho de peso, temos uma obra prima. Já nos primeiros versos contamos com a presença de Tobias, sendo um ingrediente perfeito para fechar o álbum com chave de ouro. Belo final.

SYMMETRYA - "Inner Force"
Álbum: Eternal Search (2007)

10 é um número de força, de ataque, de positividade e um ótimo número para ser a faixa de encerramento da maioria dos discos de metal que conhecemos. Com as mesmas características, o Symmetrya encerrou seu álbum "Eternal Search" com a ótima e pesada "Inner Force". Aquele gostinho de quero mais também está presente neste álbum, e logo teremos uma sequência com o "Last Dawn". Com a escolha dessa faixa, como sendo a derradeira, a banda soube finalizar o álbum com maestria. Aquele riff logo após a introdução da música e durante a execução dos primeiros versos, é matador...além da bateria que faz um belo acompanhamento. Os vocais de Jurandir se encaixaram perfeitamente.

RHAPSODY OF FIRE - "Gargoyles, Angels of Darkness"
Álbum: Power Of The Dragonflame (2002)

Chegamos agora em uma banda que faz praticamente trilhas sonoras de filmes épicos... bom, não exatamente, mas poderia. No sombrio "Power Of The Dragonflame", temos diversas faixas esmagadoras, mas é "Gargoyles, Angels of Darkness" que foi a responsável por fechar o disco. Uma música bem inspirada e com incríveis 19 minutos de duração. Aqui temos um dos melhores trabalhos da banda, essa canção em especial possui um refrão que dá até calafrios, fora os vocais potentes de Fabio Lione. Pra quem sempre acompanhou os trabalhos da banda, essa foi uma ótima forma de encerrar essa saga.

AVANTASIA - "The Tower"
Álbum: The Metal Opera part 1

O Avantasia é um caso à parte na hora de escolher uma faixa épica, pois todas as faixas da banda, especialmente deste álbum, são verdadeiramente hinos. Um gênio como Tobias Sammet é o responsável por essas belas criações. Um compositor à altura sempre costuma criar obras de arte e posicioná-las na melhor ordem possível. No álbum de estréia do Avantasia, The Metal Opera part 1", "The Tower" é a canção que termina o álbum. A faixa em questão possui pouco mais de 10 minutos e já deixa claro que viria uma segunda parte do álbum.

DRAGONLAND - "Ivory Shores"
Álbum: Under The Grey Banner (2011)

O Dragonland é uma banda de power metal conhecida por suas belas melodias nas músicas. Com temas medievais, um prato cheio para uma álbum de metal, as músicas transmitem toda a sensação de uma história baseada em temas místicos. Com o aclamado álbum "Under The Grey Banner", a banda fez o que sabe de melhor, explorar com mais profundidade os contos medievais. A faixa que fecha este álbum, não é necessariamente uma canção de metal, mas como o metal melódico casa muito bem com música clássica ou canções renascentistas, ficou bem válido. "Ivory Shores" nos faz imaginar a trilha sonora perfeita para um final de uma batalha, e foi justamente a faixa escolhida para fechar o álbum.

SYMPHONY X - "The Odyssey"
Álbum: The Odyssey

Acho que eu não precisaria dizer nada sobre esta canção que finaliza o álbum homônimo do Symphony X. Mas vamos explanar um pouco esse grande épico de 24 minutos. O álbum conceitual conta com a faixa título, "The Odyssey", como o último trecho da famosa história. Uma música realmente cinematográfica, e que também lembra um musical. Não haveria outra faixa melhor do que essa para terminar este álbum que é considerado, de longe, um dos melhores discos do Symphony X. São quase meia hora de puro metal progressivo, pesado, agressivo, e sem mais nada para declarar. Com certeza uma ótima escolha para fechar com chave de ouro este artigo.

É claro que estas foram apenas algumas escolhas, pois o universo do heavy metal, como todos nós sabemos, é infinito. Este foi baseado apenas em uma das mais variadas vertentes do metal.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Maiores e Melhores

Tarja: agredida sexualmente por fã durante show no México em 2000Tarja
Agredida sexualmente por fã durante show no México em 2000

Deep Purple: o riff de Smoke on the Water foi criado por Tom Jobim?Deep Purple
O riff de "Smoke on the Water" foi criado por Tom Jobim?


Sobre Samuel Coutinho

Nascido no interior de SP no dia 15/12/1986, em uma cidade chamada Ilha Solteira, Samuel Coutinho se entregou ao heavy metal logo na adolescência. Seu forte sempre foi o heavy metal melódico, variando desde o prog-metal até ao power-metal.

Mais matérias de Samuel Coutinho no Whiplash.Net.

Goo336x280