Matérias Mais Lidas

imagemVeja diz que David Coverdale só passa vergonha nas redes sociais

imagemMike Portnoy e a música do Rush que virou um grande sucesso do Guns N' Roses

imagemQuando Jimi Hendrix chamou Eric Clapton para subir no palco e afinar sua guitarra

imagemKerry King explica por que não assumiu o posto de guitarrista do Megadeth

imagemA resposta de John Lennon quando perguntado se retornaria aos Beatles em 1975

imagemA fundamental diferença entre Paulo Ricardo e Schiavon que levou RPM ao fim

imagemO clássico dos Paralamas que Gilberto Gil escreveu a letra e ditou pelo telefone

imagemSlash explica por que rejeitou Corey Taylor no Velvet Revolver

imagemCinco álbuns que serão lançados no segundo semestre de 2022 e merecem a sua atenção

imagemComo Max Cavalera aprendeu inglês tendo abandonado a escola aos 12 anos de idade

imagemCinco músicas que são covers, mas você acha que são as versões originais - Parte 2

imagemO clássico da Legião inspirado em novela da TV Globo e acusado de plagiar The Doors

imagemTúnel do Tempo: 25 músicas que mostram por que 1984 é um ano vital para o metal

imagemDepeche Mode divulga a causa oficial da morte de Andy Fletcher

imagemAmazon: seleção de CDs, LPs e livros de rock e metal com descontos e frete gratis


Loudwire: melhores músicas de 2014 (até agora)

Por Diogo de França Santos
Fonte: Loudwire
Em 16/04/14

O começo do ano ofereceu um tempo muito excitante para a nova música. Como 2013 nos livros, é tempo para o panorama musical de 2014 ser moldado. Álbuns antecipados se tornam novos lançamentos e nós temos a oportunidade de aproveitar os presentes grandiosos dados para nós pelos maiores artistas do metal.

BEHEMOTH – "Blow Your Trumpets Gabriel"

Maiores blasfemadores da Polônia, BEHEMOTH, atingiu 2014 cedo com o brilhante "The Satanist." O álbum teve uma aclamação massiva e é um competidor de muitas listas de "melhores de 2014". "Blow Your Trumpets Gabriel" é muito diferente do que você irá ouvir em "The Satanist", mas a música de abertura é um modo perfeito de começar "The Satanist" luminosamente. O vocalista Nergal também dá à "Blow Your Trumpets Gabriel" um dos vocais mais nojentos de sua carreira, murmurando com um lodo negro revestindo sua garganta.


BLACK LABEL SOCIETY – "My Dying Time"

Zakk Wylde está de volta com o nono álbum do BLACK LABEL SOCIETY, "Catacombs of the Black Vatican." "My Dying Time" foi o primeiro single lançado desse álbum, providenciando um ponto de lançamento forte para o último disco da banda. Junto com a expectativa d grandeza na guitarra, Zakk Wylde mostra seu subestimado sentido de alma em "My Dying Time." A música também lembra ALICE IN CHAINS, como Wylde usa com frequência, multi camadas de harmonias vocais durante toda a música.

CYNIC – "True Hallucination Speak"

Foi difícil escolher entre "True Hallucination Speak" e "The Lion’s Roar" para representar a grande obra de 30 minutos do CYNIC, "Kindly Bent to Free Us." Embora "The Lion’s Roar" entregue um riff mais memoravel, "THS" é uma peça essencial do som moderno do CYNIC. De uma elite de composição e trabalho musical, vocais inspirados e bela atmosfera, "True Hallucination Speak" é toda a prova que você necessita que o CYNIC continue pertencendo ao metal progressivo que mais vende.

ARCH ENEMY – "War Eternal"

Depois que a icônica vocalista Angela Gossow saiu do ARCH ENEMY, fãs questionaram se a vocalista do AGONIST Alissa White-Gluz poderia ocupar o lugar de Gossow. White-Gluz respondeu com "War Eternal," canção titulo do nono álbum do ARCH ENEMY. Fãs tem respondido positivamente à "War Eternal," o qual conquistou alguns milhões de views no YouTube.


AGALLOCH – "Celestial Effigy"

Os músicos americanos Cult do AGALLOCH não são conhecidos por desapontar. A banda tem sido consistente com as criticas e aclamação dos fãs por 15 anos, e com o lançamento de "Celestial Effigy," uma barra extremamente alta já foi colocada no lugar pelo AGALLOCH antes que "The Serpente & the Sphere" saia em maio. O corte cativante mantém enegrecido e o estilo sombrio do vocalista John Haughm assombra o som com os seus sussurros ásperos.

STEEL PANTHER –"GloryHole"

STEEL PANTHER trouxe o heavy metal de volta mais uma vez, dessa vez através de um buraco feito discretamente em um banheiro. Do terceiro álbum da banda, "All You Can Eat," "GloryHole" é tudo que você espera relacionado ao STEEL PANTHER. O guitarrista Satchel guia a música com um poderoso riff enquanto o vocalista Michael Starr entrega linha como "I don’t wanna know/Who’s sucking my c—k tonight / I’m going to the gloryhole / Gonna f--- it with all my might." A ponte dessa música é o ponto alto da canção, com um belo vocal e harmonias juntas criando uma paisagem instrumental perfeita.


TRAP THEM – "Salted Crypts"

Saído direto do estúdio God City, TRAP THEM retornou com um novo álbum cheio com terror. Apesar do TRAP THEM se prender a sua formula de hardcore extremo com "Salted Crypts," a consistência é bem vinda pelos fãs, que com certeza irão quebrar a maioria de suas poses durante os 40 minutos desse álbum. Como vocalista Ryan McKenney nos disse a não muito tempo atrás, "todos estão ferrados e você quer saber as diferentes maneiras em que as pessoas estão ferradas."

RINGWORM – "Hammer of the Witch"

Quer atacar seus ouvidos com uma banda verdadeiramente suja? Queremos dizer lama enchendo cada orifício seu enquanto enterrado vivo. "Hammer of the Witch" irá fazer esse truque todas as vezes. "Hammer of the Witch" combina hardcore extremo com death metal e agressão. A música também traz uma base extremamente solida, como Human Furnace rasga suas cordas vocais durante um instrumental sujo de pano de fundo.

HARK –"Palendromeda"

HARK é outra banda underground crescendo em 2014, e se as pessoas derem alguns segundos para o Welsh agir, o buzz continuará a se desenvolver. "Palendromeda" é a canção de abertura do segundo álbum da banda, "Crystalline." HARK é difícil de ser definido em um gênero, mas a banda mistura Sludge sulista, groove, nuances dos anos 60 e outras características numa mistura solida. Mantenha suas atenções nessa banda – grandes coisas podem acontecer.


NOTA DO TRADUTOR: Esqueceram do Brasil.

PROJECT 46 – "Desordem e Progresso"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Behemoth: ser cristão e curtir metal é esculhambado e louco

Metal Hammer: As melhores músicas da história do Death Metal



Sobre Diogo de França Santos

Diogo Santos, 21 anos, estudante de Marketing, paulistano, apaixonado por música, amante do heavy metal e suas vertentes, guitarrista quando lhe convém, frequentador de shows. Thrash metal é vida, ou morte, dependendo da sua visão. "You can't kill the metal, the metal will live on".

Mais matérias de Diogo de França Santos.