Megadeth: cada música deste álbum é diferente uma da outra

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por José Antonio Alves, Fonte: Blabbermouth.Net, Tradução
Enviar correções  |  Ver Acessos

Dana Feldman, da Revista Beatweek, recentemente conduziu uma entrevista com o guitarrista do MEGADETH Chris Broderick. Alguns trechos da conversa seguem abaixo.

Overkill: mandando recado ao Avenged SevenfoldDane-se Bruce Dickinson: Simone Simons no metrô é muito melhor

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Beatweek: Li que você começou a tocar guitarra aos 11 anos e que praticava por quatorze horas em um dia durante o verão. É uma rotina diária bastante rigorosa para uma criança. Você sempre soube que a guitarra era o que você queria fazer para sua carreira?

Broderick: Sim. Assim que eu encontrei a guitarra eu sabia que era isso que eu queria fazer. Não fazia idéia do potencial de se estudar guitarra e eu realmente quase abandonei a escola para estudá-la em tempo integral. Então percebi que poderia estudá-la na faculdade, também.

Beatweek: Li também que você se formou em Guitarra Clássica na Escola de Música de Lamont, da Univerdidade de Denver. Executar música tem sido verdadeiramente o trabalho de sua vida. Já houve um tempo em que pensou que teria que fazer outra coisa?

Broderick: Sim. Ao longo da minha carreira de guitarrista houve momentos em que ela simplesmente não estava pagando as contas e pensei que teria que voltar à escola para estudar outra coisa. Eu tinha na verdade, apenas me matriculado para ir e obter um diploma em Psicologia, quando recebi a chamada para me unir ao JAG PANZER. Acredite ou não, eu quase recusei, mas depois pensei que faculdade estará sempre aqui, se não der certo.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Beatweek: Você tem sido creditado por tocar guitarra, teclados, baixo, fazer vocais, bem como tocar violino e piano. Você diria que é melhor na guitarra porque fez uma carreira dela, ou você escolheu esse caminho porque sempre foi o seu favorito?

Broderick: Escolhi a guitarra porque estava sempre no metal crescendo e a adorei; ela pode ser bem raivosa ou bonita. Há tantas personalidades diferentes para ela e isso foi o que realmente me atraiu. Há algo de amor sobre todos esses instrumentos, adoro música. Mas, eu diria que a guitarra é a mais diversa.

Beatweek: Dave Mustaine comentou recentemente, em uma entrevista online com a Rolling Stone sobre o novo álbum, "TH1RT3EN", que é incrível, a propósito, que o título veio em parte porque ele nasceu em 13 de setembro, bem como o fato de que este é 13 album da banda. Será que o título significa algo para você pessoalmente? Qual é a mensagem principal do álbum, como você o vê?

Broderick: Não, quer dizer, eu acho que o número 13 é legal, tanto quanto a mística por trás disso, mas na verdade, eu não atribuo qualquer significado pessoal para ele. Quanto ao álbum, é muito diversificado. Cada música é diferente e cada um está dizendo suas próprias coisas. Vejo este álbum como uma compilação, como se puxássemos uma música de cada um dos álbuns anteriores do MEGADETH. É por isso que eu realmente gosto deste.

Beatweek: Eu pessoalmente gosto das faixas 6 e 11, "Never Dead" e "Millennium Of The Blind", respectivamente. Você tem uma favorita?

Broderick: "Sudden Death" é a minha favorita. Os solos foram desafios agradáveis para ficarem legais. Quando você escreve uma música, você tem que se tornar uma parte dela, então eu me sinto forte com o álbum como um todo.

Entrevista completa (em inglês):
http://www.beatweek.com/music/musicianinterviews/9610-megade...




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Megadeth"


Megadeth: e se Lars Ulrich fosse o baterista de Holy Wars?Megadeth
E se Lars Ulrich fosse o baterista de "Holy Wars"?

Slash: Dave Mustaine é um gênio do Heavy MetalSlash
Dave Mustaine é um gênio do Heavy Metal


Overkill: mandando recado ao Avenged SevenfoldOverkill
Mandando recado ao Avenged Sevenfold

Dane-se Bruce Dickinson: Simone Simons no metrô é muito melhorDane-se Bruce Dickinson
Simone Simons no metrô é muito melhor


Sobre José Antonio Alves

Aventureiro, mochileiro, amante da cultura latina e claro, fã de um dos estilos mais fascinantes deste universo musical: o Heavy Metal!

Mais matérias de José Antonio Alves no Whiplash.Net.

Cli336x280 CliIL Cli336x280 CliInline