MUCC: olhando para a história da banda mais uma vez

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Emanuel Seagal, Fonte: JaMe Brasil
Enviar correções  |  Ver Acessos

O MUCC esteve muito ocupado durante estes últimos meses participando de eventos de verão em todo o Japão, incluindo o festival MUCC Shu On Sai que foi organizado na ESP Musical Academy durante três dias. Lá foram lançados o DVD The Clips〜track of six nine〜 e as duas compilações Coupling Best e Coupling Worst. Aqui, nós aproveitamos a oportunidade de olhar para a história do MUCC mais uma vez.

Big Four: astros da cena Heavy escolhem banda preferidaCrianças: veja como cresceram as de "Nevermind", "War" e outras

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Ao ouvirmos o Coupling Best, nós achamos que as canções b-side são experimentos para futuros singles e álbuns do MUCC.

Miya: Sim, você está certo. Especialmente desde que nos tornamos major, nós temos lançado mais singles, então ousamos mais.

SATOchi: Sempre gravamos os singles primeiro e em seguida os b-sides, então é mais fácil. E nós podemos tentar coisas diferentes, porque nós somos mais livre, acho. É como tirar um descanso durante a gravação.

YUKKE: B-sides são mais fáceis. Elas têm uma atmosfera peculiar, diferente de músicas que são de singles e álbuns.

Por que vocês não fazem um single que tem apenas uma música por apenas 500 yen?

SATOchi: Não. Precisamos de b-sides para podermos colocar um monte de coisas grátis nele.

Tatsuro: Eu acho que fazemos b-sides quando estamos mais relaxados, então existem muitas canções que têm forte originalidade.

As letras também são diferentes das canções principais e músicas de álbuns?

Tatsuro: Sim. Para as músicas, personagens fortes vem a mim, então as letras se tornam muito naturais.

Existem casos em que você tentou criar músicas experimentais e, em seguida, fez uso da letra que você fez depois?

Tatsuro: Eu acho que não. Normalmente, eu escrevo as letras a partir da imagem da canção, então, se isso aconteceu, eu não estaria consciente disso.

Aliás, que b-sides de outros artistas vocês quatro gostam?

Tatsuro: Eu gosto de gossip, que é o b-side de Yasashii higeki do Kuroyume. EU gosto da maioria dos b-sides do Kuroyume.

SATOchi: Eu geralmente gosto dos b-sides de TUBE.

Elas não são todas canções de verão?

SATOchi: Sim, são canções de verão. Mas são canções cativantes como singles, então você sente que ganhou algo de graça.

YUKKE: Eu adoro Egoist...?, que é o b-side de Over Drive de JUDY AND MARY! Eu amo quase todas as canções de JUDY AND MARY.

Miya: Eu gosto de Sakura do BUCK-TICK.

YUKKE: Pessoas fanáticas pelo BUCK-TICK geralmente gostam de Sakura.

Tatsuro: Está no álbum coletânea deles, não é?




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Mucc"


Big Four: astros da cena Heavy escolhem banda preferidaBig Four
Astros da cena Heavy escolhem banda preferida

Crianças: veja como cresceram as de Nevermind, War e outrasCrianças
Veja como cresceram as de "Nevermind", "War" e outras


Sobre Emanuel Seagal

Descobriu o metal com clássicos como Iron Maiden e Black Sabbath. Hoje em dia, entre outros gêneros musicais, e sem se limitar a rótulos, ouve principalmente doom, viking e folk metal. Sempre que possível está em busca de novas bandas que tenham algo a transmitir alem de clichês, e mesmo em meio a tantas novidades não dispensa pérolas como o bom e velho Candlemass. Acompanha o Whiplash! desde os primórdios, tendo iniciado sua vida de internauta no mesmo ano de criação do site (1996). Há algum tempo está envolvido com metal, seja trabalhando com eventos, bandas, gravadoras ou imprensa, na tentativa de contribuir de alguma forma para o crescimento desse que é um dos segmentos mais apaixonantes da música, o metal.

Mais informações sobre Emanuel Seagal

Mais matérias de Emanuel Seagal no Whiplash.Net.

Cli336x280