Belphegor: "Dane-se a Igreja, precisamos de mais Metal!"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Uamoti, Fonte: Metal Sucks, Tradução
Enviar Correções  

Corey Mitchell, escritor do MetalSucks, recentemente teve a chance de mandar por e-mail algumas perguntas para o vocalista/guitarrista do BELPHEGOR, Helmuth. Após o susto leia suas respostas sobre servidão, satanismo, zumbis, o novo disco da banda, "Bondage Goat Zombie", sempre manter-se brutal e mais.

publicidade

MetalSucks: O quão importante é Satã para sua ideologia? Você pratica o que prega?

Helmuth: "Na verdade a música vem primeiro e domina tudo. O resto é morte, demônio e mulheres. Era assim no início da banda, e permanece assim até hoje. Sexo. Satã. Arte. Eu realmente tenho interesse nisso. O conceito das letras desse disco lida basicamente com a vida fascinante do Marquês de Sade; os tópicos são mordidas, flagelação, e toda a parte legal de fetiche/nylon".

publicidade

"A palavra 'sadismo' vem do nome do Marquês de Sade. Desde 1996 que estou mais do que impressionado com ele, quando coloquei minhas mãos em '120 Dias de Sodoma', 'Justine ou Juliette', etc. Eu realmente recomendo esses escritos. Seu trabalho era um campo de guerra cheio de sexo pervertido e humilhação. Mas por outro lado são pura poesia... é fascinante. E sua vida também foi bem impressionante. Eu usei muito de seus versos originais no disco novo. Ele era um rebelde e ficou na prisão por cerca de 25 anos por causa de sua arte e ideais, e apesar de ter se refugiado ele sempre se recusou a se curvar".

publicidade

MetalSucks: Tem profanado igrejas ultimamente?

Helmuth: "Foda-se a igreja, nós precisamos de mais Metal."

Para ler o resto desta entrevista visite http://www.metalsucks.net/?p=6762.


WhiFin WhiFin WhiFin