Thin Lizzy: "não seria correto gravar um disco"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Victor Guilherme Chaves, Fonte: Blabbermouth, Tradução
Enviar Correções  

Mike Elliott, do KomodoRock.com, conduziu recentemente uma entrevista com o guitarrista e atual vocalista do THIN LIZZY, John Sykes (N. do T.: o guitarrista também já passou pelo STREETFIGHTER, pelo TYGERS OF PAN TANG e pelo WHITESNAKE, além de fundar o BLUE MURDER e gravar vários álbuns solo), que explicou como surgiu a idéia de remontar a banda.

publicidade

KomodoRock.com: Eu sei que sempre disseram que vocês não farão um novo álbum. Isso ainda é o caso?

Sykes: "Eu não acho isso certo. O objetivo dessa encarnação da banda é principalmente lembrar do Phil (o falecido 'frontman' do grupo), e fazer um tributo à sua música e ao seu legado. É realmente sobre isso, não sobre fazer novas músicas. É sobre sua influência e sua música serem eternas - e que dádiva isso é para nós – através da sua música e de suas letras. Phil era um tipo de gigante, se você conhecesse ele… Ele tinha a presençe de mil homens. Ele nasceu para ser um 'Rock Star'".

publicidade

KomodoRock.com: Não tive este privilégio.

Sykes: "Acredite em mim, ele era único. Eu estive nesse jogo (o meio musical) por muito tempo e nunca conheci ninguém como ele. O fato é que nós tocamos hoje e têm muitos jovens no público. Eu pergunto para eles, garotos de 16 ou 17 anos: 'Como foi que você conheceu o Thin Lizzy?' e muitos respondem: 'nós crescemos ouvindo isso, com nossos pais'. É fantástico ver como o público jovem vem e curte tanto. É uma prova de como as músicas do Phil são ótimas e eternas".

publicidade

KomodoRock.com: Eu acho que deve ser uma prova de como o trabalho que vocês estão fazendo é bom e como vocês mantêm o legado.

Sykes: "Nós vamos lá e damos tudo de nós, definitivamente 100% toda noite. Nós gostamos de fazer isso, eu adoro tocar com Scott e há várias partes ótimas de guitarra. Tudo isso é interessante para nós".

publicidade

KomodoRock.com: Você já se preocupou com a responsabilidade de estar substituindo esse gigante?

Sykes: "Foi assim que isso começou: eu estava no Japão, fazendo muitas coisas solo, trabalhando lá por vários anos e as pessoas continuavam me perguntando: 'Tem algum jeito do Thin Lizzy se reunir?'. E eu dizia: 'Como eu poderia estar lá sem o Phil?'. E mesmo assim continuavam perguntando de novo e de novo. Eu fiz um álbum ao vivo e eu acho que toquei 'Cold Sweat' ou algo, e eles continuavam perguntando e perguntando. Finalmente, assumindo um risco, eu liguei para o Scott (Gorham, guitarrista) e falei: 'Scott, eu sei que parece loucura, mas esses japoneses continuam me perguntando se nós vamos nos reunir e tocar de novo', então eu expliquei para ele o que estava acontecendo. E ele disse: 'Me manda o CD e me deixa dar uma conferida' e ele ouviu e disse 'É, ele está muito bom'. A próxima coisa que ele fez foi chamar o Brian Downey (baterista e único membro da formação original) e as coisas começaram a funcionar. Todo mundo concordou com isso, eu acho que era 1992 ou alguma coisa assim, no início dos anos noventa. Foi assim que as coisas começaram a acontecer. Eu nunca sonharia que nós poderíamos fazer isso novamente um dia, mas nós tivemos uma recepção tão boa, e aí começaram a nos chamar para tocar em várias áreas diferentes. E uma coisa acabou levando à outra. A música do Phil parece se tornar cada vez mais forte".

publicidade

"Essa nova música de hoje não parece ter esse mesmo tipo de profundidade ou peso que os anos 70 tinham. É engraçado porque quando nós estávamos crescendo na década de setenta não sabíamos que aquelas bandas, como o Black Sabbath, iriam se tornar ícones da atualidade. E eles são os padrinhos do Metal".

Leia a entrevista completa (em inglês) no komodorock.com.

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Thin Lizzy: Unboxing da excelente box-set Rock Legends

Thin Lizzy: Inédita de 1980 do futuro box da banda é publicada em audio streamThin Lizzy
Inédita de 1980 do futuro box da banda é publicada em "audio stream"

Thin Lizzy: box-set traz 74 faixas inéditas da bandaThin Lizzy
Box-set traz 74 faixas inéditas da banda

Em 20/08/1949: nascia o genial e inesquecível Phil Lynott

Thin Lizzy: lançado o trailer de documentário que fala sobre Phil LynottThin Lizzy
Lançado o trailer de documentário que fala sobre Phil Lynott


Oh, não!: clássicos que foram estragados pelo tempoOh, não!
Clássicos que foram "estragados" pelo tempo

Drogas: 4 músicos que não se lembram de terem feito alguns discosDrogas
4 músicos que não se lembram de terem feito alguns discos


Fotos de Infância: Ozzy OsbourneFotos de Infância
Ozzy Osbourne

Capas de disco: como seriam se fossem gifs animadosCapas de disco
Como seriam se fossem gifs animados


Sobre Victor Guilherme Chaves

Victor Guilherme é carioca e viciado em filmes, desenhos, mitologia, livros variados e, principalmente, muito rock n' roll. Cresceu numa casa onde sempre ouviu Beatles, Black Sabbath, Ramones e Rick Wakeman, mas sua verdadeira paixão pelo estilo começou quando ganhou de aniversário o álbum Bark At the Moon, do Ozzy Osbourne. A partir de então, se tornou adicto por Rock clássico, Heavy Metal e, principalmente, Hard Rock. Entre suas bandas preferidas estão: Alice Cooper, Ozzy Osbourne, Twisted Sister, W.A.S.P., Whitesnake, Iron Maiden, Van Halen, Angel Witch, ZZ Top, Creedence, entre várias outras. Hoje em dia, Victor divide seu tempo entre dar atenção à sua namorada, a quem ele tanto ama; ser um estudante de Direito do IBMEC-RJ; tocar guitarra e, quando tem tempo, colaborar com o Whiplash ou postar na comunidade de sua "irmã e ovelha negra da família", a Falseplash, onde o Metal em geral é discutido por um prisma nada ortodoxo.

Mais matérias de Victor Guilherme Chaves no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin