Nocturnal Rites - Entrevista com o baixista e fundador Nils Eriksson.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Enviar correções  |  Ver Acessos

Entrevista realizada com Nils Eriksson, baixista e fundador da banda Nocturnal Rites. Entrevista concedida a Mario Del Nunzio.

Epica: foto original de Simone Simons nua em capa é revelada?Plágio ou coincidência: trechos semelhantes no rock/metal

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Whiplash! / O Nocturnal Rites está lançando um novo álbum agora, "The Sacred Talisman". Por favor, fale-nos sobre ele.

Nils Eriksson / Ele tem 11 músicas. Alguns títulos são: "Destiny Calls", "The Iron Force", "Free At Last", "Hold on to the Flame"... Esta foi a primeira vez que trabalhamos com um produtor profissional. Isto realmente fez diferença. Ele fez com que déssemos o melhor de nós, e ele viu e e ouviu tudo que nós mesmos nunca tínhamos visto! Você sabe, você sempre tem seus demônios pessoais quando toca, e coisas sobre as quais você nunca pensa. Ele fez tudo isso desaparecer. Foi realmente uma boa experiência.

Whiplash! / Como você definiria o som do Nocturnal Rites?

Nils Eriksson / Eu sempre nos descrevo como uma mistura entre o som clássico alemão e o som inglês. Então, pegue Helloween e Gamma Ray, coloque algo de Iron Maiden, Judas Priest e Saxon nisto, e você tem o Nocturnal Rites.

Whiplash! / O nome Nocturnal Rites sugere uma banda de Death/Black Metal, e vocês eram uma banda Death Metal, certo? Por que vocês mudaram o estilo? Como foi escolhido este nome, houve alguma razão em especial? Mudando o direcionamento musical, por que manter o antigo nome, que sugere uma banda Death/Black?

Nils Eriksson / Você está certo, é fácil ser confundido pelo nosso nome. Mas vamos voltar atrás, para 1990. Quando nós começamos, não tínhamos um nome apropriado para a banda e não conseguíamos nos decidir por qualquer um que havíamos pensado. Só que havia alguns shows chegando, e precisávamos de um nome para os cartazes. Um que pudesse nos projetar. Então um amigo nosso leu o nome Nocturnal Rites em algum livro, ou viu na TV, ou onde quer que tenha sido. O nome nos soou muito bem e o mantivémos desde então. Mudar nosso estilo foi natural para nós. Isto não aconteceu em uma noite, levou um ano ou dois. Começou com um riff em uma música, e a partir daí nós o construímos, passo a passo. Heavy Metal é a música que todos nós crescemos ouvindo, então isso foi uma progressão natural para nós. Nós estamos tocando este tipo de música desde '92 ou '93. Nós pensamos em mudar o nome da banda quando vimos a direção musical que estávamos tomando. Mas como tínhamos nos tornado bem conhecidos no underground, decidimos mantê-lo.

Whiplash! / No álbum "Tales of Mystery and Imagination" as músicas estão mais complexas e os solos de guitarra mais técnicos do que no primeiro álbum, "In a Time of Blood and Fire". Eu acho que o guitarrista Nils Norberg, que entrou na banda na época do "Tales..." tem muita influência nisso, certo? Era isso que o Nocturnal Rites esperava dele? Vc acha que a tendência da banda é se tornar mais técnica e escrever músicas mais complexas com o tempo?

Nils Eriksson / Vc está certo sobre isso! Nils trouxe muitas novas idéias com ele. Ele tornou possível para nós incorporar algumas partes com as quais apenas sonhávamos. Eu, entretanto, não acho que as músicas estão mais complexas (exceto na parte dos solos) no "Tales of Mystery and Imagination". Elas são baseadas na mesma fórmula de composição que sempre utilizamos. Mas como sempre, você progride como uma banda, e precisa incorporar novos elementos na sua música. Então, neste sentido, nossas músicas sempre se desenvolverão e tomarão novas direções. Esta é a única forma de tornar interessante escrever músca. No entanto, você sempre saberá que é Nocturnal Rites e nós sempre soaremos como o bom e velho Nocturnal.

Whiplash! / Houve uma mudança de formação entre o "Tales of Mystery and Imagination" e o novo álbum, "The Sacred Talisman", certo? O baterista Ulf Andersson deixou a banda... Por quê? Quem é o novo baterista? Esta mudança de formação trouxe alguma influência para o som da banda?

Nils Eriksson / Ulf machucou sua perna esquerda e lutou contra isso por um tempo, antes de decidir deixar a banda. Ele sentiu que estava nos atrasando. O novo cara é Wullf. Um novo membro sempre traz novas idéias e dimensões para banda. Ele não influenciou tanto o som, mas nos ensinou muito sobre como tocar e dar o máximo de nós. Ele é um grande baterista e já toca há bastante tempo.

Whiplash! / Como vc compararia seus dois primeiros álbuns, "In a Time of Blood and Fire" e "Tales of Mystery and Imagination"? Por favor, faça alguns cometários sobre eles.

Nils Eriksson / As músicas no "Tales..." são muito mais bem escritas e mais trabalhadas. Eu acho que esta é a maior diferença. Não que eu não goste das músicas do primeiro álbum. Eu amo o disco. Mas como eu disse antes, você sempre progride. Todo novo álbum deve ser um passo à frente em todos os sentidos: qualidade, músicas melhores e tudo mais. Eu acho que esta é a diferença principal e estou muito certo que esta é a resposta que você terá de qualquer banda.

Whiplash! / No álbum "Tales..." há até alguns solos de teclado, mas o tecladista Mathias Bernhadsson não era um "membro real" da banda (não aparecia nas fotos, etc). Ele faz parte da banda agora? O novo álbum terá mais teclados que o anterior?

Nils Eriksson / "The Sacred Talisman" não tem mais teclados que o anterior. Está na mesma proporção. Mattias tornou-se um verdadeiro integrante da banda quando percebemos o quanto ele significava para nosso som, especialmente ao vivo. Além disso, ele é um músico muito dedicado, querendo tocar, gravar e ensaiar todo tempo. O tipo de integrante significativo numa banda.

Whiplash! / Quais as suas principais influências? E quais as principais influências da banda? O que você tem ouvido hoje em dia?

Nils Eriksson / Como eu mencionei antes, Helloween, Gamma Ray, Saxon, Iron Maiden e Judas Priest. E também muito de música clássica. Tenho escutado muitas coisas estranhas. Algumas bandas melódicas, como FM, Journey e Survivor. E também o novo álbum clássico de Yngwie Malmsteen. Gosto muito, também, do novo álbum do Saxon.

Whiplash! / As letras da banda são, em sua maioria, sobre temas ligados à fantasia. Quem as escreve, e qual a maior inspiração para estas letras?

Nils Eriksson / Eu escrevo a maioria das letras. Para o novo álbum eu fiz todas elas. Eu não posso dizer, realmente, de onde tiro minhas influências. Eu costumo gravar a música e escutá-la, para ver que espécie de letra seria mais adequada. Na maioria das vezes, como você disse, isso termina em assuntos ligados à fantasia. Eu acho que isso soa realmente bem para nosso tipo de música. Isto ajuda a sentir a energia que nós tentamos colocar em todos os álbuns.

Whiplash! / Como é o processo de composição da banda? No "Tales of Mystery and Imagination" as músicas e letras são creditas para banda toda, sem dar crédito específico para nenhum músico. Isto realmente ocorre? Todos da banda escrevem as músicas juntos?

Nils Eriksson / De uma certa forma, sim. Na maioria das vezes Frederik [Mannberg, guitarrista] ou eu chegamos com um riff ou outra parte da música, como um refrão ou um verso. Então nós construímos a música ao redor disso. Quando nós temos a maior parte pronta nós apresentamos para o Nils Norberg. Ele faz todas as partes de solo. Nós então gravamos a música, eu escrevo as letras. Então, levamos para o estúdio de Anders [Zackrisson, vocalista] e eu e ele decidimos como serão os vocais. Em seguida nós ensaiamos a música e fazemos um monte de modificações, onde Wullf e Mattias podem dar suas opiniões.

Whiplash! / Vocês logo estarão em turnê com o Nevermore e o Sacred Steel, certo? Onde vocês tocarão e quais as suas expectativas para esta tour? O que você acha do som do Nevermore e do Sacred Steel?

Nils Eriksson / Está certo! esta será a primeira tour para este álbum. A turnê passará pela Alemanha, Bélgica, Áustria... Nós também temos algumas datas agendadas na Espanha e Itália. Eu acho que será uma grande tour. Esta é uma boa época para turnês e nós conhecemos o Nevermore já há algum tempo. Então teremos bons momentos. Eu nunca escutei muito do Sacred Steel então realmente não conheço a música deles. Eu amo o novo álbum do Nevermore. Eles são uma grande banda, com um som único.

Whiplash! / A Suécia vem sendo, já há muitos anos, um país com grande importância na cena Heavy Metal. E até alguns "movimentos" Heavy Metal começaram aí ou com músicos suecos, como o Heavy Metal Neoclássico (com Yngwie Malmsteen, Jens Johansson, etc) e o melodic Death Metal, com bandas como At The Gates, Dark Tranquility, In Flames, etc. A Suécia tem também grandes bandas de power/melodic/traditional/prog metal, como Hammerfall, Narnia, Treasure Land, Memento Mori, Mayadone, etc. Você acha que é mais fácil ou mais difícil ter a banda reconhecida em um país com tantas outras boas bandas? O que vc acha da cena Heavy Metal na Suécia hoje?

Nils Eriksson / A cena está crescendo e tornando-se melhor dia após dia. Quando nosso primeiro álbum foi lançado nós quase fomos ridicularizados por querer tocar um estilo "morto" de música.

Whiplash! / Vocês tocaram num tributo ao Iron Maiden no qual a maior parte das bandas eram bandas de Heavy Metal Extremo. O que você achou do tributo ? Você não achou Nocturnal Rites um pouco "deslocado" no meio de tantas bandas extremas no disco ? O que você achou da versão do Nocturnal Rites de "Wasted Years" ?

Nils Eriksson / Você está muito certo. Mas eu não acho que isso interessa muito. Eu quero dizer, é uma promoção muito boa ter nosso nome num CD como esse. Nós estamos muito satisfeitos com a versão que gravamos. Algumas pessoas adoram a faixa!

Whiplash! / Agora, como um fã de Heavy Metal, você poderia comentar algumas coisas?

Whiplash! / Iron Maiden:

Nils Eriksson / Uma das melhores bandas sempre!

Whiplash! / Metallica:

Nils Eriksson / Eles continuam tendo atitude e distância, o que faz com que sejam realmente uma banda muito legal.

Whiplash! / Helloween:

Nils Eriksson / Uma das bandas que definiram nosso som.

Whiplash! / Reunião do Black Sabbath:

Nils Eriksson / Eles estão velhos, mas continuam sabendo como fazer. É uma das bandas que inventou o Heavy Metal e nós todos temos que ter admiração por eles.

Whiplash! / Korn, Deftones e esta espécie de bandas que alguns chamam de Metal:

Nils Eriksson / Eu não gosto deste tipo de música. Se eles querem fazê-lo, são livres para isso. Obviamente a criançada gosta deles.

Whiplash! / A moda techno e bandas de Metal que usam elementos techno:

Nils Eriksson / Existem poucas bandas boas de techno. Algumas delas usam um monte de influências clássicas. Máquinas tocam a música, mas ainda precisam de alguém para escrever as melodias. Eu não me importo com a existência delas.

Whiplash! / Se há alguma outra coisa que vc queira dizer, o espaço é seu.

Nils Eriksson / Espero ver todos vocês logo. Esperamos fazer uma turnê perto de vocês!




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Nocturnal Rites"


Power Metal: 20 bandas para quem é fã do estiloPower Metal
20 bandas para quem é fã do estilo


Epica: foto original de Simone Simons nua em capa é revelada?Epica
Foto original de Simone Simons nua em capa é revelada?

Plágio ou coincidência: trechos semelhantes no rock/metalPlágio ou coincidência
Trechos semelhantes no rock/metal


adClio336|adClio336