Resenha - Rosenrot - Rammstein

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Clóvis Eduardo
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 9


Guitarras mais poderosas, uma cozinha muito forte e teclados fazendo algo mais que sonorizações ridículas fazem do Rammstein uma das bandas mais completas da atualidade. O sexteto não é dos mais desconhecidos entre o meio metálico atual, até por que para superar grandes discos lançados no passado, é necessário melhorar cada vez mais. Mudar estilo não é fácil, já que é uma identidade. Mas fugir aos poucos dele torna-se uma alternativa inteligente.

Freddy Frenzzy: O vocal que trocou Hard Rock por forró ostentaçãoMetal/Hard: Alguns dos maiores e melhores vocalistas atuais

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Depois de "Reise Reise" (2004), a viagem com os alemães continua. O metal industrial (diga-se pulsante) do grupo tem se aprimorado e ficado um pouco obsoleto, afinal, não consigo acreditar ainda que "Mann Gegen Mann" é tão direta quanto qualquer coisa já feita por bandas oriundas da atual cena metalcore dos Estados Unidos, por exemplo. Estamos vendo um Rammstein renovado, com inteligência e cabeça no século XXI sem abusar daquilo que lhe foi o diferencial por tanto tempo: o estilo.

O cd anterior foi um prato cheio de riffs pesados, baixo e bateria bem trabalhada e a parte lírica ainda mais encorpada. Porém, "Rosenrot" contém tudo isso e mais um pouco. O diferencial é que temos mais músicas alegres e uma presença descomunal dos teclados e sintetizadores em passagens beirando à perfeição. E exemplos não poderiam faltar como "Spring", que começa lenta e vem troteando no ouvido, como jamais se ouviu.

Destacam-se duas canções neste cd que são incríveis. A primeira, "Wo Bist Du" trabalha o lado mais instrumental, com presença de flautas e orquestrações. A segunda é "Stirb Nicht Vor Mir", onde a presença de uma vocalista engrandece ainda mais a canção e cria um lado emotivo para a canção muito legal.

Aos que nunca foram a favor do Rammstein ter as letras "quase" todas cantadas em alemão, uma versão latina vai - no mínimo - provocar risadas. "Te Quiero Puta!", não merece comentários além de ter um clima mexicano logo no início (lembra-se do desenho animado do Ligeirinho?). A letra, tudo bem, não tem nada a ver com desenhos, mas é muito interessante, e merece soar bem alto nos aparelhos de som.

Claro, que não deixando de ser uma banda muito apreciada, justamente por fazer misturas de ritmos e sons, o Rammstein não perde o posto de uma das bandas mais lembradas do cenário mundial. Talvez a MTV, ou as performances de palco deram uma ajuda ao som dos caras tornar-se ainda mais aceitável, mas o importante é que ao ouvir qualquer uma das 11 canções de "Rosenrot", dá para perceber que eles estão muito bem. Escute o CD, e comprove.

Formação:
Till Lindemann (Vocais)
Richard Kruspe (Guitarra)
Paul Landers (Guitarra)
Oliver Riedel (Baixo)
Christoph Schneider (Bateria)
Flake Lorenz (Teclados)


Outras resenhas de Rosenrot - Rammstein

Resenha - Rosenrot - Rammstein




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Rammstein"


Alemanha: dez das melhores bandas do paísAlemanha
Dez das melhores bandas do país

Riffs parecidos: Led, Sabbath, Maiden, Metallica, Dio, AC/DC e maisRiffs parecidos
Led, Sabbath, Maiden, Metallica, Dio, AC/DC e mais


Freddy Frenzzy: O vocal que trocou Hard Rock por forró ostentaçãoFreddy Frenzzy
O vocal que trocou Hard Rock por forró ostentação

Metal/Hard: Alguns dos maiores e melhores vocalistas atuaisMetal/Hard
Alguns dos maiores e melhores vocalistas atuais


Sobre Clóvis Eduardo

Clóvis Eduardo Cuco é catarinense, jornalista e metaleiro.

Mais matérias de Clóvis Eduardo no Whiplash.Net.

adGoo336