Resenha - One Crimson Night - Hammerfall

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Anderson Guimarães de Carvalho
Enviar Correções  

10


Desde o lançamento de "Glory to the Brave", seu primeiro álbum, o HammerFall conhece bem o significado da palavra sucesso. Porém, apesar da pressão dos fãs e da mídia para o lançamento de um álbum ao vivo desde 99, eles resolveram esperar. E fizeram muito bem.

"One Crimson Night" registra um show ocorrido em Gotemburgo, cidade natal da banda, em Fevereiro de 2003. A qualidade da banda ao vivo é inegável, mas neste cd ela fica ainda mais evidente.

publicidade

Os músicos são muito bem entrosados e apenas vez ou outra um deles improvisa(e os leigos insistem em dizer "erram"), especialmente o baterista Anders Johansson.

O repertório é impecável. As melhores músicas da banda estão presentes e ainda há os solos do baixista Magnus Rosén (inferior ao executado no Brasil) e do guitarrista Stefan Elmgren. O solo de Stefan é muito empolgante, ao contrário da maioria de solos tediosos e intermináveis que se vê por aí.

publicidade

Riders of the Storm, Legacy of Kings, Renegade e Stone Cold são alguns dos clássicos de "One Crimson Night". O melhor do cd (além das músicas e da arte gráfica) é como a banda soa. Ao contrário da maioria dos cd’s ao vivo (que são totalmente alterados no estúdio), este aqui realmente soa como ao vivo, especialmente a voz de Joacim Cans.

Se você não tem nada do HammerFall, o que já é lamentável, este cd é obrigatório. Ele é um apanhado de todos os álbuns e de quebra, ainda contém 3 faixas bônus ao vivo no México. Aliás, a diferença entre o público mexicano e o sueco é gigante. A platéia mexicana interage e agita muito mais.

publicidade

Pode comprar de olhos fechados. Mas abra-os depois para assistir ao DVD deste mesmo show!

Material cedido por:
Magnus Rosén
http://magnusrosen.cjb.net
http://www.hammerfall.net


WhiFin WhiFin WhiFin