Matérias Mais Lidas

imagemO clássico da Legião inspirado em novela da TV Globo e acusado de plagiar The Doors

imagemO clássico dos Paralamas que Gilberto Gil escreveu a letra e ditou pelo telefone

imagemPor que o Pato Fu era confundido com os Mamonas Assassinas, segundo Fernanda Takai

imagemPor motivo de saúde, Tracii Guns faz show inteiro do L.A.Guns dentro do banheiro

imagemTúnel do Tempo: 25 músicas que mostram por que 1988 é um ano inesquecível

imagemVídeo mostra o Guns N' Roses novamente tocando "Back in Black" do AC/DC

imagemComo o clássico "Angel Dust" fez o guitarrista Jim Martin sair do Faith No More

imagemEdu Falaschi e as versões de "Bleeding Heart" que "dá uma tristezinha" de ouvir

imagemO álbum do Kiss que infelizmente é ignorado pela banda, segundo Andreas Kisser

imagemSupla explica por que fala sempre misturando português com inglês

imagemTico relembra trauma que o fez entrar na Fazenda e briga bizarra com Sérgio Mallandro

imagemRock in Rio 1991, Maracanã lotado, e o Guns N' Roses ameaçou não subir ao palco...

imagemPink Floyd: Roger Waters relembra o dia que conheceu John Lennon - e se arrependeu

imagemTúnel do Tempo: 25 músicas que mostram por que 1991 é um ano tão celebrado

imagemAntes mesmo do fim do primeiro semestre, Mike Portnoy escolhe seu "Álbum do ano"


Stamp

Agaurez: Biografia da horda de Belo Horizonte

Por Emanuel Seagal
Fonte: Agaurez
Em 19/03/20

Press-release - Clique para divulgar gratuitamente sua banda ou projeto.

HISTÓRICO

Em meados de 1998, surge, em Belo Horizonte, a horda de black metal Agaures (à época ainda grafada com um "S") com uma proposta sonora que se expressa entre as novas concepções de música extrema e a potência da ideologia do anticristianismo racional. Durante o ano de 2000, dois materiais não oficiais foram lançados e divulgados por todo o território nacional. A demo ensaio "Obscure Shades" e o promo CD ao vivo "Living Forms Of Obscure Shades" receberam várias críticas positivas, trazendo, assim, os meios para a produção do primeiro material oficial.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O primeiro álbum, denominado " Un-Virtue-Vitae" foi produzido em 2001 e lançado no segundo semestre do ano seguinte, através da Demise Records (Extreme Label). Desde então, a banda fez uma extensa divulgação de seu material, entre shows e participações em coletâneas, como a "Extreme Underground" e a "An Evil Existence For Rotting Christ", entre 2002 e 2005. A horda Agaurez (agora grafado com "Z", uma mudança caracterizada pela busca por um som cada vez mais extremo) continuou produzindo material inédito e tocando ao vivo até 2006, quando decidiu entrar em um hiato por tempo indeterminado.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Esta pausa durou até 2013, quando, motivados por uma intensa vontade de produzir novamente, antigos membros de vários períodos da banda se reuniram para tocar juntos e decidiram voltar com as atividades da Agaurez. Nesta nova fase, a banda continuou numa transição de um Black Metal mais tradicional, por assim dizer, para um som mais extremo, com influências Death e Thrash Metal, abandonando os característicos teclados do primeiro álbum.

Passados alguns anos do retorno da banda, a Agaurez produziu material inédito o suficiente para a gravação de um novo álbum, chamado "The Five Sigils", como uma proposta sonora e lírica que é uma evolução de toda a história da horda e que consideramos a nossa maior obra até agora. Este lançamento rendeu também um contrato com a lendária gravadora "Cogumelo Records", responsável pelos maiores lançamentos do Metal Nacional.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O DISCO

"The Five Sigils", ou "Os Cinco Sigilos" é uma obra que surgiu a partir de uma crítica a uma sociedade cada vez mais conservadora e teocrata que impõe sobre todos nós uma visão de mundo limitante e nefasta. Neste álbum, utilizamos o pensamento crítico, o ocultismo e a filosofia como ferramentas para derrubar esse tipo de imposição. O número cinco é algo que se tornou simbólico para a Agaurez: foram cinco anos desde o retorno da banda até a gravação do disco, cinco são os membros atuais, cinco são as músicas deste trabalho. Sendo assim, elaboramos também cinco sigilos incorporados a cada faixa.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"The Will To Power" - A primeira música do disco tem inspiração nas obras de F.W. Nietzsche e é uma forte crítica ao cristianismo e ao que o filósofo chama de "moral do rebanho"; ou seja, a submissão do indivíduo aos interesses de uma moral inventada por uma elite clerical e econômica cujo único empenho é propagar seus próprios interesses em nome de falsos deuses. O martelo do iconoclasta.

"A Diabolical Manifesto" - Uma viagem alegórica ao lugar que muitas culturas chamariam de "inferno", mas que na verdade é um lugar de conhecimento e poder, um conhecimento que sempre foi proibido e execrado pelos detentores de uma pretensa "verdade". A blasfêmia. Nossa inspiração para essa jornada passa pelas obras de Aleister Crowley e pelo "Paraíso Perdido" de John Milton. Bebamos do Cálice de Babalon e o conhecimento fluirá por nossas veias através dos Éons.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Carcosa" - Baseada na obra "O Rei de Amarelo" de Robert Chambers, "Carcosa" é uma cidade ancestral lúgubre e misteriosa, de localização desconhecida, que aparece para algumas pessoas em seus sonhos, e cujo mero vislumbre pode ser enlouquecedor.

"Serpents"- A primeira música escrita após o retorno da Agaurez em 2013, "Serpents" trata de um simulacro do paraíso, de uma metafísica trágica que paira sobre a humanidade desde que as religiões abraâmicas se sobrepuseram ao xamanismo e paganismo; e de como o conhecimento proveniente da natureza se tornou proscrito, simbolizado pela árvore proibida.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Spiteful Catharsis" - Descrição de um pesadelo e uma visão extremamente niilista de um poço sem fundo ao qual estamos constantemente expostos, a proposta dessa música é estritamente catártica, um grito vindo de um lugar negro e profundo que se esconde em nosso subconsciente.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

In-Edit
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Câncer na língua: entenda a doença de Bruce Dickinson


Sobre Emanuel Seagal

Descobriu o metal com Iron Maiden e Black Sabbath até chegar ao metal extremo e se apaixonar pelo doom metal. Considera Empyrium e X Japan as melhores bandas do mundo, Foi um dos coordenadores do finado SkyHell Webzine, escreveu para outros veículos no Brasil e exterior, e sempre esteve envolvido com metal, seja com eventos, bandas, gravadoras ou imprensa. Escreve para o Whiplash! desde 2005 mas ainda não entendeu a birra dos leitores com as notícias do Metallica. @emanuel_seagal no Instagram.

Mais informações sobre

Mais matérias de Emanuel Seagal.