Blind Guardian: álbum com orquestra é a "obra prima" da banda, diz Hansi Kürsch

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Igor Miranda, Fonte: That Drummer Guy/ Blabbermouth
Enviar correções  |  Ver Acessos

O vocalista Hansi Kürsch classificou o novo álbum do Blind Guardian, "Legacy of the Dark Lands", como "a obra-prima da banda". O disco, que traz Kürsch e o guitarrista André Olbrich ao lado de uma orquestra, foi lançado na última sexta-feira (8) pela Nuclear Blast, com edição nacional da Shinigami Records.

Demons & Wizards: banda libera "Midas Disease", mais uma inéditaHá quem goste: As 10 bandas mais odiadas do universo

Em entrevista ao That Drummer Guy, com transcrição do Blabbermouth, o cantor disse: "'Legacy of the Dark Lands', para mim, é a obra-prima do Blind Guardian e, talvez, a obra-prima de minha carreira. Começamos a fazê-lo em 1996, durante 'Nightfall in Middle-Earth' (1998). Tínhamos duas músicas tão diferentes e decidimos não usá-las em 'Nightfall', mas começar a trabalhar em um novo estilo. Chamamos de 'álbum orquestrado' e 'música orquestrada do Blind Guardian'. Isso nos leva a 2019, quando, finalmente, tudo foi lançado".

Ainda durante a entrevista, o vocalista comentou que sentia que "Legacy of the Dark Lands" nunca seria lançado, já que o projeto foi iniciado há mais de 20 anos. "A primeira vez que realmente anunciei o álbum foi há 10 anos, quando eu tinha certeza de que concluiríamos. Porém, nunca aconteceu, porque o Blind Guardian é algo grande para nós e os álbuns que fizemos nesse período precisavam daquele tempo - não só em produção, mas em turnês e composições. Em 2017, confirmei que o álbum estava para ser finalizado", disse.

A parte mais complicada, segundo Hansi Kürsch, foi "encontrar uma forma de 'conquistar' a orquestra com algo que fosse do agrado" dele. "Isso quase me desesperou. Parecia impossível. Há muita dinâmica e energia em uma orquestra. Cantar com ela foi uma experiência e tanto. Eu estava quase com medo de não conseguir", afirmou.

As músicas foram compostas sem orquestra: Hansi e André Olbrich usaram uma biblioteca programada em um computador. "Era fácil. Sentíamos que minha voz iria se encaixar. Por isso, não usamos uma banda junto da orquestra. Porém, ao trabalhar com ela e ter essas dinâmicas, fiquei impressionado com o poder. Pensei que poderia demorar, com tanta musicalidade envolvida. Tínhamos que ajustar, não só pela voz, mas pela intensidade - para não ficar tão pesado ao estilo Blind Guardian, nem tão 'ópera' para não negar a origem. Encontrar a forma exata de se trabalhar levou uns 6 ou 7 meses", disse.

"Legacy of the Dark Lands" foi iniciado ainda na década de 1990, mas o projeto começou a tomar forma recentemente, com o conceito das letras e algumas melodias sendo feitas. O "empurrão definitivo" foi uma parceria com o escritor Markus Heitz, que lançou um novo livro, "Die Dunklen Lande", no último dia 1° de março. A obra se passa em 1629 e contém uma espécie de prelúdio (história anterior a outra) do álbum.

Ambas as histórias narram a trajetória do mercenário Nicolas e seu envolvimento na Guerra dos Trinta Anos. O enredo começa no livro e tem sequência no álbum, que conta com músicas trabalhadas com arranjos de orquestra e corais de canto.

Blind Guardian: ouça Legacy of the Dark Lands, o aguardado álbum orquestradoBlind Guardian
Ouça Legacy of the Dark Lands, o aguardado álbum orquestrado




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Blind Guardian"


Demons & Wizards: banda libera "Midas Disease", mais uma inédita

Blind Guardian: disco orquestrado surpreende pelo alto nível apresentadoBlind Guardian
Disco orquestrado surpreende pelo alto nível apresentado

Blind Guardian: ouça Legacy of the Dark Lands, o aguardado álbum orquestradoBlind Guardian
Ouça Legacy of the Dark Lands, o aguardado álbum orquestrado

Blind Guardian: Projeto ambicioso, sonho de gravar álbum orquestral se realiza após 20 anosBlind Guardian
Projeto ambicioso, sonho de gravar álbum orquestral se realiza após 20 anos

Blind Guardian: ouça "This Storm", nova música do projeto orquestrado

Blind Guardian: liberada Point Of No Return, primeira música do projeto orquestradoBlind Guardian
Liberada "Point Of No Return", primeira música do projeto orquestrado

Blind Guardian: capa de novo álbum orquestrado é divulgadaBlind Guardian
Capa de novo álbum orquestrado é divulgada

Blind Guardian: Em 1995, banda começa a ganhar o mundoEm 22/03/1993: Blind Guardian lança o álbum Tokyo TalesEm 20/05/2003: Blind Guardian lança o álbum Live

Tolkien: A influência do autor no rock e no heavy metalTolkien
A influência do autor no rock e no heavy metal

Iron Maiden: as relações de Duna com o mundo musicalIron Maiden
As relações de Duna com o mundo musical


Há quem goste: As 10 bandas mais odiadas do universoHá quem goste
As 10 bandas mais odiadas do universo

História do rock: Sexo bizarro, drogas, mortes e outros boatosHistória do rock
Sexo bizarro, drogas, mortes e outros boatos


Sobre Igor Miranda

Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e apaixonado por rock há mais de uma década. Começou a escrever sobre música em 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Atualmente, é redator-chefe da área editorial do site Cifras e mantém um site próprio (www.IgorMiranda.com.br). Também co-fundou o site Van do Halen, para o qual trabalhou até 2013.

Mais matérias de Igor Miranda no Whiplash.Net.

adGooILQ