Matérias Mais Lidas

imagemA fundamental diferença entre Paulo Ricardo e Schiavon que levou RPM ao fim

imagemSystem of a Down: por que Serj Tankian não joga mais nenhum vídeo game?

imagemKiko Loureiro defende surgimento de banda que seria "Greta Van Fleet do Iron Maiden"

imagemOzzy Osbourne diz que está bem aos 73 anos, mas sabe que sua hora vai chegar

imagemOzzy Osbourne é visto caminhando com dificuldade ao sair de estúdio

imagemA simpatia de James Hetfield ao conversar com pais de bebê que nasceu durante show

imagemRobert Trujillo conta como uma abelha e "migué" quase causaram treta com James Hetfield

imagemMetallica faz doação para complexo de saúde e educação em Curitiba

imagemRitchie Blackmore revela como o impactou a chegada de Jimi Hendrix na Inglaterra

imagemLars Ulrich diz que shows do Metallica na América do Sul foram incríveis

imagemLuciano Hang processa vocal do Fresno e quer indenização de R$ 100 mil por danos morais

imagemComo Max Cavalera aprendeu inglês tendo abandonado a escola aos 12 anos de idade

imagemJonathan Davis, do Korn, explica qual seu problema com o Cristianismo

imagemDaniel Cavanagh, do Anathema, sobrevive a tentativa de suicídio

imagemConfira as músicas que o Iron Maiden está ensaiando para turnê que passa pelo Brasil


Stamp

A gritante diferença entre o The Voice Brasil e o gringo, segundo Rodrigo Suricato

Por Gustavo Maiato
Em 16/01/22

O vocalista Rodrigo Suricato ficou famoso em todo Brasil após participar dos programas The Voice Brasil e SuperStar, na Rede Globo. Mas qual será a grande diferença entre a versão brasileira e a versão gringa desse tipo de atração?

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"A grande diferença é que o Brasil não está acostumado com programas que revelem trabalhos mais consistentes. Estamos acostumados com programas que revelam vozes. Com o The Voice e principalmente o SuperStar, foi a primeira vez em muito tempo na televisão brasileira em que as pessoas podiam tocar suas próprias canções ou fazer versões. Pelo menos na 1ª edição, as pessoas sabiam onde queriam chegar. Mesmo um formato montado às pressas. Era a coisa mais louca, não tenho saúde para isso. Você coloca uma bunda de fora muito grande. Tem que cantar uma canção sua, traduzir em 2 minutos, para a pessoa votar no aplicativo comendo pipoca", refletiu.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O assunto foi comentado por Rodrigo Suricato durante sua participação no canal Corredor 5, no YouTube. De acordo com o músico, a abordagem dos jurados também contribui para essa diferença entre as versões desses tipos de programa.

"No SuperStar, tinha pessoas que na verdade eram donas de açougue. Não eram músicos, mas acabou rolando e deu super certo. Eu acho importante desmistificar, estamos de saco cheio de mentira. Ficavam naquele papo de ‘vai lá, siga o seu caminho.’ Se você ver o The Voice lá fora, quando alguém canta, a Christina Aguilera fala assim: ‘Naquele refrão, você podia ir para a voz de peito. Senti que sua interpretação não ficou tão no olho na primeira parte’. Aqui como é? ‘Minha filha, chegou sua hora! Confia em Deus! Lembra de onde você veio! Lembra do seu pai e da sua mãe e vai, arrasa!’. Não pode fazer isso. Por isso que as pessoas se dão mal. Elas chegam nesse programa e vão só cantar. Ela vai botar um ovo lá, gritando e se esgoelando ao máximo. A gente deposita muita credibilidade em programas de entretenimento. Lá fora, o compromisso é botar uma parada bacana. Você ser especialista em algo é melhor do que ser nota 6 ou 7 em tudo. Aquilo que ela é boa, vai melhorar ainda mais. É assim que é feito nos outros países. Eu estive na Globo e posso contar para todo mundo. Quando eu saí do SuperStar tinha paparazzi apontando câmera para mim. Se eu colocar o chapéu, todo mundo me reconhece! Foi onde fisguei o público popular", completou.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp



Sobre Gustavo Maiato

Jornalista, músico e fã. O heavy metal entrou na sua vida há 10 anos e nunca mais saiu. Gosta de estudar o tema e compreender o metal como manifestação cultural.

Mais matérias de Gustavo Maiato.