Iron Maiden: onde anda Thunderstick, baterista da formação de 77?

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Adriano Ribeiro, Fonte: Rock Bottom Argentina, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

O site "Rock Bottom Argentina" publicou uma entrevista, conduzida por Román Gaydukov, com o baterista Barry Purkis, mais conhecido como Thunderstick, que realizou um único show com o IRON MAIDEN em 1977 e mais tarde tornou-se conhecido ao tocar no SAMSON, com o hoje vocalista do Iron Maiden, BRUCE DICKINSON. Abaixo, a tradução do texto tal como foi originalmente publicado em 01 de junho de 2014:

1157 acessosHeavy Metal: os 10 melhores riffs dos anos noventa5000 acessosMegadeth: as 10 maiores tretas de Dave Mustaine

A história de Barry Purkis, que teve uma breve passagem pelo Iron Maiden, quando a banda ainda não era conhecida e se dedicava a tocar no circuito de pubs de Londres, e que tempos depois se converteria no baterista mascarado (e na estrela principal) do Samson, banda que tinha em sua formação nada mais nada menos que um jovem chamado Bruce Dickinson. Depois de roubar a atenção em todas as fotos e em todas as entrevistas, Thunderstick, como era chamado então, seria forçado a sair do Sanson e seguir carreira solo. Uma carreira que, infelizmente, nos deixou um único disco, em meados da década de 80. A seguir, falaremos sobre o passado, presente e futuro com Barry Purkis:

Rock Bottom: Quais são as suas atividades atualmente? Você ainda está envolvido com música?

Barry Purkis (Thunderstick): Sim, eu ainda estou envolvido com música; mais como um hobby do que como uma carreira. Atualmente trabalho com músicos locais, ajudando na organização de materiais e de vez em quando eu vou cuidar da produção. Eu também estou trabalhando lentamente na remasterização do material que eu gravei no meu passado com THUNDERSTICK (a banda).

Rock Bottom: Por que você lançou apenas um álbum em sua carreira solo ("Beauty and the Beasts")? Haverá novos lançamentos da banda Thunderstick?

Barry Purkis (Thunderstick): "Beauty and the Beasts" foi o único álbum lançado na época, mas também gravamos um EP intitulado "Feel Like Rock & Roll?" e um álbum completo, intitulado "Don't Touch I'll Scream", que nunca foram lançados. Eu estou remasterizando este material para lançar em um futuro próximo, tendo em conta também que uma grande quantidade de material foi remasterizada e lançada há um ano e meio, sob o título de "Echoes from the Analogue Asylum".

Rock Bottom: Por que a banda Thundertick se separou?

Barry Purkis (Thunderstick): Devido à natureza da banda, muito teatral, uma grande quantidade de dinheiro foi necessária para mante-la, especialmente em shows ao vivo. Pura e simplesmente, o dinheiro acabou.

Rock Bottom: Falando do passado... Como surgiu a idéia de usar a sua máscara característica? Você tocou com ela no Iron Maiden ou passou a usa-la no Samson?

Barry Purkis (Thunderstick): O personagem Thunderstick foi criado porque naquela época a maioria dos bateristas não tinha rosto, considerando que não havia vídeos, MTV ou mesmo Internet. Portanto, os cartazes e as fotos eram os únicos meios disponíveis para promover bandas. Os vocalistas e os guitarristas sempre eram os que se destacavam mais, considerando que o pobre baterista estava escondido atrás de um conjunto de pratos e da bateria. Então, para dar aquele passo a mais, eu criei o baterista sem rosto - e Thunderstick nasceu. Isso aconteceu quando eu era membro do Samson, o personagem nunca foi usado com o Iron Maiden.

Rock Bottom: Nos anos em que você se tornou a estrela do Samson com sua "identidade secreta", isso criou problemas entre você e os outros integrantes? Essa é a razão pela qual você saiu da banda?

Barry Purkis (Thunderstick): Nos primeiros dias toda publicidade era boa e foi a única maneira de conseguir visibilidade para a banda. Anos mais tarde, sim, era um problema. Eu queria ir além da criatividade teatral, enquanto este não era o plano principal do resto da banda. Portanto, isso levou a uma divisão e eu acabei saindo por esse motivo.

Rock Bottom: Foi o que aconteceu durante a turnê promocional de "Shock Tactics", correto?

Barry Purkis (Thunderstick): Sim, o ponto definitivo de ruptura aconteceu quando Paul Samson e Bruce Dickinson fizeram uma entrevista com a Kerrang e pediram ao jornalista para escrever mais sobre o conteúdo e a integridade musical da banda, em vez de "mais palhaçadas do Thunderstick". Ainda assim, o jornalista baseou toda a sua matéria em "mais palhaçadas do Thunderstick"! Isto criou um racha irreparável dentro da banda. Fora Thunderstick!

Rock Bottom: Uma pergunta bastante controversa: a música "Thunderburst" (do Samson) é creditada a você e co-escrita por Steve Harris, mas "The Ides of March", no álbum "Killers", do Iron Maiden, é creditada somente a Steve. Você escreveu a canção com Steve e ele usou-o sem a sua permissão?

Barry Purkis (Thunderstick): Sim, eu a escrevi com Steve. Eu criei o padrão de bateria e Steve fez o acompanhamento no baixo. Isso foi feito quando eu era um membro do Iron Maiden. Eu tinha uma sala equipada com uma bateria, o que nos permitiu praticar as partes do baixo e da bateria. Quando ela foi gravada para o álbum "Head On" (1980), os créditos como compositor foram meus, e então eu descobri que o Iron Maiden também a gravou, como "The Ides Of March". Ao saber deste fato, tanto o empresário do Iron Maiden como a EMI me convocaram para uma reunião na sede da EMI. Steve Harris, Rod Smallwood e um representante legal estavam presentes e eu, é claro, sem nenhuma representação.

Em termos inequívocos, eles explicaram que Steve Harris seria o co-autor da música do álbum "Head On", enquanto que, sob nenhuma circunstância, eu seria creditado como co-autor em "The Ides Of March". Se eu quisesse contestar isso, eu teria que faze-lo por meios judiciais. Como não havia nenhuma evidência para provar quem tinha escrito o que, embora eu possuísse uma fita onde eu e Steve tocávamos a música em sua fase de composição, eu não tive outra opção senão aceitar as condições como me foram apresentadas.

youtube player
Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube
youtube player
Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

Rock Bottom: Paul Samson disse em uma entrevista que "Children of the Damned", do Iron Maiden, tem um de seus riffs, é verdade?

Barry Purkis (Thunderstick): Havia um monte de material "excedente" do Sanson que foi gravado quando Bruce e eu estávamos na banda. Por material excedente, quero dizer, gravamos muita coisa para nossa própria análise ao escrever novas músicas. Se um dos nossos riffs soa como "Children of the Damned", que assim seja.

Rock Bottom: Na década de 90 o Samson se reuniu para uma turnê no Japão. Por que Bruce (Dickinson) não participou? De quem foi a idéia para a reunião? Somente foram tocar material antigo ou tinham planos para fazer um novo álbum?

Barry Purkis (Thunderstick): É muito desconfortável para mim responder esta questão. A principal razão para a reunião foi porque tínhamos músicas novas e já as tínhamos enviado ao Bruce. Após recebe-las, ele estava muito interessado em uma reunião com o Samson, já que na época Bruce estava em sua carreira solo, fora do Maiden. No entanto, semanas antes dessa reunião, foi anunciado que Bruce estava voltando para o Iron Maiden, finalizando qualquer esperança de uma reunião "verdadeira". Paul (Sanson), Chris (Aylmer) e eu continuamos a escrever material suficiente para um álbum inteiro, nos divertimos tocando como um trio no Japão e, no festival Wacken, tivemos outro vocalista antigo como convidado, Nicky Moore.

O novo material nunca foi lançado como Sanson mas, em sua memória, após a morte de Paul, decidiu-se que o último lote de material gravado deve ser incluído em um álbum póstumo, de solo, intitulado "PS" (as iniciais do nome Paul Samson, em Inglês "post data"). Embora, infelizmente, para mim, nenhuma das minhas gravações de bateria para as músicas serão usadas no álbum.

Rock Bottom: O Samson tocou várias vezes com o Iron Maiden. Vocês eram bons amigos ou as histórias que são contadas que as duas bandas se odiavam são reais?

Barry Purkis (Thunderstick): Era a minha proposta, depois de ter sido membro do Iron Maiden nos primeiros dias, que eles deveriam se juntar a nós (Samson) na primeira turnê NWOBHM intitulada "Heavy Metal Crusade". Claro que havia rivalidade entre as bandas, e que todos trabalhavam forte em busca de reconhecimento, mas não diria que tinha "ódio" entre nós. Afinal, o Iron Maiden sempre gostou bastante do Samson, pois teve dois de nossos bateristas e um vocalista em suas formações: eu, Clive Burr e, claro, Bruce Dickinson.

Rock Bottom: Você esteve por pouco tempo no Iron Maiden, o que você se lembra daqueles dias? Tem algum tipo de relação com Steve Harris hoje?

Barry Purkis (Thunderstick): Não, não tenho nenhuma relação com Steve, além do fato de que nós dois estávamos no funeral de Clive Burr - triste. Quanto ao tempo que eu estava no Iron Maiden era "trabalho em progresso" com nada realmente importante acontecendo, a não ser quando roubaram todo nosso equipamento, que havíamos deixado em nossa van.

Como explicado acima, Steve visitou minha casa regularmente para trabalhar o baixo e a bateria, então provavelmente tinha o "plano mestre" tiquetaqueando em sua cabeça, mesmo naqueles dias. Se eu poderia ter contribuído com a banda? Se poderia estar até hoje na banda? Quem poderia dizer? No entanto, consideram o trabalho que eu tenho feito com várias outras bandas, incluindo Thunderstick e Samson, muito mais importante do que a minha rápida passagem pelo Iron Maiden.

Rock Bottom: Obrigado por tudo, Barry!

Barry Purkis (Thunderstick): Saudações!

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, nos links abaixo:

Post de 01 de julho de 2014
Post de 04 de julho de 2014

Iron MaidenIron Maiden
Show do Ghost é melhor, diz reportagem

1157 acessosHeavy Metal: os 10 melhores riffs dos anos noventa472 acessosIron Maiden: Iron Maiden Ex Libris aborda as letras da donzela436 acessosThunderstick: ex-batera do Samson e Iron Maiden lançará novo disco0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Iron Maiden"

Iron MaidenIron Maiden
A homenagem à Nintendo em "Speed Of Light"

Oh, não!Oh, não!
Clássicos que foram "estragados" pelo tempo

Machine HeadMachine Head
Ouça covers de Sepultura, Pantera, Iron & Metallica

0 acessosTodas as matérias da seção Curiosidades0 acessosTodas as matérias sobre "Iron Maiden"0 acessosTodas as matérias sobre "Samson"0 acessosTodas as matérias sobre "Thunderstick"

MegadethMegadeth
As 10 maiores tretas da história de Dave Mustaine

Collectors RoomCollectors Room
A coleção de Gastão Moreira, ex-VJ do programa Fúria Metal

Separados no nascimentoSeparados no nascimento
Dave Mustaine e Mika Hakkinen

5000 acessosO que os fãs de rock e suas vertentes pedem para beber em um bar?5000 acessosSlash: Comentários sobre Guns, pornstars e Michael Jackson5000 acessosHistória do Rock: dos primórdios aos anos 705000 acessosNME: os 50 álbuns com mais vendas na primeira semana5000 acessosJim Root: ser despedido é "como acabar um namoro"5000 acessosBlind Faith: uma das capas mais polêmicas da história

Sobre Adriano Ribeiro

Adriano Ribeiro é fã xiita do Iron Maiden, daqueles que não perdoa até hoje Bruce e Adrian por terem saído da banda - e não importa se voltaram. Nas horas vagas, tem como hobby conhecer seus ídolos na música, conseguindo com eles fotos e autógrafos.

Mais matérias de Adriano Ribeiro no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online