Jani: "Perdi minha motivação pelo Sonata Arctica"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Karina Detrigiachi, Fonte: BraveWords.com, Tradução
Enviar Correções  

O ex-guitarrista do SONATA ARCTICA, Jani Liimatainen, recentemente concedeu uma entrevista ao BraveWords.com e além de falar sobre sua saída da banda, também comentou sobre o CAIN’S OFFERING, seu atual projeto com o vocalista do STRATOVARIUS, Timo Kotipelto.

Abaixo podem ser conferidos alguns trechos da conversa.

publicidade

Sobre ter deixado o SONATA ARCTICA:

"Esta é uma pergunta interessante, mesmo que eu já tenha escutado-a milhões de vezes (risos). Eu simplesmente não estava mais gostando de estar na banda e então ela começou a parecer um pouco como um trabalho. E eu também queria escrever minha própria música, e no SONATA ARCTICA isso é muito difícil pois o Tony (Kakko, vocalista) é um compositor bastante prolífico. Eu não queria passar por cima dele e eu não sabia se a minha forma de compor caberia no contexto da banda. Percebi também que em certo ponto o SONATA ARCTICA estava ocupando muito do meu tempo e que eu nunca tinha tempo para fazer nada sozinho. Eu comecei a perder a motivação pelo SONATA ARCTICA e isso começou a transparecer no meu relacionamento com os caras da banda. Eu não estava mais aproveitando. Na verdade não houve muito drama.

publicidade

Não é tanto quanto todos gostariam de pensar, pois assim venderia muito mais revistas (risos). Nós meio que crescemos separados."

Sobre o álbum "Unia":

"Dos álbuns que eu gravei com eles, este não é o meu favorito. Na verdade, é o que eu menos gosto. Ele recebeu críticas divididas. Algumas pessoas gostaram e muitas pessoas realmente não gostaram.

publicidade

Eu estou mais inclinado para o lado dos que não gostaram, pois ele é muito experimental para o meu gosto.

Ele como que cruzou a linha que nos definia como ganchos e melodias. Ao invés disso, fomos experimentar um monte de merdas estranhas (risos)."

Sobre o CAIN’S OFFERING:

"Levou algum tempo para obter uma idéia para um álbum de verdade. Acho que na verdade levou um ano e meio ou menos. Comecei a realmente trabalhar nisso em fevereiro de 2008, e então só comecei a conseguir as pessoas certas e as músicas certas e reservar os estúdios. Acho que muitas pessoas se surpreenderão quando ouvirem o álbum. Foi tudo feito por mim. Eu escrevi as letras e as melodias vocais e depois mandei para o Timo (Kotipelto) as demos comigo nos vocais. A partir daí ele as aprendeu e em seguida foi comigo para o estúdio produzir os vocais. Ele fez um trabalho impressionante"

publicidade

Sobre as expectativas dos fãs:

"Provavelmente eles esperam que o CAIN’S OFFERING soe como as minhas bandas anteriores pois, eu tenho esta grande etiqueta na minha testa que diz ‘Tocou no ALTARIA/ Tocou no SONATA ARCTICA’ (risos), então é este tipo de coisa pelo qual eles esperam. Eu realmente não prestei muita atenção a nada disso. Realmente não me importo muito com o que as pessoas vão pensar.

publicidade

Eu estava mais preocupado com a obtenção do diâmetro das canções. Foi muito engraçado porque durante muito tempo, enquanto eu estava fazendo este álbum eu não toquei nenhuma guitarra, pois eu estava concentrado na parte de produção mesmo.

Eu só tinha faixas brutas de guitarra, então quando eu entrei para gravar as faixas de verdade eu estava meio ansioso para ver como ficariam. Fiquei me perguntando se eu seria capaz de fazê-las (risos). Acho que foi uma coisa boa, pois me levou a pensar um pouco fora da caixa e não como em todas as coisas pelas quais eu sou conhecido. É muito mais diversificado do que todas as coisas que eu fiz anteriormente.

publicidade

Este álbum possui coisas de muitas músicas que eu gosto e as coloquei em um liquidificador, e esse foi o resultado.
Se você está esperando por um power metal marcante ou algo como o ALTARIA, você terá um pouco mais que isso."




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Trollagem: quando as bandas decidem zoar com o playbackTrollagem
Quando as bandas decidem zoar com o playback

Cradle Of Filth: Dani Filth explica seu conceito de religiãoCradle Of Filth
Dani Filth explica seu conceito de religião


Sobre Karina Detrigiachi

Designer, nascida na cidade de São Paulo, Kari como é mais conhecida, cresceu ouvindo Deep Purple, Led Zeppelin, Skid Row e Alice Cooper. É apaixonada por todas as vertentes do Metal, porém ouve de tudo um pouco sem se prender a rótulos.

Mais matérias de Karina Detrigiachi no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin