Em 05/03/1984: Yngwie Malmsteen lança o clássico Rising Force

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Paulo Pontes, Fonte: Kontratak Musical
Enviar correções  |  Ver Acessos

Em 5 de março de 1984 um jovem sueco lançava aquele que passou a ser considerado por muitos, um dos melhores álbuns de guitarra de todos os tempos, em uma época em que tocar o maior número de notas possíveis em um menor espaço de tempo era melhor, a fusão de rock e música clássica apresentada por Lars Johan Yngve Lannerbäck, mundialmente conhecido como Yngwie Malmsteen, revolucionou a história da guitarra e colocou tal fusão em um outro patamar.

Ghost: e se Yngwie Malmsteen tocasse em "Dance Macabre"?Iron Maiden: ouça o baixo de Steve Harris isoladamente

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Nascido em 30 de junho de 1963 em Estocolmo, Suécia, Yngwie começou cedo no mundo da música, aos 5 anos já tinha aulas de piano e trompete, mas após ver Jimi Hendrix queimar uma guitarra na televisão em 1967, decidiu que queria se dedicar ao instrumento. Malmsteen também foi altamente influenciado por Richie Blackmore - que também misturava rock com elementos da música erudita -, como o próprio confirmou em entrevista à revista Guitar Player: "Fireball, do Deep Purple, foi o meu primeiro disco, que ganhei quando tinha oito anos de idade. Nunca havia escutado um disco de rock antes e Blackmore foi o primeiro guitarrista que ouvi tocar. Ele foi minha grande inspiração e influencia quando eu era criança".

Yngwie passou por bandas como Steeler e Alcatrazz, mas foi em carreiro solo que realmente decolou. Seu disco de estréia, intitulado "Rising Force", foi lançado em 5 de março de 1984 via Polydor, o trabalho chegou ao número 60 da parada da Billboard, uma marca importantíssima, alem de ter sido indicado ao Grammy como "Melhor Disco de Rock Instrumental". Produzido pelo Próprio Malmsteen em parceria com os engenheiros Les Claypool e Peter Vargo, o álbum traz o estilo inconfundível e o timbre característico do músico, moldado pela combinação de Fender Stratocaster e Amplificadores Marshall.


O sueco cuidou das gravações de guitarra e baixo e foi acompanhado por músicos excelentes, Barriemore Barlow (bateria), Jens Johansson (teclados) e um dos melhores vocalistas de rock de todos os tempos, Jeff Scott Soto, que em apenas duas músicas conseguiu mostrar todo o seu potencial e até hoje é considerado por muitos o melhor cantor que Yngwie teve em sua banda.

A abertura de Rising Force se dá com "Black star", com uma belíssima introdução ao violão, música que tem presença certa nos shows do guitarrista, o mesmo acontece com "Far Beyond The Sun", clássico absoluto de Yngwie, a faixa contém uma das principais ferramentas utilizadas por ele, a escala menor harmônica. Além de ser famoso por sua incrível velocidade, Malmsteen também executa bends precisos e certeiros, com um feeling assombroso.

O álbum todo é perfeito e sensacional, com certeza a melhor fase do sueco, outros destaques são "Evil Eye", " Icarus' Dream Suite Op. 4", que traz uma releitura do adágio de Albinoni e o encerramento do álbum com "Farewell", nesta Malmsteen constrói uma melodia maravilhosa utilizando apenas harmônicos naturais (técnica em que o guitarrista encosta levemente o dedo sobre os trastes da guitarra enquanto palheta a corda).

Apesar de altos e baixos em sua carreira e de ter tido sua melhor fase nos anos 80, Yngwie Malmsteen pode se orgulhar, pois sua estreia foi um marco na história da guitarra, divisor de águas, um trabalho primoroso, inspirado, que influenciou e ainda influencia guitarristas pelo mundo todo. O fato de ser amado por uns e odiado por muitos não tira de Malmsteen a acunha de gênio das seis cordas.

Track-list

1."Black Star"
2."Far Beyond the Sun"
3."Now Your Ships Are Burned"
4."Evil Eye" 5:14
5."Icarus Dream Suite Op. 4"
6."As Above, So Below"
7."Little Savage"
8."Farewell"

Matéria originalmente publicada em:
http://kontratakmusical.blogspot.com.br/




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Fatos ImportantesTodas as matérias sobre "Yngwie Malmsteen"


Ghost: e se Yngwie Malmsteen tocasse em Dance Macabre?Ghost
E se Yngwie Malmsteen tocasse em "Dance Macabre"?

Generation Axe: o G3 de Steve Vai em um belo disco ao vivo

Rock e Metal: as onze covers mais estranhas da históriaRock e Metal
As onze covers mais estranhas da história

Yngwie Malmsteen: veja-o cantar Burn, do Deep Purple, em showYngwie Malmsteen
Veja-o cantar "Burn", do Deep Purple, em show


Iron Maiden: ouça o baixo de Steve Harris isoladamenteIron Maiden
Ouça o baixo de Steve Harris isoladamente

Bateristas: os trinta mais ricos do mundoBateristas
Os trinta mais ricos do mundo


Sobre Paulo Pontes

Nascido em Valinhos, interior de São Paulo, é estudante de jornalismo e iniciou-se no universo do rock ouvindo Guns n' Roses. É fã de Led Zeppellin, Richie Kotzen e Edguy, mas adora o rock em todas as suas vertentes, do Classic Rock ao Black Metal. Depois de escutar o refrão de "Eagle Fly Free" pela primeira vez, passou a curtir muito Power Metal, e achou que jamais iria ouvir um refrão tão bom quanto aquele dentro de tal vertente, realmente estava certo, ainda não ouviu. Casado e pai de duas lindas meninas, também se diverte muito com bons filmes e livros.

Mais matérias de Paulo Pontes no Whiplash.Net.

adGoo336