My Dying Bride: 27 minutos do que fez a banda referência

Resenha - Barghest O' Whitby - My Dying Bride

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Genilson Alves
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Em 1998, o My Dying Bride lançava o álbum “34.788%... Complete”, um divisor de águas na carreira do conjunto inglês. Talvez influenciado pelos experimentos sonoros do Paradise Lost em “One Second”, o então quinteto (já sem o tecladista/violinista Martin Powell) “deixou a imaginação fugir do controle”, nas palavras do vocalista Aaron Stainthorpe.
5000 acessosBon Jovi: Larissa Riquelme dançando com os seios de fora5000 acessosSlayer: "Não sei improvisar", diz Kerry King

Com a resposta negativa tanto do público quanto da crítica, restou à banda promover uma “volta às raízes”, que se deu um ano depois com o ótimo “The Light At The End Of The World”. Atitude oportunista, mas no caso do My Dying Bride foi a decisão mais acertada, como os caras provam em seu mais recente trabalho, o EP “The Barghest O’ Whitby”.

Aqui temos uma única faixa de 27 minutos com todos os elementos que fizeram do My Dying Bride uma referência mundial do death/doom: instrumental pesadíssimo, inclusive nas intervenções de violino, mas ainda melódico, envolvendo o ouvinte em uma atmosfera densa que só a banda consegue criar; andamentos arrastados alternados com passagens mais rápidas e extremas; e a interpretação sempre marcante de Stainthorpe, que desta vez arrisca mais vocalizações no estilo gutural/rasgado, um pouco ausentes nos registros mais recentes do grupo. Outro destaque fica por conta da capa, bem diferente do usual e assinada pelo vocalista.

“The Barghest O’ Whitby” também marca a estreia do violinista/tecladista Shaun Mcgowan e a volta do baterista Shaun Steels como músico de estúdio.

Desde sua “volta às raízes”, o My Dying Bride se tornou um pouco refém da fórmula que criou, mas verdade seja dita, nunca deixou a ousadia e o experimentalismo de lado – vide o polêmico álbum de releituras “Evinta” – e seu estilo sempre foi executado de maneira convincente e com resultados até agora bastante satisfatórios. Resta saber o que a banda, que se encontra em estúdio, reserva para o próximo full-length.

Faixa:
The Barghest O' Whitby

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 10 de maio de 2012

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "My Dying Bride"

Doom MetalDoom Metal
Os trabalhos essenciais segundo o About.com

LoudwireLoudwire
As dez melhores bandas de Doom Metal da história

Já tem 20 anos!Já tem 20 anos!
Os dez melhores álbuns de metal de 1995

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "My Dying Bride"

Bon JoviBon Jovi
Larissa Riquelme dança música com os seios de fora

SlayerSlayer
Kerry King comenta Grammy, Venom, Dimebag, e mais...

SlipknotSlipknot
Mick Thomson esfaqueado em briga com irmão

5000 acessosGuitarra: em vídeo, o solo mais destrutivo que você já viu5000 acessosFotos de Infância: Bruce Dickinson, do Iron Maiden5000 acessosVersões originais: 10 músicas que foram "tomadas" emprestadas5000 acessosSlayer: Kerry King acha que Black Metal norueguês é uma merda4964 acessosNirvana: Dave Grohl dormiu enquanto assistia documentário5000 acessosRatos de Porão: Jão desmente informação da Veja

Sobre Genilson Alves

Genilson Alves é jornalista e autor do blog Radio Sehnsucht.

Mais matérias de Genilson Alves no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online