Resenha - Until the Light Takes Us - Vários

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Christiano K.O.D.A.
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Eis o famoso documentário que conta um pouco das origens do black metal norueguês, local que abrange a cena do estilo mais famosa do planeta. O vídeo tem como personagens principais Fenriz (Dark Throne), mostrando seu cotidiano, e Varg Vikernes (Burzum), que depõe no período em que esteve preso pelo assassinado de Euronymous.

5000 acessosSlayer: Gary Holt é realmente um cara mal-agradecido5000 acessosCristina Scabbia: cantora fala sobre seus seios e Playboy

Feitas as devidas apresentações, vamos ao registro, que mostra muitas imagens das ruas e do cotidiano da Noruega, mas o recurso é usado demais e acaba sendo desnecessário. Dá a impressão de que estão lá só para aumentar a duração do produto.

Obviamente que não poderiam ficar de fora as cenas das igrejas incendiadas pelo Inner Circle, assunto bastante tratado ao longo das filmagens.

Mas vamos a outras curiosidades dessa cena. Muitos talvez não saibam, mas Vikernes inventou a “necro-música”. É, o cara escolheu os piores instrumentos e equipamentos de gravação para registrar seu som. O resultado? Bom, aquele som cru da Burzum que marcou a cena black metal no início dos anos 90.

Passam também por uma das maiores características do movimento, os corpse paints. Sim, eles foram um dos pioneiros da pintura! Vai me dizer que não esperava por isso?

Mais fatos interessantes: Dead, ex-integrante da Mayhem, é considerado o primeiro vocalista a incorporar um personagem em cima do palco. Sim, as loucuras teatrais do cantor fizeram escola. Ah, e Euronymous, também ex-membro (sério mesmo?) da banda, foi o criador do estilo norueguês em fazer riffs black metal, uma técnica curiosa.

Vale dizer que, além de Fenriz e Vikernes, o doc conta também com entrevistas de ilustres músicos do cenário: Hellhammer (Mayhem), Abbath e Demonaz (Immortal), Frost (Satyricon) e outros.

O capítulo do suicídio de Dead é mórbido. Vikernes e Hellhammer contam como Euronymous foi tirar aquela foto maldita, que se tornou capa do CD pirata ao vivo “Dawn of Black Hearts”. Impressionante até onde vai o sangue frio do ser humano.

Já em relação ao assassinato da figura mais assustadora e carismática do black metal, o citado Euronymous, conhecemos a versão de Vikernes para o fato. O líder da Burzum alega legítima defesa. E mais outra curiosidade: na obra audiovisual aparecem imagens surpreendentes do julgamento do assassino, que também foi condenado por uma série de incêndios criminosos a igrejas norueguesas. O que causa calafrios é ver o cara com uma expressão amena, e até sorrindo em alguns momentos. Coisas do black norueguês.

Bom, e não poderia deixar de falar (e novamente me assustar) com um show freak de Frost no final do DVD. Não digo mais nada.

O documentário não traz respostas, apenas expõe fatos. Cada um tem sua verdade, e cabe ao espectador fazer sua própria interpretação dos depoimentos. “Until the Light Takes Us” é sem dúvida item obrigatório para qualquer amante de música, extrema ou não, já que se trata de um dos capítulos mais obscuros de toda a cena musical. Boa ou ruim isso é história das mais importantes.

youtube player
Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs

SlayerSlayer
Gary Holt é realmente um cara mal-agradecido

Cristina ScabbiaCristina Scabbia
Cantora fala sobre seus seios e Playboy

Fascínio pelo terrorFascínio pelo terror
Cinco bandas que dão medo

5000 acessosKirk Hammett: "Mustaine toca rápido e eu, melódico"5000 acessosAngra: banda errou na escolha de Fabio Lione?5000 acessosShaman: baixista desabafa sobre cena brasileira5000 acessosNirvana: Polícia de Seattle libera novas fotos do corpo de Cobain3843 acessosMetaleiro: popularizado no 1º RIR, termo continua polêmico4566 acessosSteven Adler: é difícil para ele ver o Frank Ferrer tocar suas músicas

Sobre Christiano K.O.D.A.

Um cara diretamente ligado ao Som Extremo, fã de livros e filmes, formado em Imagem e Som, Publicidade e Propaganda e Jornalismo. Faz parte da banda de grindcore Prey of Chaos e tem um blog dedicado à música barulhenta. Enfim, alguém que faz da música sua vida.

Mais matérias de Christiano K.O.D.A. no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online