Mayhem: Black Metal gelado, sujo e pesado

Resenha - Ordo Ad Chao - Mayhem

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo Seelig
Enviar Correções  

publicidade


Há muito tempo falar do Mayhem não é apenas falar de uma banda de Black Metal. A carreira dos caras, rica em detalhes, lendas e histórias, transformou os noruegueses em figuras quase míticas. "Ordo Ad Chao", novo trabalho do grupo, resgata um pouco essa história, apresentando em pleno 2007 uma sonoridade extremamente próxima do clássico "De Mysteriis Dom Sathanas", lançado em 1993 e que contava com a participação de duas figuras lendárias do Black Metal norueguês: o guitarrista Euronymous e seu algoz, o baixista Varg Vikernes (Burzum).

publicidade

Um pouco desse resgate está no fato de "Ordo Ad Chao" marcar a volta do vocalista Attila Csihar à banda após um longo período em que o Mayhem teve como frontman Maniac (Attila era o vocalista da banda na época do lançamento de "De Mysteriis Dom Sathanas"). Outro ponto está na produção suja e abafada, na mesma linha dos clássicos discos lançados pelas bandas norueguesas no início da década de noventa.

publicidade

Melodias tétricas e sombrias permeiam as músicas, intercaladas por momentos onde a pancadaria corre solta. O que se ouve em "Ordo Ad Chao" é um Black Metal gelado, sujo e pesado, bem "old school" mesmo, na linha da já citada escola norueguesa.

"Ordo Ad Chao" mantém a tradição, a força e a aura mítica em torno do Mayhem. Indicado não apenas para quem gosta de música extrema e profana, mas também para quem quer conhecer as raízes e a história de um dos mais importantes e influentes grupos do Black Metal.

publicidade

Faixas:
1. A Wise Birthgiver
2. Wall Of Water
3. Great Work Of Ages
4. Deconsecrate
5. Illuminate Eliminate
6. Psychic Horns
7. Key To The Storms
8. Anti


Outras resenhas de Ordo Ad Chao - Mayhem

Mayhem: surreal, denso e de um frenesi mórbido e doentio


WhiFin WhiFin WhiFin