Tradução - Tunes Of War - Grave Digger

WHIPLASH.NET - Rock e Heavy Metal!

Tradução - Tunes Of War - Grave Digger

Traduzido por Fernando P. Silva

  | Comentários:
Imagem

“Tunes of War”, de 1996, é um álbum conceitual baseado na história da Escócia. Aborda, de forma cronológica, os momentos históricos mais importantes do país; como sua unificação no começo do século XI, as lutas pela independência lideradas por William Wallace e Robert the Bruce, as principais batalhas contra a Inglaterra e a trajetória dos principais reis e descendentes da família Stuart, a dinastia que governou o país por quase três séculos. “Tunes of War” traz ainda alguns dos maiores clássicos do Digger como "Scotland United", "Dark of the Sun" e "Rebellion".

SCOTLAND UNITED

Malcolm King
Scots follow you
Into battle
We will go

Conquer Lothian
To the river Forth
Overcome the Angles
Win the war

Defeated Ecgfrith
At Nectan's Mere
Subdued the picts
We feel no fear

Forge a kingdom
Take you down
Cut to pieces
In blood you'll drown

Fires in the sky
We saw for 30 days they shone
Fate is on our side forever
Win the Scottish throne

Chorus:
United, united, we stand
United-united, forever and ever

Into battle
Kill and fight
Forge a kingdom
Scotland united

Malcolm King
You won the right
Take the throne
Scotland united

It's the year 1018
March for your country
To the battle of Carham
And we will spell history

ESCÓCIA UNIDA

Rei Malcolm
Os Escotos te seguem
Rumo à batalha
Nós iremos

Conquistar Lothian
Para o rio Forth
Derrotar os Anglos
Vencer a guerra

Derrotamos Ecgfrith*
No Lago de Nectan
Subjugamos os Pictos
Não sentimos medo

Forjamos um reino
Te derrubamos
Cortado aos pedaços
Em sangue você se afogará

Fogos no céu
Durante 30 dias nós os vimos brilhar
O destino está ao nosso lado para sempre
Conquistamos o trono Escocês

Refrão:
Unidos, unidos, nós estamos
Unidos-unidos, para todo o sempre

Na batalha
Mate e lute
Forje um reino
Escócia unida

Rei Malcolm
Você ganhou o direito
Assuma o trono
Escócia unida

É o ano de 1018
Marche pelo seu país
Para a batalha de Carham
E nós entraremos para a história

* Pictos, Escotos e Anglos, assim como os Saxões e Bretões não citados na letra, são os povos que, ao longo dos séculos, se estabeleceram em território escocês e fizeram parte do processo de formação da Escócia. No começo do século XI, o território escocês era dividido em reinos, como o de Alba ao norte (habitado por Pictos e Escotos), Lothian no leste (Anglos e Saxões) e Strathclyde no sudeste (Bretões). No ano de 1018 a Inglaterra resolveu invadir e se apropriar de Lothian, região que era habitada, em sua maioria, por ingleses. Tropas foram enviadas para tomar Lothian, mas foram massacradas pelos escoceses numa batalha às margens do Rio Tweed, na cidade de Carham, nordeste da Inglaterra. Os escoceses, na ocasião, foram liderados pelo Rei Malcolm II (Rei dos Escotos), e a partir desta vitória a Escócia tornou-se um reino unificado, sob o comando do próprio Malcolm II.

* Ecgfrith era o Rei da Nortúmbria (antigo reino Anglo-Saxão no norte da Inglaterra), morto em 20 de maio de 685 numa batalha contra os Pictos, às margens do Lago Nectan.

THE DARK OF THE SUN

Get your steel brothers
We must fight
Hakon tries to steal
Scottish right
Norwegian soldiers on our land
Steal our Islands
We must defend
Their number's too great
We can't win
God in heaven
Send a sign

Kneel and pray - the sun turns black
God with us - we must attack

Chorus:
In the dark of the sun (4x)

Alex king you did win the day
You bet Hakon and
Proud Norway
We swept them off the battlefield
In their blood they lie
Death is sealed
Their king died on foreign land
United we were strong
We did stand

(Chorus)

In the dark of the sun
The enemy's defeated run
In the dark of the sun
The battle has been won

A ESCURIDÃO DO SOL

Una seus irmãos de aço
Nós temos que lutar
Hakon tenta roubar
O que pertence aos escoceses
Soldados noruegueses em nossa terra
Roubam nossas Ilhas
Nós temos que defender
Eles estão em maior número
Não podemos vencê-los
Deus do céu
Envie um sinal!

Ajoelhe e reze - o sol escurece
Deus conosco - nós temos que atacar

Refrão:
Na escuridão do sol (4x)

Rei Alex você alcançou a vitória
Com certeza Hakon e a
Noruega prepotente
Nós os varremos do campo de batalha
Eles jazem no próprio sangue
A morte está selada
O rei deles morreu em terra estrangeira
Unidos nós éramos fortes
Nós resistimos

(Refrão)

Na escuridão do sol
O inimigo foge derrotado
Na escuridão do sol
A batalha foi ganha

* A letra fala sobre as invasões dos vikings noruegueses às ilhas escocesas de Orkney, Shetland e Hebrides, por volta do século VIII, que só foram expulsos de lá somente a partir de 1249, quando o Rei Alexander III lançou uma série de ataques contra os nórdicos invasores. Estes ataques foram tão severos que provocaram a ira de Hakon Hakonson, Rei da Noruega, que no verão de 1263 navegou até a Escócia com o intuito de invadi-la. Sua frota gigantesca aportou em Largs no dia 10 de agosto. Mas o Rei Alexander conseguiu negociar habilmente com o inimigo, atrasando seu encontro até outubro, quando uma súbita tempestade de outono destruiu a frota escandinava. Vários navios foram destroçados e outros ficaram encalhados na costa de Largs. A batalha em si foi em pequena escala, ambos os reis não participaram. Hakon fugiu para outras regiões escocesas, onde veio a falecer em Kirkwall (nas Ilhas Orkney) em 16 de dezembro. Seu corpo foi enterrado na Catedral de St. Magnus e mais tarde, na primavera, transportado para a Noruega.

WILLIAM WALLACE (BRAVEHEART)

I don't wanna be a hero
But I'll stand and never kneel
Freedom is well worth a dying
Come we'll fight with heart and steel
Beat the English at Stirling brigde
I will guard the Scotish throne
I myself skinned Cressingham
In his own blood he did drown

Chorus:
Fight - Freedom we fight
Stand - Scotland's pride

I am just a simple man
I'm afraid to meet my end
Braveheart they call me
If they knew if they could see
Edward's out to seek revenge
His army's great his soldiers strong
Come with me to fight at Falkirk
Send them back where they belong
I don't have the blood of kings
But I'd die for Scotland's pride
Even nobles follow me
Into battle side by side
Nightmares haunt my lonely nights
I must be strong and I must fight
Braveheart they call me
If they knew if they could see

Vengeance burns a raging anger
I have lost the fear to die
Braveheart that's what I am
I kill until my blood runs dry
The lust for battle in my veins
Inspires me to take your life
Braveheart that's what I am
I kill until my blood runs dry

WILLIAM WALLACE (CORAÇÃO VALENTE)

Eu não quero ser um herói
Mas eu resistirei e nunca irei me ajoelhar
A liberdade é digna de morte
Venha, nós lutaremos com o coração e aço
Derrotaremos os Ingleses na ponte de Stirling
Eu guardarei o trono Escocês
Eu mesmo esfolei Cressingham
Ele sufocou no próprio sangue

Refrão:
Lutem – Liberdade nós lutamos
Defendam – o orgulho da Escócia

Eu sou apenas um homem simples
Eu tenho medo de conhecer meu fim
Coração Valente eles me chamam
Se eles soubessem, se eles pudessem ver
Edward está aqui em busca de vingança
Seu exército é grande, seus soldados fortes
Venham comigo lutar em Falkirk
Mandá-los de volta para o seu lugar
Eu não tenho o sangue dos reis
Mas eu morreria pelo orgulho da Escócia
Até mesmo os nobres me seguem
Rumo à batalha lado a lado
Pesadelos assombram minhas noites solitárias
Eu devo ser forte e eu devo lutar
Coração Valente eles me chamam
Se eles soubessem, se eles pudessem ver

A vingança queima, uma raiva incontrolável
Eu perdi o medo de morrer
Coração Valente, é isso que sou
Eu mato até meu sangue secar
O desejo da batalha em minhas veias
Me inspira tirar sua vida
Coração Valente é isso que sou
Eu mato até meu sangue secar

* William Wallace foi o grande líder e expoente máximo da luta pela independência da Escócia. Suscitou em seu povo os ideais de justiça e liberdade contra toda a tirania imposta pelo rei inglês Edward I. Lutou contra os ingleses contando com imenso apoio das camadas populares e até dos nobres escoceses (estes, porém, acabariam se subordinando aos interesses do rei inglês). Juntamente com Andrew Murray, assumiu o controle das forças rebeldes que haviam se espalhado pelo país. Em março de 1298, Wallace foi feito cavaleiro, possivelmente por Robert the Bruce, e designado como Guardião da Escócia. Derrotaram os ingleses na ponte que liga ao Castelo de Stirling (onde Murray foi morto) mas sofreram uma grande derrota em Falkirk, em julho. Wallace renunciou como Guardião e acredita-se que tenha ido viver na França. Quando retornou em 1305, foi capturado pelos soldados de Edward perto de Glasgow. Traído por seu conterrâneo John Mentieth, ele foi levado imediatamente para Londres, onde foi executado em 23 de agosto. A morte de Wallace incutiu um sentimento de revolta e ao mesmo tempo de estímulo e exemplo para todo o povo escocês, para que jamais desistissem de lutar pela liberdade. Sua história foi contada no cinema através do filme “Coração Valente” estrelado por Mel Gibson.

THE BRUCE

He came in the dark night
Few men at his side
Black Douglas' arm for the Bruce
They could not loose
Stab Red Conym down
He won't wear a crown
Fight and kill
We will win the Battle of Louden Hill

The heart of a lion
The blood of kings
A sword like thunder
Death he will bring

Chorus:
I am The Bruce - The King The Lion
I am The Bruce - The Master of war
March against me - pay in blood
I rule forevermore

The Bruce was crowned at Scone
His glory shone
Still the English are marching
We'll meet them at Sterling

One 'gainst three we stand
Fight for your land
The Battle of Bannockburn
A lesson they did learn

THE BRUCE

Ele chegou no breu da noite
Poucos homens ao seu lado
A tropa de Black Douglas ao dispor de Bruce
Eles não puderam disparar
Apunhalou Red Conym
Ele não usará uma coroa
Lutar e matar
Nós venceremos a Batalha de Louden Hill

O coração de um leão
O sangue dos reis
Uma espada feito trovão
Morte ele trará

Refrão:
Eu sou The Bruce - O Rei, O Leão
Eu sou The Bruce - O Senhor da guerra
Marche contra mim - pague em sangue
Eu governo para todo o sempre

The Bruce foi coroado em Scone
Sua glória brilhou
Os Ingleses ainda estão marchando
Iremos encontrá-los em Stirling

Um contra três, nós estamos
Lute por sua terra
A Batalha de Bannockburn
Uma lição que eles aprenderam

* Assim como William Wallace, Robert the Bruce também é considerado um herói nacional. Após a renúncia de Wallace como Guardião da Escócia, The Bruce assumiu o posto mas antes eliminou um velho inimigo do caminho, seu primo John Comyn, apunhalando-o no altar em Dumfries. Com a morte de Wallace em 1305, tornou-se definitivamente o grande líder da luta escocesa. Coroou-se Rei da Escócia, no Palácio de Scone, em 1306. No ano seguinte, o rei inglês Edward I contra-atacou e Bruce foi deposto, sendo obrigado a fugir para as highlands, ao norte. Em 1314 conquistou uma vitória histórica na Batalha de Bannockburn, próxima ao Castelo de Stirling. Mesmo inferiores numericamente, os escoceses impuseram uma derrota expressiva aos ingleses, expulsando-os de seu território. Em 1323, Bruce selou uma trégua de 13 anos com o rei Edward II. Porém, quando Edward III chegou ao poder em 1327, a guerra eclodiu mas os escoceses venceram outra vez. Finalmente, em 1328, através do tratado de Northampton, os ingleses reconheceram a Independência da Escócia. Robert the Bruce tornou-se Robert I, Rei da Escócia. Morreu um ano depois, acometido por lepra, sendo sucedido por seu filho David II.

THE BATTLE OF FLODDEN

Goodbye my love, I leave my fate to the king
I must be off to battle, fortune it may bring
Fortune for the nobles
Death and Pain, life will be sold

Goodbye my love, I must fight and I may die
The king is calling, I must obey
Why do we have to kill?
The Reaper laughs, I hear him still

Screams above the battlefield
Steel and Blood a fate is sealed
The harvester of Death is out
Can't you hear him scream aloud?

Chorus:
Into the battle, into the battle
Can't you hear the screams from Flodden Hill?

September the 3rd of fifteen thirteen
We met the English at Flodden Hill
God knows we gave it all
A damned day, I saw many fall

I stood with my king and he fought like hell
Pierced with arrows, he finally fell
With the king fell Scotland's Pride
A damned day, so many died

A BATALHA DE FLODDEN

Adeus meu amor, eu entrego meu destino ao rei
Eu devo partir para a batalha, fortuna ela pode trazer
Fortuna para os nobres
Morte e Dor, a vida será vendida

Adeus meu amor, eu tenho que lutar e talvez eu morra
O rei está chamando, eu tenho que obedecer
Por que temos que matar?
O Anjo da Morte sorri, eu ainda o ouço

Gritos sobre o campo de batalha
Aço e Sangue, um destino está selado
O ceifeiro da Morte está lá fora
Não consegue ouvi-lo vociferar?

Refrão:
Na batalha, na batalha
Não consegue ouvir os gritos vindos de Flodden Hill?

3 de Setembro de 1513
Nós encontraremos os ingleses em Flodden Hill
Deus sabe que nós demos tudo
Um dia maldito, eu vi muitos sucumbirem

Eu permaneci com meu rei e ele lutou como pôde
Atingido pelas flechas, ele finalmente caiu
Com o rei caiu o Orgulho da Escócia
Um dia maldito, muitos morreram

* A Batalha de Flodden foi travada no norte da Inglaterra em 9 de setembro de 1513, entre o exército escocês liderado pelo Rei James IV e um exército inglês liderado por Thomas Howard. O intuito dos escoceses, posicionados previamente em Flodden, era invadir a Inglaterra com a ausência de seu rei, Henrique VIII. O auge da batalha ocorreu quando os schiltrons escoceses (grupos de homens armados com lanças viradas para todas as direções, formando uma defesa como a de um porco-espinho) abriram mão da defensiva em território alto para o combate corpo-a-corpo com os ingleses, cujos soldados empunhavam uma arma devastadora (uma espécie de alabarda) que era muito mais poderosa para uma disputa do que as lanças escocesas, pouco aperfeiçoadas. No embate sangrento, os escoceses foram cercados e esfacelados. A reserva escocesa conduzida pelo Duque de Argyll (que pagaria por esta indolência com sua cabeça muitos anos depois) assistia tranqüilamente enquanto o rei, seu exército e muitos de seus nobres eram dizimados. No total, mais de 10.000 homens foram mortos.

THE BALLAD OF MARY
(QUEEN OF SCOTS)

My fingers touch the solid stones
Strong and cold, they keep me from home
Imprisoned like a wingless dove
Far away from the land I love

Lonely days count lonely years
I have cried a thousand tears
All that I tried to gain
Is lost the effort was in vain

At Carberry hill I lost my crown
My husband fled my luck went down
In England's hands I fell
18 years a living hell

The Scottish crown belongs to me
Yet I'm bound I cannot flee
With iron claws England holds tight
All is lost no chance to fight

Silence - Silence Everywhere

Chorus:
Cold walls are my reward
Loneliness engulfs my soul
I've been true I gave my heart
Stained tears I cried
I long to be free again
To walk in peace again
Scotland cries her queen is lost
Agony's her friend again

A BALADA DE MARY
(RAINHA DOS ESCOCESES)

Meus dedos tocam as paredes sólidas
Resistentes e frias, elas me mantêm longe de casa
Aprisionada como uma pomba sem asas
Longe da terra que eu amo

Dias solitários formam anos solitários
Eu chorei lágrimas incontáveis
Tudo aquilo que eu tentei ganhar
Está perdido, o esforço foi vão

Nas colinas de Carberry eu perdi minha coroa
Meu marido fugiu, minha sorte me abandonou
Nas mãos da Inglaterra eu sucumbi
18 anos um inferno de viver

A coroa Escocesa pertence a mim
Ainda estou aprisionada, não consigo fugir
Com mãos de ferro a Inglaterra me prende
Tudo está perdido, sem chance de lutar

Silêncio – Silêncio em toda parte

Refrão:
Paredes frias são minha recompensa
A solidão envolve minha alma
Eu fui fiel, entreguei meu coração
Lágrimas maculadas eu chorei
Eu desejo ser livre novamente
Para andar em paz novamente
A Escócia chora, sua rainha está perdida
A agonia é sua amiga novamente

* Mary Stuart (1542-1587) era filha de James V, Rei da Escócia. Embora possuísse outros irmãos, herdou o trono com a morte do pai, em 1546. Por ser menor, foi enviada a França, onde juntamente com as filhas do rei recebeu educação em Saint Germain. Seu casamento com Francisco II a fez Rainha da França. Com a morte prematura do marido, retornou a Escócia onde encontrou um ambiente dos mais hostis. Tentou restaurar o catolicismo, pois a Reforma Protestante estava então no auge. Foi considerada proscrita pela Casa dos Comuns, em junho de 1567, e teve que se refugiar no Castelo de Loch Leven onde abdicou em favor de seu filho, que tomou o título de James VI. Fugiu então para a Inglaterra, sofrendo a dureza de severo cativeiro, imposto por sua prima, a rainha Elizabeth Tudor. Havia entre elas uma longa rixa, pois o trono inglês pertencia de fato a Mary Stuart, por direito de sucessão. Viveu encarcerada por 18 anos. Seu filho, então com 21 anos e em plena posse da autoridade, nada fez para salvá-la. Foi executada em 8 de fevereiro de 1587, sob a acusação de conspirar contra Elizabeth.

THE TRUTH

Tonight I had a weird dream
I saw a demon eating men
He crushed Skulls to dust
His eyes filled with a black lust

The demon rules the battlefield
Religion rules with pain and steel

God is love
Hell is open

Chorus:
Searching for the truth
Searching for eternal life
Searching for the truth
You reach heaven but you're
Headed for hell

I've seen brother fighting brother
I've seen friends kill each other
Love is preached to mankind
Just believe death you'll find

A VERDADE

Esta noite eu tive um sonho estranho
Eu vi um demônio devorando os homens
Ele esmagava os crânios a pó
Seus olhos cheios de um desejo obscuro

O demônio rege o campo de batalha
A religião rege com dor e aço

Deus é amor
O inferno está aberto

Refrão:
Buscando a verdade
Buscando a vida eterna
Buscando a verdade
Você alcança o paraíso mas você está
Rumo ao inferno

Eu vi irmão lutando contra irmão
Eu vi amigos matando um ao outro
Amor é pregado para a humanidade
Só acredite na morte que você encontrará

CRY FOR FREEDOM (JAMES THE VI)

My king won another crown - for Scotland's pride
That is what we thought but we were not right
Now he rules in London - a faceless king
Sold his ancient kingdom to the enemy

Five laws
You gave at Perth
Betray the rights
We gained by birth

Chorus:
Cry, cry, cry, cry for freedom

The heritage of centuries - you did betray
The blood of Bruce flowing in your veins
How could you give away?
What Braveheart died for?
Freedom may be lost now
And forever more

You gain a crown
We pay the price
You think you rule
But we will rise

CLAME PELA LIBERDADE (JAMES VI)

Meu rei ganhou outra coroa - pelo orgulho da Escócia
Isso é o que pensávamos, mas não estávamos certos
Agora ele governa em Londres - um rei sem face
Vendeu seu antigo reino ao inimigo

Cinco leis
Você se entregou em Perth
Traiu os direitos
Que ganhamos de nascença

Refrão:
Clame, clame, clame, clame pela liberdade

A herança de séculos - você traiu
O sangue de Bruce fluindo em suas veias
Como pôde se entregar?
A troco de que o Coração Valente morreu?
A liberdade pode estar perdida agora
E para todo o sempre

Você ganha uma coroa
Nós pagamos o preço
Você acha que governa
Mas nós nos ergueremos

* Quando Mary Stuart foi forçada a abdicar em 1567, seu filho James VI foi declarado rei com apenas um ano de idade. Uma sucessão de regentes governou o país até que ele completasse 21 anos. James, ao tomar posse como rei, nada fez para tirar sua mãe da prisão (encarcerada havia 18 anos) ou impedir sua execução, pois havia formado uma aliança política com sua prima Elizabeth I, rainha da Inglaterra e inimiga de sua mãe. Elizabeth morreu não deixando herdeiros, assim, em 1603, James VI passou a ocupar o trono inglês, se auto-proclamando James I, Rei da Inglaterra. Havia ainda nessa época uma enorme hostilidade entre escoceses e ingleses, e o fato de James ter se tornado rei da Inglaterra e se mudado para Londres, unindo as duas coroas, gerou grande descontentamento entre seu povo.

KILLING TIME

By God's Grace
I'm the king
James the 7th
Obey or death I bring

I hunt the Convenanters down
The Wigtownshire martyrs drown

Sixteen eighty five
The Black Year

Chorus:
Killing time
Believe in me or you must die
Killing time
Hang the victims hang them high

James Stewart reigns
Blood on his hands
His people tortured
By his own commands
Revolution sweet revenge
Hunt the tyrant off the throne

Sixteen eighty eight
The fall of The House of Stewart

Chorus:
Killing time
Kill the tyrant he must die
Killing time
Hang the victims hang them high

TEMPO DE MATAR

Pela graça de Deus
Eu sou o rei
James VII
Obedeça ou morte eu trarei

Eu caço os Presbiterianos
E afogo os mártires de Wigtownshire

1685
O Ano Negro

Refrão:
Tempo de matar
Acredite em mim ou você deve morrer
Tempo de matar
Enforque as vítimas, enforque-as no alto

James Stewart reina
Sangue em suas mãos
Seu povo torturado
Por suas próprias ordens
Revolução doce vingança
Caçar o tirano e tirá-lo do trono

1688
A queda da Casa dos Stewart

Refrão:
Tempo de matar
Mate o tirano, ele tem que morrer
Tempo de matar
Enforque as vítimas, enforque-as no alto

* James VII (1633-1701) foi o último rei da dinastia Stuart. Neto de James VI, herdou a coroa inglesa em 1685, tomando o título de James II, Rei da Escócia, Inglaterra e Irlanda. Governou, no plano político e administrativo, de modo absolutista e autoritário; e no religioso, deixava claro sua preferência pelo catolicismo, entregando aos católicos os principais cargos públicos e postos do exército, o que levou o Parlamento inglês a derrubá-lo através de um golpe em 1688, imposto pelo príncipe holandês Guilherme de Orange, que invadiu Londres com seu exército e sem resistência alguma destituiu o monarca, que teve de fugir para a França onde foi acolhido pelo rei Luís XIV. Esse golpe de Estado ficou conhecido como Revolução Gloriosa. Outro fator que contribuiu para a queda de James II, foi o nascimento de seu filho, James Francis Edward Stuart, já que muitos de seus oponentes temiam uma sucessão católica na coroa inglesa.

REBELLION (THE CLANS ARE MARCHING)

Rumors know that rebellion will break out
Bonnie Prince Charles is in the highlands
To claim his crown no doubt
He raised his Standart at Glenfinnen
Calling to our pride
The Jacobites are gathering
I'll be at their side

Armed and ready stand
My rights I must defend
Steel is in my hand

The clans are marching ‘gainst the law
Bagpipers play the tunes of war
Death or glory I will find
Rebellion on my mind

The town of Edinburgh fell soon in our hands
Defeated the English at the Battle of Prestopans

REBELIÃO (OS CLÃS ESTÃO MARCHANDO)

Rumores dão conta que a rebelião eclodirá
Bonnie Prince Charles está nas highlands*
Para reivindicar sua coroa, seguramente
Ele ergueu seu Estandarte em Glenfinnen
Evocando nosso orgulho
Os Jacobitas estão se reunindo
Eu estarei ao lado deles

Armado e preparado
Meus direitos eu tenho que defender
O aço está em minha mão

Os clãs estão marchando contra a lei
O tocador de gaita de foles toca as melodias de guerra
Morte ou glória eu encontrarei
Rebelião em minha mente

A cidade de Edimburgo logo ruiu em nossas mãos
Derrotamos os Ingleses na Batalha de Prestopans

* Highlands = Uma das três regiões naturais na qual o território escocês é dividido de norte a sul, composto pelas Central Lowlands (Terras Baixas Centrais), as Southern Uplands (Planaltos do Sul) e as Highlands (Terras Altas), que correspondem à metade do norte da Escócia.

* Anos após a Revolução Gloriosa, que depôs James II e o obrigou a fugir para a França, o príncipe James Francis Stuart retornou a Escócia onde um grupo de Jacobitas organizava um levante em seu favor. Jacobitas era o nome dado aos ingleses e aos clãs de escoceses partidários da família dos Stuarts. Seu objetivo era depor o Rei George II (protestante) e restaurar a antiga dinastia Stuart (católicos). Mas, após uma batalha indecisa com as forças governamentais em 1715, os Jacobitas se renderam em Preston, Inglaterra, e os Stuarts tiveram que retornar ao exílio na França. Em 1745, um novo levante foi organizado pelos Jacobitas, desta vez liderado por Bonnie Prince Charles (filho de James Francis Stuart). Contando com uma força de 5.000 homens, ele chegou à Escócia em julho daquele ano e em setembro tomou a capital Edimburgo. Derrotou os ingleses em Prestopans e após uma longa espera, invadiu a Inglaterra em 8 de novembro, avançando até a cidade de Derby, representando uma séria ameaça para Londres.

CULLODEN MUIR

I walk alone through burning towns
My sword is in my hand
But the battle has been lost
And there is nothing to defend
At Culloden in seventeen forty six
Scotland’s fate was sealed

We wrote a bloody history
Wounds that never healed

Chorus:
Fight for death or glory
Fight at Culloden Muir
Die in pain and anger
Die in pain and anger

I still see Gillis MacBean
Standing wounded from the fight
Back to the wall he fought
And thirteen Redcoats died

But the Clans were beaten and destroyed
Their wives are raped in shame
Prince Bonnie's on the fight again
The rising was in vain

We were a people free and brave
Heroes stood tall
But history is merciless
Now we are to doomed to fall

The Battle of Culloden
The end of Scotland

CULLODEN MUIR

Eu caminho solitário por cidades em chamas
Minha espada está em minha mão
Mas a batalha está perdida
E não há nada para defender
Em Culloden em 1746
O destino da Escócia estava selado

Nós escrevemos uma história sangrenta
Feridas que nunca curaram

Refrão:
Lute por morte ou glória
Lute em Culloden Muir
Morra com dor e raiva
Morra com dor e raiva

Eu ainda vejo Gillis MacBean
Parado, ferido pela batalha
De volta a muralha ele lutou
E treze Capas Vermelhas morreram

Mas os Clãs foram derrotados e destruídos
Suas esposas foram estupradas humilhantemente
Prince Bonnie está na batalha novamente
O levante foi vão

Nós éramos um povo livre e valente
Os heróis lutaram bravamente
Mas a história é impiedosa
Agora estamos condenados à queda

A Batalha de Culloden
O fim da Escócia

* Pouco a pouco os ingleses foram afastando os Jacobitas de seu território, até chegarem a Culloden Moor, uma área elevada de terras cobertas por lamaçais e pântanos, situada no nordeste da Escócia. Foi neste local que os Jacobitas tombaram diante do poderoso exército inglês, numericamente superior e comandado por William Augustus, filho do rei George II. Travada em 16 de abril de 1746, a Batalha de Culloden marcou a derrota definitiva das forças Jacobitas. Com o revés, Bonnie Prince Charles teve que retornar a França e o movimento Jacobita, desfragmentado, perdeu toda sua importância política. Mais tarde, muitos nobres e aproximadamente 1.000 pessoas foram executadas por aderirem ao movimento.




GRAVE DIGGER:

Chris Boltendahl – Vocais
Uwe Lulis – Guitarra
Tomi Gich – Baixo
Stefan Arnold – Bateria





Criado em 1996, Whiplash.Net é o mais completo site sobre Rock e Heavy Metal em português. Em março de 2013 o site teve 1.258.407 visitantes, 2.988.224 visitas e 8.590.108 pageviews. Redatores, bandas e promotores podem colaborar pelo link ENVIAR MATERIAL no topo do site.

Esta é uma matéria antiga do Whiplash.Net. Por que destacamos matérias antigas?


  | Comentários:

Todas as matérias da seção Traduções
Todas as matérias sobre "Grave Digger"

Grave Digger: revelada a capa de Return Of The Reaper
Grave Digger: Uma avalanche metálica de proporções épicas!
Grave Digger: vídeo mostra gravação do novo álbum
Grave Digger: novo álbum será lançado em julho
Grave Digger: lançando um vinho alemão como a banda
Brasil: Bandas que gravaram discos ao vivo em nosso país
Roça n Roll: o maior festival do interior do país
Roça and roll 15ª edição: E realmente a mueção rolou solta!
Grave Digger: review de show em POA no All That Metal
Grave Digger em SP: Heavy Metal é o segredo da juventude
Grave Digger: galeria de fotos do show em São Paulo
Grave Digger: um dos melhores álbuns de Heavy Metal dos anos 90
Grave Digger: Metal germânico empolgando a noite de POA
Grave Digger: vídeos em Full HD do show em Porto Alegre
Grave Digger: primeiro show acústico em 33 anos de carreira

Os comentários são postados usando scripts do FACEBOOK e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Pense antes de escrever; os outros usuários e colaboradores merecem respeito;
Não seja agressivo, não provoque e não responda provocações com outras provocações;
Seja gentil ao apontar erros e seja útil usando o link de ENVIO DE CORREÇÕES;
Lembre-se de também elogiar quando encontrar bom conteúdo. :-)

Trolls, chatos de qualquer tipo e usuários que quebram estas regras podem ser banidos sem aviso. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Sobre Fernando P. Silva

Fernando Silva é membro do Whiplash! e responsável pela seção de traduções. Colaborando com o site há mais de 5 anos, é quem organiza e revisa todas as traduções que são publicadas nesta seção, contando também com o auxílio de amigos e colaboradores do site. Eclético, curte desde o blues e um bom rock n' roll até o melhor do hard e do heavy, sendo o Metallica (até a eternidade) sua banda preferida. Correções de material postado anteriormente, críticas ou sugestões para novas traduções podem ser feitas através do contato direto com o autor. Email: [email protected].

Mais matérias de Fernando P. Silva no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

QUEM SOMOS | ANUNCIAR | ENVIAR MATERIAL | FALE CONOSCO

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em março: 1.258.407 visitantes, 2.988.224 visitas, 8.590.108 pageviews.


Principal

Resenhas

Seções e Colunas

Temas

Bandas mais acessadas

NOME
1Iron Maiden
2Guns N' Roses
3Metallica
4Black Sabbath
5Megadeth
6Ozzy Osbourne
7Kiss
8Led Zeppelin
9Slayer
10AC/DC
11Angra
12Sepultura
13Dream Theater
14Judas Priest
15Van Halen

Lista completa de bandas e artistas mais acessados na história do site

Matérias mais lidas