Tradução - Masquerade - Dreams Of Sanity

WHIPLASH.NET - Rock e Heavy Metal!

Tradução - Masquerade - Dreams Of Sanity

Traduzido por Fagner A. Almeida

  | Comentários:
Imagem

“Masquerade” é baseado no clássico "O Fantasma da Ópera" de Gaston Leraux.

OPERA

(Instrumental)

ÓPERA

(Instrumental)

THE PHANTOM OF THE OPERA

(CHRISTINE:)
In sleep he sang to me
In dreams he came
That voice which calls to me
And speaks my name
And do I dream again
For now I find
The Phantom of the opera is there
Inside my mind

(PHANTOM:)
Sing once again with me
Our strange duet
My power over you
Grows stronger yet
And though you turn from me
To glance behind
The Phantom of the opera is there
Inside your mind

(CHRISTINE:)
Those who have seen your face
Draw back in fear
I am the mask you wear

(PHANTOM:)
It's me they hear

(TOGETHER:)
My/your spirit and your/my voice
In one combined
The phantom of the opera is there
Inside your/my mind

He's there the Phantom of the opera
Beware the Phantom of the opera

(PHANTOM:)
In all your phantasies
You always knew
That man and mystery

(CHRISTINE:)
Were both in you

(TOGETHER:)
And in this labyrinth
Where night is blind
The phantom of the opera is there
Inside your/my mind

(PHANTOM:)
Sing my angel of music

O FANTASMA DA ÓPERA

(CHRISTINE:)
No sono ele cantou pra mim
Nos sonhos ele veio
Aquela voz que chama a mim
E diz meu nome
E eu sonho de novo
Por agora eu percebo
O Fantasma da ópera está lá
Dentro de minha mente

(FANTASMA:)
Cante mais uma vez comigo
Nosso estranho dueto
Meu poder sobre você
Cresce mais forte ainda
E apesar de você se afastar de mim
Para espiar detrás
O Fantasma da ópera está lá
Dentro de sua mente

(CHRISTINE:)
Aqueles que viram sua face
Retraíram-se de medo
Eu sou a máscara que você usa

(FANTASMA:)
Sou eu que eles ouvem

(JUNTOS:)
Meu/seu espírito e sua/minha voz
Em uma combinada
O Fantasma da ópera está lá
Dentro de sua/minha mente

Ele está lá o Fantasma da ópera
Tome cuidado com o Fantasma da ópera

(FANTASMA:)
Em todas as suas fantasias
Você sempre conheceu
Aquele homem e mistério

(CHRISTINE:)
Estavam ambos em você

(JUNTOS:)
E neste labirinto
Onde a noite é cega
O Fantasma da ópera está lá
Dentro de sua/minha mente

(FANTASMA:)
Cante meu anjo da música

MASQUERADE ACT 1

In which a mask is applied
Not only shielding the ugliness

The loneliness weaving wonders
Left me alone as daydawn came
The birdcry's timbre seemed like thunder
- To spit on me - it was the lark

And on these daybreaks of my life
Kept closed my eyes for seconds more
When dreams freeflow the bending mind
Of all the grief and fear be gone

And on these daybreaks of my life
Kept closed my eyes for seconds more
When dreams freeflow the bending mind
Of all the grief and fear be gone.

And on these daybreaks of your life
Just close your eyes and live within
Oh let them flow and bend your mind
Try to believe the fear is gone.

Start piercing me you wicked ghosts!
Your voices sneak from red-rubbed lips!
Those tangling whispers - want to soothe me
But start what I've never dared to speak of

As slowly as I dropped the cape
The slumber sweet as velvet fell
I saw the smiling face of a day
That blew away my ease at once

Not love not happiness I dreamed of
No hope for this so rotten live?
How can I tame? How can I hide
This twisted me I cannot fight?

Not love not happiness I dreamed
No hope for this so rotten live?
How can I tame? How can I hide
This twised me I cannot fight?

Not love not happieness you dreamed of
Lose hope for your so rotten live
You cannot tame, just try to hide
It's you - It's me - you try to hide!

Start piercing me you wicked ghosts!
Your voices sneak from red-rubbed lips!
Those tangling whispers - want to sooth me
But start what I've never dared to speak of

"Goodbye to Eric" I heard my screams
And hoped that echos would reload in me
And strengthen me for this inhumanizing task
I got up and applied a mask of velvet black
- Square as the one it hosts

"Goodbye to Eric the human-faced
Shall he be known through the mask he wears."

"Shall fear be forever repelled by the ways
We'll walk; and we'll melt into the face

Of all bodies and ever for all I'll become:
Be gone now Eric - be gone - be gone"

BAILE DE MÁSCARAS - ATO 1

No que uma máscara é empregada
Não apenas cobrindo a feiúra

A solidão tecendo milagres
Deixe-me só à medida que o amanhecer vem
O timbre do piar do pássaro parecia como trovão
- Para cuspir em mim - ela era a cotovia

E nessas alvoradas de minha vida
Manteve fechados meus olhos por segundos a mais
Quando sonhos fluem livres a mente flexível
De toda a mágoa e medo terem ido

E nessas alvoradas de minha vida
Manteve fechados meus olhos por segundos a mais.
Quando sonhos fluem livres a mente flexível
De toda a mágoa e medo terem ido.

E nessas alvoradas de sua vida
Apenas feche seus olhos e viva interiormente
Oh deixe-os fluírem e curvar sua mente
Tente acreditar que o medo se foi

Comecem a me perfurar seus fantasmas perversos!
Suas vozes surrupiam de lábios vermelhos roçados!
Estes sussurros embaraçosos - querem me confortar
Mas iniciam o que eu nunca ousei falar sobre

Tão vagarosamente quanto eu derrubei a capa
A doce sesta como o veludo caiu
Eu vi a face sorridente de um dia
Que soprou pra longe meu sossego de uma vez.

Não o amor, não a felicidade que eu sonhei
Sem esperança para essa tão podre vivência?
Como eu posso domar? Como posso eu esconder
Este eu pervertido que eu não posso combater?

Não o amor, não a felicidade que eu sonhei
Sem esperança para essa tão podre vivência?
Como posso eu domar? Como posso eu esconder
Este eu pervertido que eu não posso combater?

Não o amor, não a felicidade que você sonhou
Perca a esperança para sua tão podre vivência
Você não pode domar, apenas tente se esconder
É você - sou eu - você tente se esconder!

Comecem a me perfurar seus fantasmas perversos!
Suas vozes surrupiam de lábios vermelhos roçados!
Estes sussurros embaraçosos - querem me confortar
Mas iniciam o que eu nunca ousei falar sobre

"Adeus ao Eric" eu ouvi meus gritos
E esperei que os ecos pudessem recarregar em mim
E me fortalecer por este desumanizante dever
Eu levantei e coloquei uma máscara de veludo preto
- Quadrada como aquele que a recebe

"Adeus a Eric, o com cara de humano
Deva ele ser conhecido por meio da máscara que usa."

"Deva o medo ser eternamente repelido pelos caminhos
Nós andaremos; e nós derreteremos dentro da face

De todos os corpos e sempre por tudo que me tornarei:
Vá embora agora Eric - vá embora - vá embora."

MASQUERADE ACT 2

In which the way is mind and mind is way

And off they went - both of them
The charm of luck fell in his hand
Or shall I say into his face...?
Or shall I say to you...?

This sudden moves his mind allowed
Walked distance to his fading past
Left space for thoughts so mountain-high
Left space for thoughts to you

Where shall we fly my timeless pal?
So strong in harmony we stand
The river Styx or Hades cannot hurt
The sparkling sprouts of the living days

Shall find the rose's blooming hills
To pick the chosen one so bright
And water it in the endless wells
Of what I found so deep inside

His steps stayed steady
As he frowned
Uncertainty felt on his face
No one could see behind his mask
No one could see behind

Help me half dead ghoules for long
You've pierced me in my timeless days
I've payed you with my blood and pain
I demand: Take me as one of yours

BAILE DE MÁSCARAS - ATO 2

No qual o caminho é a mente e a mente é o caminho

E eles se mandaram - ambos
A graça da sorte caiu em suas mãos
Ou devo dizer em seu rosto...?
Ou devo dizer para você...?

Estes movimentos bruscos que sua mente permitiu
Se distanciou de seu desvanecente passado
Deixou espaço para pensamentos tão altos
Deixou espaço para pensamentos para você

Onde devemos voar meu camarada eterno?
Tão forte em harmonia nós permanecemos
O rio Styx ou Hades não pode machucar
O cintilante rebento dos dias existentes

Deva encontrar as colinas das rosas florescentes
Para colher a escolhida tão brilhante
E molhá-la nos poços infinitos
Do que eu encontrei tão profundamente

Seus passos ficaram firmes
À medida que ele olhou com desagrado
Incerteza caiu em sua face
Ninguém podia ver por trás de sua máscara
Ninguém podia ver por trás

Ajudem-me ghoules* semimortos por longo tempo
Vocês me perfuraram em meus dias eternos
Eu lhes paguei com meu sangue e dor
Eu exijo: Leve-me como um dos seus

*Ghoul: demônio lendário que ataca túmulos e se alimenta de cadáveres.

MASQUERADE – INTERLUDE

So see me enter those timeless walls
The city of Paris - or was it Rome?
I do not care - Oh! - I never mind
Nowhere I run to - I can hide

So masked my face
So masked my mind
The body well hidden in this opera's walls
The stones start breathing
As my heart stops beating
As I listen to her voice.

How can I take and dare to touch
These waves web sounds of angel's voice
Come! Close your eyes and shield your mind
And sing with me - sing tonight!

BAILE DE MÁSCARAS – INTERLÚDIO

Então me veja entrar nestas paredes eternas
A cidade de Paris - ou era Roma?
Eu não me importo - Oh! - eu nunca me importei
Para lugar nenhum eu corro - eu posso me esconder

Então mascarei minha face
Então mascarei minha mente
O corpo bem escondido nos paredões desta ópera
As pedras começam a respirar
À medida que meu coração pára de bater
Enquanto eu escuto a voz dela

Como posso eu tomar e ousar tocar
Estas ondas tecidas, sons de voz de anjos
Venha! Feche seus olhos e cubra sua mente
E cante comigo - cante esta noite!

MASQUERADE ACT 3

In which the darkness masks the mask

Christine: I close my eyes and wonder:
"Where is this man"
Who spoke so true with passion
Felt through centuries
When I was alone this voice
Washed my fears away
These sounds from the dark
That vanish in the light of day
What I feel and what I see is not the same
Deep within your voice
Swings more than one world's pain

Eric: Look into my eyes
For they belonged to him
And if you listen well
You can hear him sing through me
In dreams I hold you close
My dreams are always near
May worlds split us apart
At night I'll always hear
The sounds that turned in me
The plea for death to harmony

E + Ch:
I feel so alone
My God where have you been?

BAILE DE MÁSCARAS - ATO 3

No que a escuridão encobre a máscara

Christine: Eu fecho meus olhos e imagino:
"Onde estará este homem"
Que falou tão sincero com paixão
Caiu por séculos
Quando eu estive sozinha esta voz
Lavou meus medos para longe
Estes sons do escuro
Que desaparecem na luz do dia.
O que eu sinto e o que eu vejo não é o mesmo
Profundamente dentro sua voz
Oscila mais do que a dor de um mundo

Eric: Olhe dentro de meus olhos
Por eles pertencerem a ele
E se você prestar bem atenção
Você pode ouvi-lo cantar através de mim
Nos sonhos eu te abraço firme
Meus sonhos estão sempre próximos
Possa os mundos nos dividir em pedaços
Á noite eu irei sempre ouvir
Os sons que voltaram em mim
O apelo pela morte à harmonia

E + Ch:
Eu me sinto tão sozinho
Meu Deus onde você esteve?

MASQUERADE ACT 4

In which not only the mask dies.

So as the year has spent the meaning
Of all the hopes - the bitter days.
To learn the good within the griefing
To hope the best as I start to sink.

Why did I have to leave my fears
Behind the hills of loneliness?
Why did I have to find her here
Who loved the black behind my mask?

Hand scratching this face - for Christin and the days
Blood dripping on dust - for the love I have lost
My flesh and bones - for the fear and the moans
My life - my pain - to dream with her everyday

This angels voice that fell upon
My fading life
My fading lies
Christine may you now mask
This dying naked soul of mine

BAILE DE MÁSCARAS - ATO 4

No qual não apenas a máscara morre

Então à medida que o ano gastou o significado
De todas as esperanças - os dias amargos.
Para aprender o benefício dentro da aflição
Para esperar o melhor à medida que começo a afundar

Por que eu tive que deixar meus medos
Atrás das colinas da solidão?
Por que eu tive que encontrar ela lá
Que amou o sombrio detrás de minha máscara?

Mão coçando esta face - por Christin e os dias
Sangue pingando na poeira - pelo amor que eu perdi
Minha carne e ossos - pelo medo e os lamentos
Minha vida - minha dor - para sonhar com ela todo dia

Estas vozes de anjos que caíram sobre
Minha vida desvanecente
Minhas mentiras desvanecentes
Christine possa você agora cobrir
Esta desvanecente alma nua minha

WITHIN (THE DRAGON)

And as the dragon rises
He stands so tall
Waiting for the daylight
To fly away
He'll never fall
Spreads his wings and flies away to Avalon

Guided by forgotten powers
He lifts up high
Into the dawn
Though some might feel
What no one knows:
The last of the dreams alive has left

Oh - his flame now fades
Oh - whithering away
Oh - daylight, night another day
Oh - alone so cold and alone so all alone

And as the flapping sound
Of majestic wings
Fades low
As dreams subside
Within those left
Upon this crusty ball
The last one left

He took with him
A warmin' spark
Of children's eyes
Now staying dark
With nothing to dream
Wave 'bye to him
The dreams have left

DENTRO (O DRAGÃO)

E à medida que o dragão se levanta
Ele permanece tão alto
Esperando pela luz do dia
Para voar para longe
Ele nunca cairá
Estende suas asas e voa longe para Avalon

Guiado por poderes esquecidos
Ele se ergue alto
Dentro da alvorada
Ainda que alguns possam sentir
O que ninguém sabe:
O último dos sonhos vivos partiu

Oh - sua chama agora desaparece
Oh - secando até morrer
Oh - luz do dia, noite outro dia
Oh - sozinho, tão frio e sozinho assim todo só

E à medida que o som do bater de asas
Das majestosas asas
Desaparece lentamente
Á medida que os sonhos cessam
Dentro daqueles deixados
Sobre esta ríspida esfera
A última deixada

Ele levou consigo
Uma quente faísca
De olhos de criança
Agora mantendo-se negros
Sem nada pra sonhar
Acene para ele
Os sonhos foram abandonados

THE MAIDEN AND THE RIVER

Now as I'm settled so old and outired
And no one's here to tell about my live
I'll sing this lonely tune again and again
To bear the echos in my mind

The things I did - the words I said
Though time passed by
I can't forget
In hopeless times - alone I've cried
Time, time - pass me by!

A youngster's guilt once taken upon
The strengthening shoulders of a growing man
The weakness age
Has rolled in 'em pines
Has not reduced the burdens I bear

The things I did - the words I said
Though time passed by
I can't forget
In hopeless times - alone I've cried
Time, time - pass me by!

Alone I stood amidst the river
That flooded lightness onto my soul
As a simple tune so true in its beauty
Was swirling across the glitters of light.

And as my eyes focused upon
A distant glitter amidst the woods
The sudden ungreening of the trees
Unvailed a singing maiden's outstanding line

"Step forward to the shimmering one!
Be kind to me my blistered feet!
Obey! My swollen tongue for once
In my life I have to - to - ........."

The things I did - the words I said
Though time passed by
I can't forget
In hopeless times - alone I've cried
Time, time - pass me by!

But not I moved for all my might
The maiden smiled and walked on by
No scream, no words - just the pain
That echos on and on again.

Since then I never saw again
The skirts of springtime wandering by
For all the colours of the world
Look dim compared to what I saw that day

A DONZELA E O RIO

Agora como estou acomodada, tão velha e cansada
E ninguém está aqui para contar sobre minha vida
Eu cantarei esta solitária melodia inúmeras vezes
Para suportar os ecos em minha mente.

As coisas que eu fiz - as palavras que eu disse
Ainda que o tempo passou batido
Eu não posso esquecer
Nos tempos sem esperança - sozinha eu chorei
Tempo, tempo - ignore-me!

A culpa da menina uma vez assumida
Os fortificantes ombros de um homem em crescimento
A fraqueza da idade
Que chegou em grande quantidade os definhou
Não reduziu os fardos que eu carrego

As coisas que eu fiz - as palavras que eu disse
Ainda que o tempo passou batido
Eu não posso esquecer
Nos tempos sem esperança - sozinha eu chorei
Tempo, tempo - ignore-me!

Sozinha eu suportei no meio do rio
Aquela inundada claridade em minha alma
Enquanto uma simples melodia tão sincera em sua beleza
Estava turbilhando através dos resplendores de luz.

E à medida que meus olhos focalizaram sobre
Um brilho distante no meio do bosque
O súbito desmatamento das árvores
Revelou uma donzela cantando extraordinariamente

"Um passo à frente para o vislumbrante!
Sejam gentis comigo meus pés calejados!
Obedeçam! Minha tumefacta língua dessa vez
Eu tenho que - que -........."

As coisas que eu fiz - as palavras que eu disse
Ainda que o tempo passou batido
Eu não posso esquecer
Nos tempos sem esperança - sozinha eu chorei
Tempo, tempo - ignore-me!

Mas não me movi por toda a minha força
A donzela sorriu e prosseguiu
Sem gritos, sem palavras - apenas a dor
Que ecoa sem parar novamente

Desde então eu nunca vi outra vez
As garotas da primavera passeando
Pois todas as cores do mundo
Pareciam opacas comparadas ao que eu vi naquele dia

LOST PARADISE ‘99

My soul's so dark
My mind is so black
My life seems so cold under my Mask
My twisting thoughts
They’re piercing my mind
They crash all my fun
My love and my life

I remember paradise
A paradise long ago
Now eternal winter
My paradise is lost
My paradise is gone
Drown all my sorrows
Drowned in my hate
Dwelling in darkness
Just forget my fate

I don't know what's wrong
I don't know what's right.
Where are my powers
My powers are gone
My memories of paradise
Once have been my life
Black waves close over my head
Death will be salvation

I remember paradise - a paradise long ago
I remember paradise - paradise is lost
I remember paradise - a paradise long ago
I remember paradise - paradise is lost
I remember paradise - a paradise long ago
I remember paradise - paradise is lost
I remember paradise - a paradise long ago
I remember paradise - paradise is lost
My paradise is gone

PARAÍSO PERDIDO ‘99

Minha alma está tão escura
Minha mente está tão negra
Minha vida parece tão fria sob minha Máscara
Meus pensamentos entrelaçantes
Eles estão perfurando minha mente
Eles quebram todo o meu prazer
Meu amor e minha vida

Eu lembro do paraíso
Um paraíso do passado distante
Agora inverno eterno
Meu paraíso está perdido
Meu paraíso se foi
Afogar todos os meus sofrimentos
Afogados em meu ódio
Vivendo em trevas
Apenas esqueça meu destino

Eu não sei o que está errado
Eu não sei o que está certo
Onde estão meus poderes
Meus poderes se foram
Minhas memórias do paraíso
Outrora eram minha vida
Ondas negras perlongam sobre minha cabeça
Morte será a salvação

Eu lembro do paraíso - um paraíso do passado distante
Eu lembro do paraíso - paraíso está perdido
Eu lembro do paraíso - um paraíso do passado distante
Eu lembro do paraíso - paraíso está perdido
Eu lembro do paraíso - um paraíso do passado distante
Eu lembro do paraíso - paraíso está perdido
Eu lembro do paraíso - um paraíso do passado distante
Eu lembro do paraíso - paraíso está perdido
Meu paraíso se foi








Criado em 1996, Whiplash.Net é o mais completo site sobre Rock e Heavy Metal em português. Em março de 2013 o site teve 1.258.407 visitantes, 2.988.224 visitas e 8.590.108 pageviews. Redatores, bandas e promotores podem colaborar pelo link ENVIAR MATERIAL no topo do site.


  | Comentários:

Todas as matérias da seção Traduções
Todas as matérias sobre "Dreams Of Sanity"

Ex-Dreams Of Sanity é a nova vocalista do Elis
Dreams Of Sanity
Sandra Schleret de volta ao Dreams Of Sanity
Sandra Schleret abandona o Dreams Of Sanity
Tradução - The Game - Dreams Of Sanity
Tradução - Masquerade - Dreams Of Sanity
Tradução - Komodia - Dreams Of Sanity

Os comentários são postados usando scripts do FACEBOOK e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Pense antes de escrever; os outros usuários e colaboradores merecem respeito;
Não seja agressivo, não provoque e não responda provocações com outras provocações;
Seja gentil ao apontar erros e seja útil usando o link de ENVIO DE CORREÇÕES;
Lembre-se de também elogiar quando encontrar bom conteúdo. :-)

Trolls, chatos de qualquer tipo e usuários que quebram estas regras podem ser banidos sem aviso. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Sobre Fagner A. Almeida

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados.

Caso seja o autor, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Mais matérias de Fagner A. Almeida no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

QUEM SOMOS | ANUNCIAR | ENVIAR MATERIAL | FALE CONOSCO

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em março: 1.258.407 visitantes, 2.988.224 visitas, 8.590.108 pageviews.


Principal

Resenhas

Seções e Colunas

Temas

Bandas mais acessadas

NOME
1Iron Maiden
2Guns N' Roses
3Metallica
4Black Sabbath
5Megadeth
6Ozzy Osbourne
7Kiss
8Led Zeppelin
9Slayer
10AC/DC
11Angra
12Sepultura
13Dream Theater
14Judas Priest
15Van Halen

Lista completa de bandas e artistas mais acessados na história do site

Matérias mais lidas