Whiplash.NetMenuBuscaReload

New Order: público transforma show em grande pista de dança em SP

Resenha - New Order (São Paulo, Espaço das Américas, 01/12/2016)

 Compartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Diego Camara
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Fazia bastante tempo que o New Order não vinha para o Brasil para São Paulo em uma apresentação só sua. Depois de um ótimo show da banda no Lollapalooza em 2014, era muito esperado que o New Order fizesse uma impecável apresentação no Espaço das Américas. Com casa cheia e apresentação tarde da noite - às 23 horas de uma quinta-feira - um público enorme aguardava ansiosamente para o show. Confira abaixo os principais destaques, com as imagens de Kennedy Silva.

Coachella: divulgado lineup do maior festival de música dos EUASlayer: "Tocar com orquestra é masturbação", diz Kerry King

Imagem

Era difícil não ver a clara nostalgia dos anos 80 do público na plateia enquanto aguardava o show. Apesar disto, a apresentação foi aberta com música nova: “Singularity”, do último disco da banda lançado em 2015. O público se mostrou empolgado com a entrada da banda, mas a execução da música se tornou bastante morno, sem muita empolgação. A banda, igualmente, parecia meio que pregada ao chão, e a qualidade do áudio deixava bastante a desejar, com um som extremamente embolado e os vocais de Sumner quase despercebidos.

Imagem

“Regret”, que veio logo em seguida, fez o público ensaiar os passos de dança com mais vontade, mas o show ficou realmente sério nos principais sucessos do New Order, como “Crystal”, a excelente “Bizarre Love Triangle”, “True Faith” e a muito bem recebida “Blue Monday”, onde a dança foi extremamente frenética, dos mais velhos aos mais jovens. A plateia esteve de parabéns, e se contrapôs em muitos momentos a uma apresentação de pouco destaque dos músicos. Não digo que a apresentação foi ruim, muito pelo contrário, mas pareceu bastante burocrática em muitos momentos.

Imagem

“Music Complete”, o novo disco da banda, não colou muito ao vivo com o público, apesar das ótimas respostas da crítica e dos fãs ao novo álbum. Talvez, ao tocar tantas músicas deste disco - sete foram tocadas no total - acabou se quebrando a expectativa dos fãs mais old school da banda, já que alguns bons sucessos das antigas ficaram de fora, como “Age of Consent” por exemplo. A apresentação em sua segunda metade, porém, melhorou bastante, especialmente o som da casa, que correspondeu ao tamanho da banda.

Imagem

No bis, o New Order trouxe novamente os grandes clássicos do Joy Division para o palco. A música escolhida para tocar ao lado da irremovível “Love Will Tear Us Apart” - que não preciso dizer foi a mais aguardada da noite - foi “Decades”, que abriu muito bem o bis levantando o público presente e marcando homenagem a Ian Curtis. Como surpresa, a banda ainda executou a nova “Superheated” já em tom de despedida.

Imagem

Setlist:
Singularity
Regret
Academic
Crystal
Restless
Your Silent Face
Tutti Frutti
People on the High Line
Bizarre Love Triangle
Waiting for the Sirens' Call
Plastic
The Perfect Kiss
True Faith
Blue Monday
Temptation

Bis:
Decades (cover do Joy Division)
Love Will Tear Us Apart (cover do Joy Division)
Superheated

Imagem
Imagem

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

 Compartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Coachella: divulgado lineup do maior festival de música dos EUA

Já ouviu antes?
New York Times elege os melhores covers

Astros do rock
Os pedidos de desculpas mais "notórios"

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "New Order"

Slayer
"Tocar com orquestra é masturbação", diz Kerry King

Influências
Folk Metal e Música Celta

Dave Mustaine
Com bom humor, ele comenta gafe do Grammy

Metallica: "Tocar para 80.000 fãs no Brasil é inimaginável"Metallica: Ultimate Classic Rock elege as 10 piores músicasHeavy Metal: Alguns discos que são obras-primas pouco lembradas - Parte 1Dave Lombardo: o que ele realmente acha de Lars Ulrich?Malmsteen: Guitarrista conta quem será o próximo Yngwie MalmsteenSlipknot: a banda seria realmente um plágio do Mushroomhead?

Sobre Diego Camara

Nascido em São Paulo em 1987, Diego Camara é jornalista, radialista e blogueiro. Seu amor pelo metal e rock começou há 6 anos. Um amante da nova geração, é um grande fã de Arjen Lucassen, Andre Matos e bandas como Nightwish, Hammerfall, Sonata Arctica, Edguy e Kamelot. Também não deixa de ter amor pelos clássicos, como Helloween, Gamma Ray e Iron Maiden e do Rock de bandas como Oasis, Queen e Kings of Leon. Atualmente seus textos podem ser lidos no blog OCrepusculo.com sobre assuntos diversos, além de planos para criação de um projeto totalmente voltado aos blogs de Rock e Metal.

Mais informações sobre Diego Camara

Mais matérias de Diego Camara no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em agosto: 1.237.477 visitantes, 2.825.604 visitas, 7.034.755 pageviews.

Usuários online