Richie Sambora e Orianthi: Um show que poderia durar horas

Resenha - Richie Sambora e Orianthi (Pepsi On Stage, Porto Alegre, 12/07/2016)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Guilherme Dias
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
O Brasil recebeu Richie Sambora e Orianthi em três shows promovidos pelo Samsung Best of Blues. Dois shows em São Paulo (sendo um deles gratuito no parque Ibirapuera) e um em Porto Alegre. Na capital gaúcha o evento ocorreu em uma terça-feira no Pepsi On Stage, um dia após o seu aniversário de 57 anos.

A dupla fez essas apresentações fora de turnê e diversas expectativas foram criadas sobre o que aconteceria nas três noites. Em entrevistas Sambora declarou que a ideia no momento é fugir do habitual, realizando performances que foquem no seu entrosamento com Orianthi. No repertório canções que passassem pela carreira de ambos os músicos. No lado de Sambora suas canções com Bon Jovi e de seus discos solo e por parte de Orianthi suas músicas solo e também de artistas que já tocou junto, como Michael Jackson, Alice Cooper e Santana.

A banda que estava no plano de fundo do casal foi composta por Michael Bradford (baixo), John Webster (teclados), Glen Sobel (bateria) e Laercio da costa (percussão). Uma equipe de peso e com uma grande experiência com diversos outros artistas renomados.

Programado para as 21hs o show teve um atraso de meia hora, o que era previsto, pois a passagem de som durou muito tempo. O público que aguardava na fila pôde ouvir músicas como “Never Say Goodbye” (Bon Jovi) e “Seven Years Gone” (Sambora) que não foram tocadas nos outros shows.

O início do show contou com “When Love Comes To Town” (U2 & BB King), passando por “I'm Your Hoochie Coochie Man” (Willie Dixon), até chegar onde realmente os fãs queriam, com “Lay Your Hands on Me” (Bon Jovi). Via-se um grande feeling e uma voz monstruosa em Richie Sambora, que mostrou uma grande personalidade em todos os momentos.

A australiana Orianthi teve o seu momento, com músicas solo como “What’s It Gonna Be” e “Heaven In This Hell” com uma voz afinadíssima e esbanjando técnica com suas mãos na guitarra. Richie também passou por seu momento solo com músicas como “Every Road Leads Home to You” e “Stranger in This Town”, esta tendo uma reação extremamente positiva do público.

Sambora e Orianthi dividiram os vocais em “Black or White” (Michael Jackson) e como em outras músicas duelaram improvisos nas guitarras com muita competência. Na canção seguinte um duelo diferente, porém um pouco mais curioso. O brasileiro Laercio saiu do fundo do palco e duelou com o Mr. Sambo, com um pandeiro nas mãos. Foi muito bonito, porém se estendeu por bastante tempo, até que Sambora fosse ao microfone e dissesse que tem muita merda acontecendo por aí nos dias de hoje e que nesse momento era apenas ele e o público, apresentando “These Days”, clássico do Bon Jovi.

Antes da parada para o bis, ainda houve tempo para Sambora beijar Orianthi no palco após “How Do You Sleep” (Orianthi). E para emocionar os fãs, mais Bon Jovi: “Wanted Dead or Alive” e “I’ll Be There For You”.

Vestindo uma camisa do Brasil, o Mr. Bluesman retornou sozinho para o palco, apenas com seu violão em mãos. Após receber os parabéns da platéia, agradeceu e pediu desculpas para o devido a problemas técnicos que influenciaram no atraso do show. Disse ainda que a próxima música seria tocada depois de muito tempo, ele falava de “The Answer” (“Stranger in This Town, 1991), com uma ótima recepção do público também. Para fechar a noite “Livin’ on a Prayer” (Bon Jovi) com a famosa introdução com “talk box” feita por Sambora.

Os músicos demonstraram muita qualidade, porém percebia-se uma falta de entrosamento geral. Alguns erros aconteceram, Sambora pedia que o volume de sua voz e de sua guitarra fosse aumentado em diversos momentos, mas nada que tenha comprometido a atuação do grupo.

Foi o típico show que poderia ter durado horas, que ninguém reclamaria ou iria embora. O feeling de Sambora foi único do início ao fim, caras e bocas refletiam a sua emoção em estar no palco mostrando o seu talento, por outro lado Orianthi também mostrou satisfação no que estava fazendo, contudo mais tímida comparada a Richie.

As duas músicas que foram ouvidas pelos fãs na passagem de som estavam no set-list, mas infelizmente não foram tocadas, provavelmente devido aos problemas técnicos relatados por Sambora. Uma pena também foi Richie ter deixado de fora clássicos de sua carreira solo como “Ballad of Youth”, “Rosie”, “Hard Times Come Easy” e tantas outras que se fossem trocadas por músicas do Bon Jovi que foram tocadas, não seria problema algum. No entanto não foi um show apenas dele, então se pode entender a preferência por outras canções. Ele prometeu voltar, nos resta aguardar os novos lançamentos e futuras turnês.

Set-list completo:

When Love Comes to Town (U2)
I'm Your Hoochie Coochie Man (Willie Dixon)
Lay Your Hands on Me (Bon Jovi)
Heaven in This Hell (Orianthi)
Every Road Leads Home to You (Sambora)
What's It Gonna Be (Orianthi)
Stranger in This Town (Sambora)
Black or White (Michael Jackson)
These Days (Bon Jovi)
How Do You Sleep? (Orianthi)
Wanted Dead or Alive (Bon Jovi)
I'll Be There for You (Bon Jovi)

The Answer (Sambora)
Livin' on a Prayer (Bon Jovi)

Fotos por: Liny Oliveira
facebook/photoslinyoliveira

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Rock In Rio
Saiba quais dias esgotaram primeiro na pré-venda

Rio Rock City: Bon Jovi não faz mais música boa?Todas as matérias e notícias sobre "Bon Jovi"

Rockstars
Os piores empregos que eles tiveram antes da fama

Golpe Baixo
Bon Jovi no ritmo do "Camaro Amarelo"

Michael Francis
O guarda-costas de Elvis Presley, Bon Jovi e outros

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 16 de julho de 2016

Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Richie Sambora"Todas as matérias sobre "Orianthi"Todas as matérias sobre "Bon Jovi"

Dimebag
Como ele transformou Dave Grohl no cara mais legal

Kiko Loureiro
Ele intimidou Chris Adler quando mostrou CD solo

Humor
Você sabe que o rock está moderninho quando...

Novas caras do metal: 40 bandas que você precisa conhecerZakk Wylde: "Quer parar de beber? Então pare, porra!"Megadeth: o guitarrista que poderia ter ficado com a vaga de KikoLoudwire: Veja resultado da votação dos melhores de 2016Paul Stanley: relembrando momento histórico com vergonhaGary Holt: um dos músicos mais "zoeiros" do instagram

Sobre Guilherme Dias

Sou Guilherme Figueiró Dias, de Porto Alegre, estudante de educação física, tenho 23 anos e sou fanático por música e futebol, especialmente hard rock e heavy metal. Preferências entre Helloween, Gamma Ray, Pink Cream 69, Bon Jovi, Hellacopters, Michael Kiske, entre outros. O que gosto realmente de fazer (além de torcer, cantar e pular pelo Grêmio na Geral) é curtir um bom show das bandas que eu adoro e tomar umas cervejas pra celebrar a vida.¨

Mais matérias de Guilherme Dias no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online