David Gilmour: Ele deixou sua marca nos corações dos gaúchos

Resenha - David Gilmour (Arena do Grêmio, Porto Alegre, 16/12/2015)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Liny Oliveira
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Encerrando sua primeira turnê no Brasil, David Gilmour deixa sua marca nos corações dos gaúchos. Ex-integrante do Pink Floyd, o guitarrista inglês arrastou 40 mil pessoas para a Arena do Grêmio, em Porto Alegre. O espetáculo faz parte da divulgação do seu quarto álbum solo “Ratter That Lock” que foi lançado em Setembro deste ano, mas também conta com os grandes clássicos do Pink Floyd. Em entrevista recente, Gilmour diz que não quer se apegar só ao passado, que também quer fazer mais música boa, e isso não temos nenhuma dúvida de que será concluído.

Pink Floyd: Waters e Mason topam se reunir em Glastonbury mas...Courtney Love: "Essa música é sobre minha vagina, sabia?"

Imagem

Por voltas das 19h15, o gaúcho Duca Leindecker, responsável pelo show de abertura, entra no palco para um show curtinho, de aproximadamente meia hora, Duca apresentou seu mais novo trabalho que foi gravado em DVD em 2014, canções do Voz, Violão & Batucada, e também agradou muito o público com seus grandes clássicos da banda Cidadão Quem, como “Pinhal”, “O Amanhã Colorido”, “Dia Especial” e seu projeto Pouca Vogal.

Imagem

Cinco minutos antes das 21h, horário previsto, as luzes se apagam e David aparece no palco, com seu jeito “tímido”, embaixo de um feixe de luz branca, iniciando com a instrumental “5 A.M”, e logo na sequência já apresenta “Ratter That Lock” que é muito bem recebida pela platéia, no fundo do palco há um enorme telão redondo, com luzes em toda sua volta, o mesmo que estava presente 20 anos atrás no show do Pink Floyd, na turnê P.U.L.S.E, nele passavam cenas de animação de maremotos, cobras, lavas, corvos, e em determinado momento apareceu uma imagem do mapa da América do Sul, e uma luz indicando o Rio Grande do Sul no mapa. “Faces of Stone” é a próxima que também faz parte de seu novo trabalho.

Imagem

Pra dar início na euforia coletiva “Wish You Were Here” , a primeira do Pink Floyd, é vibrada por toda a Arena do Grêmio, o coro é geral e bem alto e as lágrimas são derramadas por muitos que presenciavam aquele momento especial. Em “A Boat Lies Waiting” David aparece sozinho, cantando sem sua guitarra. Do seu álbum anterior, “On an Island”, inicia “The Blue” com o palco inteiramente iluminado com luzes azuis, para dar mais impacto a introspecção da música.

Imagem

Mais uma sequência de canções da sua banda antiga, “Money”, “Us and Them”, com a belíssima participação do saxofonista Curitibano João de Macedo Mello de apenas 20 anos de idade, e “High Hopes”, que possui badaladas de um enorme sino tocado pelo baterista, Steve DiStanislao . E após 1 hora de duração, termina a primeira parte do show, Gilmour interage pela primeira vez com o público, agradece muito e avisa que fará um pequeno intervalo.

Imagem

Quinze minutos depois, David retorna com “Astronomy Domine” do Pink Floyd (“Piper at the Gates of Down”, 1967) e suas características luzes coloridas e psicodélicas. Com muita vibração “Shine On You Crazy Diamond” é cantada fortemente por todos, antes de dar início ao magnífico jazz “The Girl in the Yellow Dress”, David interage novamente agradecendo muito, e arriscando um tímido português “muito obrigado”, o público adora e puxa um coro de “Olê olê olê olê, Gilmour, Gilmour!”, ele agradece novamente e menciona Porto Alegre e todos gritam de alegria, apresenta sua banda e João começa a canção.

Imagem

Dando continuidade vem “Today’, logo depois “Sorrow” do Pink Floyd (“A Momentary Lapse of Reason”, 1987), começam os acordes de “Run Like Hell” que é composição de Gilmour para o álbum “The Wall” de 1979, com luzes muito fortes e coloridas, neste momento todos estão de óculos escuros, e no telão são mostradas imagens do público no show, que levantam as mãos e gritam o refrão.

Imagem

David Gilmour agradece muito, se despede e deseja boa noite, mais uma vez as pessoas bradam “Olê olê olê olê, Gilmour, Gilmour!”, e a banda agradece e sai do palco, depois de 2 horas e meia de show.

Imagem

Mas não pense que termina por aí, dois minutos depois o telão acende com os clássicos relógios, despertadores e “tic tacs” de “Time” e todos vibram muito, nessa há o apoio vocal do tecladista Jon Carin, emendando “Breathe” com “Comfortably Numb” que lava o rosto de muitos com seu característico solo emocionante, dando encerramento há um intenso show de quase 3 horas, David agradece imensamente, acena muito e o resto da banda também acena e agradece ao público que grita seu “Olê, olê, olé, olê”, Gilmour menciona que são lindas vozes, os gaúchos vão ao delírio e ganham o último boa noite tendo a certeza de que foi um baita espetáculo, inesquecível e super envolvente.

Imagem

Agradecimentos especiais para Hits Entretenimento, Assessoria Tessler Conteúdo & Relacionamento.

Fotos: Edu Defferrari

1º Set List:
1 – 5 A.M
2 – Rattle That Lock
3 – Faces of Stones
4 – Wish You Were Here
5 – A Boat Lies Waiting
6 – The Blue
7 – Money
8 – Us And Them
9 – In Any Tongue
10 – High Hopes

2º Set List:
11 – Astronomy Domine
12 – Shine On You Crazy Diamond
13 – Fat Old Sun
14 – Coming Back to Life
15 – The Girl in The Yellow Dress
16 – Today
17 – Sorrow
18 – Run Like Hell

Bis:
19 – Time
20 – Breathe (Reprise)
21 – Comfortably Numb

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Outras resenhas de David Gilmour (Arena do Grêmio, Porto Alegre, 16/12/2015)

David Gilmour: Na história dos melhores e inesquecíveis shows

Pink Floyd
Waters e Mason topam se reunir em Glastonbury mas...

Todas as matérias e notícias sobre "David Gilmour"

David Gilmour
Pink Floyd já era, acabou

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 23 de dezembro de 2015

Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "David Gilmour"

Courtney Love
"Essa música é sobre minha vagina, sabia?"

Pizza
Como ser truezão na hora de pedir uma

Rockstars
Os piores empregos que eles tiveram antes da fama

Separados no nascimento: Kevin Bacon e Myles KennedySteven Tyler: vocalista admite que já queimou a roscaBaixistas: membro mais importante das bandas, segundo cientistasIron Maiden: o que os grandes músicos acham da banda?Megadeth: "Symphony Of Destruction" em versão Reggae

Sobre Liny Oliveira

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em agosto: 1.237.477 visitantes, 2.825.604 visitas, 7.034.755 pageviews.

Usuários online