Moedor: Hammer, Carnnyvale e Sloth em sábado de Carnaval

Resenha - Moedor (Studio Knob, Macapá, Amapá, 14/02/2015)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Bruno Blackened Monteiro
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Carnaval, época da “hibernação” dos metalheads. Alguns caem mesmo na folia, vão ao Sambódromo e assistem ao desfile das escolas de samba, sem constrangimento nenhum (afinal, se gosta, então por que não?). Outros preferem fugir das festividades, ficando em casa, ouvindo Metal, reunindo os amigos para comer aquele churrasco com cerveja, assistir filmes e diversas outras atividades.

Axl Rose: ajudando a confortar garçonete que sofreu ofensa racistaMonsters of Rock: o que o festival nos ensina sobre preconceito

Como alternativa ao Carnaval, a Rataria Produções realizou, neste sábado (14), no Studio Knob, o Moedor, evento que reuniu as bandas HAMMER, CARNNYVALE e SLOTH para celebrar o Heavy Metal ao invés dos sambas de enredo e fantasias espalhafatosas.

Em geral, shows no Studio Knob são sinônimos de interação e bom humor entre plateia e músicos. Os primeiros a demonstrarem isso foram os da HAMMER. Executando as composições Ódio Interno, Epifania, Doce Psicose e Começo do Fim, o grupo agradou bastante ávidos por Thrash/Death Metal (que era a temática do Moedor), sendo as músicas bem rápidas e elaboradas, com Aurélio Figueiredo estreando sua guitarra de sete cordas. Parabéns ao quarteto pela ótima apresentação!

Novidades na segunda banda do cast: CARNNYVALE agora está com dois guitarristas e novos covers! Os novos membros são Thiago Dantas e Rafael Ferreira, o que vai dar um gás e tanto nas bases e solos das músicas.

Sem deixar a fogueira Thrash Metal vacilar nem um minuto, o grupo mandou Caos Mundial, Necrófago, Teatro do Medo e Sete. Covers também tiveram espaço no set, mas nada de Piranha (EXODUS) ou Mad Butcher (DESTRUCTION). Desta vez, foram Cowboys from Hell, Cemetery Gates (PANTERA) e Arise (SEPULTURA) que fizeram os cabelos dos metalheads esvoaçarem feito hélices potentes.

Borrões escuros e giratórios foi o que se viu também na apresentação da SLOTH, que executou clássicos de IRON MAIDEN (Powerslave), METALLICA (Harvester of Sorrow, Disposable Heroes, Fight Fire with Fire e Creeping Death) e (o que parece ser a especialidade do quarteto) DEATH (uma dobradinha de Sacred Serenity/Zero Tolerance seguida de Overactive Imagination, Jealousy, Suicide Machine e Scavenger of Human Sorrow).

Lá pelas músicas finais, o baterista passou mal e o show foi interrompido por uns dez minutos para ele se recuperar, mas nada que ameaçasse a saúde e o vigor de Túlio Mariano, e a performance continuou! Together as One, Empty Words e Crystal Mountain ficaram encarregadas do fim, todas bem tocadas e ovacionadas!

O evento todo transcorreu sem briguinhas e desentendimentos, apenas na camaradagem, brincadeira e irmandade, reforçado pelo fato do Studio Knob ser um local mais intimista. A Rataria Produções está de parabéns pelo Moedor! Singelo, mas bem feito!

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Hammer"Todas as matérias sobre "Carnnyvale"Todas as matérias sobre "Sloth"

Axl Rose
Ajudando a confortar garçonete que sofreu ofensa racista

Monsters of Rock
O que o festival nos ensina sobre preconceito

Esquire
Integrantes do Metallica fingem ser do Led Zeppelin

Slash: "Eu sei o quanto Axl me odeia", diz guitarristaSlipknot: Mick Thomson esfaqueado em briga com irmãoMetal: as oito maiores tretas entre músicos do gêneroAngra: as cinco melhores composições de Andre MatosComerciais: os onze mais divertidos envolvendo Rock e MetalPink Floyd: as dez músicas mais desprezadas da banda

Sobre Bruno Blackened Monteiro

Metalhead, Gamer, Otaku e Jornalista. Essas são as palavras que me descrevem melhor. Um jovem que faz de tudo para apoiar o Heavy Metal, seja através de resenhas, artigos, fotos, reportagens, entrevistas ou mesmo estando assiduamente nos shows apoiando e bangueando ao som das bandas. Amo o Metal desde os 16 anos e minhas vertentes favoritas são Thrash, Death e Power Metal. Também gosto de Gothic, Doom e Black Metal, mas o Thrash é o que me move! THRASH!

Mais matérias de Bruno Blackened Monteiro no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online