WHIPLASH.NET - Rock e Heavy MetalWHIPLASH.NET - Rock e Heavy Metal

FacebookTwitterGoogle+RSSYouTubeInstagramApp IOSApp Android
MenuBuscaReload

Noturnall: Show de qualidade em Vila Velha

Resenha - Noturnall (Correria Music Bar, Vila Velha, 15/11/2014)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Léo Pinto
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

O Correria Music Bar, o ponto de encontro dos camisas pretas em Vila Velha, como merecidamente gosta de divulgar a casa de shows de rock, hardcore e blues, recebeu a banda paulista de metal progressivo NOTURNALL que, apesar de ter sido formada em 2013, já nasceu grande por contar com quase todos os ex-integrantes da banda SHAMAN, com exceção do baterista. Para ocupar o posto, foi chamado o grande baterista Aquiles Priester (HANGAR e ex-ANGRA).

Arena: Um projeto para ser aplaudido de pé

Imagem

O local não é grande, mas é muito aconchegante e conta com dois ambientes diferentes, separados por duas portas de isolamento e uma parede com janelões de vidro permitindo assistir os shows de um ambiente com palco, estando no outro ambiente onde fica o bar com sinuca, fliperama e diversas mesas e cadeiras. Eu, particularmente, gostei muito da ambiência. Os organizadores estão de parabéns!

Imagem

Três bandas abriram os trabalhos da noite. A primeira delas, a ASHBÜRN, começou de maneira inusitada. Antes de assumir a guitarra, a integrante Raquel Rodrigues surpreendeu aos que não conheciam essa banda de power metal de Vitória/ES, com uma intro feita no violino. É um diferencial interessante que ajuda a moldar a sonoridade pesada desse quinteto. Formada em 2013, a jovem banda, com fortes influências de VIPER, SHAMAN, ANGRA e HELLOWEEN, ainda conta com Heron Ribeiro (vocal), Gabriel Monteiro (guitarra), Vinícius Braz (baixo) e Matheus Rodrigues (bateria). Destaque para este último que fez uma apresentação muito boa, sorrindo o tempo todo, e o vocalista bem afinado com bons agudos. Todos são muito competentes e dá pra perceber que amam o que fazem. O público agitou bastante em “Evil Papagali”, do MASSACRATION, e na animada “Vodka”.

SETLIST:
01 - Fairy Tail (intro/violino)
02 - Nothing to Say
03 - Living for the Night (VIPER)
04 - A Cry From the Edge (VIPER)
05 - Separated Ways of a Wasted Fight
06 - Break the Silence (música nova)
07 - I Want Out (HELLOWEEN)
08 - Carry On (ANGRA)
09 - Evil Papagali (MASSACRATION)
10 - Vodka
11 - Blood Bound (HAMMERFALL)

Imagem

Em seguida, subiu ao palco PETITE MORT, banda de dark metal de qualidade com um som sóbrio, proporcionado pelo teclado, e de pegada forte com vocal gutural. Formada em meados de abril de 2005 em Cariacica/ES, possui influências do gothic/doom e black metal. Em sua formação estão: João Andrade (vocal), Ronaldo Bourguignon (baixo), Matheus Franco (guitarra solo), Georges Delanos (guitarra base) e Kevim Caron (bateria).

A banda lançou músicas novas e agradou ao finalizar com “Mourning Palace”, do norueguês DIMMU BORGIR.

SETLIST:
01 - Among the Ruins (música nova)
02 - Only Death Will Burn (música nova)
03 - Anthropogod
04 - They Will Never Die
05 - From Sweet to Bitter
06 - Mourning Palace (DIMMU BORGIR)

Imagem

A última banda de abertura foi a vilavelhense FIRE, que faz um hardrock muito competente e é muito boa de se ouvir. A apresentação contou com alguns clássicos internacionais que animaram a plateia.

SETLIST:
01 - You Gotta Love
02 - I Love the Way You Love me (MR. BIG)
03 - Daddy, Brother, Lover and Little Boy (MR. BIG)
04 - Carry On My Wayward Son (KANSAS)
05 - Without your Love
06 - Lord I Need You
07 - You Don´t Remember, I´ll Never Forget (YNGWIE MALMSTEEN)
08 - We All Die Young
09 - Kingdom Come
10 - V8 Jesus

Imagem

Para encerrar a noite, eis que a tão aguardada banda NOTURNALL deu o ar da graça com sua formação recheada de nomes de peso: Thiago Bianchi (vocal), Léo Mancini (guitarra, backing vocals), Fernando Quesada (baixo), Junior Carelli (teclado) e Aquiles Priester (bateria), que deu um show a parte na sua bateria monstro que se destacou no palco.

Todas as músicas do único álbum lançado, “Noturnall” (2014), foram executadas, à exceção de “The Blame Game”. Também ficou de fora “Woman in Chains”, cover do TEARS FOR FEARS, banda britânica de new wave, famosa nos anos 80. A música é uma versão mais pesada, porém melódica e que conta com a participação da mãe do vocalista Thiago Bianchi dividindo os vocais, como pode ser visto no clipe que lançaram.

Deixando de lado as ausências musicais, que em nada comprometeram o show matador, vamos ao que interessa. A explosão sonora começou com a plateia já batendo cabeça em “Fake Healer” com um ótimo instrumental, principalmente no solo de guitarra e nas bumbadas ultra-rápidas de Aquiles. O grito inicial já anunciava a hora de “Zombies” com um refrão fenomenal seguido pelo solo de guitarra com diferentes nuances ao longo da música. O rolo de bateria, em seguida, denunciava “No Turn at All”, cujo título foi inspiração para a criação do nome da banda através de um trocadilho. A virtuosidade dos músicos era impressionante, tamanha técnica aliada com uma rapidez de tirar o fôlego.

No primeiro cover do show, escolheram “Inferno Veil” do último álbum do SHAMAN, “Origins” (2010), apresentada com maestria, uma vez que quase todos os músicos tocaram na extinta banda. A palhetada na guitarra, a la PANTERA, deu o tom para o início de “Master of Deception”, emendando com “Sugar Pill” com destaque para o arranjo de teclado da música e para o solo de guitarra.

E por falar em PANTERA, eis que fomos agraciados com “Cowboys From Hell” que fez todo mundo pular. A fortíssima “St. Trigger” preparou o público para um dos momentos mais esperados, pelo menos por mim que amo bateria. O solo destruidor de Aquiles Priester na sua Octopus de várias peças. Não teve como não ficar hipnotizado com aquele solo!

Imagem

Outra música pesadíssima, “Hate”, que teve o refrão cantado por todos os fãs, serviu de preparação para o último cover da noite. Simplesmente “Symphony of Destruction”, do MEGADETH.

A linda “Last Wish”, é uma “balada” pesada para se recuperar o folego, mas ao mesmo tempo foi um momento para se deliciar com essa bela canção. Pena que o que estava por vir, era a última música do show. A poderosa “Nocturnal Human Side”, que até virou um clipe muito bem feito. Uma das melhores da banda, na minha opinião. Escolha perfeita para o encerramento desse verdadeiro concerto musical que o público capixaba teve o prazer de presenciar.

Parabéns às ótimas bandas e em especial ao NOTURNALL e ao Correria Music Bar. Que venham outros shows de qualidade como este.

SETLIST:
01 - Fake Healer
02 - Zombies
03 - No Turn at All
04 - Inferno Veil (SHAMAN)
05 - Master of Deception
06 - Sugar Pill
07 - Cowboys From Hell (PANTERA)
08 - St. Trigger
09 - Octopus Solo (solo de bateria de Aquiles Priester)
10 - Hate
11 - Symphony of Destruction (MEGADETH)
12 - Last Wish
13 - Nocturnal Human Side

Imagem
Imagem

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Arena: Um projeto para ser aplaudido de péTodas as matérias e notícias sobre "Noturnall"

Aquiles Priester
Vídeo mostrando um resumo de toda sua carreira

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Noturnall"

Faturamento
Quanto Judas, Aerosmith, Slash fazem por show?

Slash
Os 10 álbuns da vida do guitarrista inglês

Metallica: banda explica volume do baixo no And Justice For AllHerói: Astros da música transformados em heróis de HQA Filosofia de Nietzsche no Rock e no Heavy MetalOzzy Osbourne: Sharon conta como o madman quase a estrangulouPhil Anselmo: "Sem Vince, não há reunião do Pantera"

Sobre Léo Pinto

Capixaba de Vitória, historiador, guia de turismo, fanático por metal, hardcore, punk, rock e todas as suas vertentes, desde 1981 (sim, tenho cabelos e cavanhaque grisalhos, e daí? hehe). Sempre às ordens para resenhar sobre shows, acompanhar bandas em visita à minha cidade e prestar assessoria à imprensa.

Mais matérias de Léo Pinto no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em agosto: 1.237.477 visitantes, 2.825.604 visitas, 7.034.755 pageviews.

Usuários online