Blaze Bayley: como foi a apresentação em Conselheiro Lafaiete, MG

Resenha - Blaze Bayley (Conselheiro Lafaiete, MG, 06/12/2013)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Gisela Cardoso
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Que Conselheiro Lafaiete vem se destacando no cenário do interior mineiro, isso todos nós já sabemos – e a evolução em suas produções é a prova disto. Desta vez, a Sabazim Produções, Minas Music e Confraria tiveram a honra de trazer o vocalista Blaze Bayley (ex-Iron Maiden) para a cidade. No dia 6 de dezembro, Blaze deu início a sua nova turnê brasileira e acústica, “Russian Holiday Tour 2013”, em Lafaiete, contando com a participação dos músicos holandeses Thomas Zwijsen (violão) e Anne Bakker (violino).

Top 5: Músicas InstrumentaisDuff McKagan: as lembranças de quando tocou no Rock In Rio

Imagem
Assim que a Confraria começou a encher, Thomas Zwijsen subiu ao palco para dar início ao show do Blaze. Com o seu violão e sua formação clássica, o músico executou alguns grandes clássicos do Iron Maiden - já da fase do Bruce Dickinson – como “Aces High”, “Fear Of The Dark” e “Blood Brothers”. Apesar de não ser muito convencional, o público agitou com o ótimo desempenho solo de Thomas, dando voz às canções do início ao fim.

Imagem
Em seguida, a galera curtiu ainda mais quando a bela e talentosa violinista Anne Bakker subiu ao palco e se juntou ao Thomas. Foi realmente incrível a sintonia entre os dois músicos e o seu contato com o público. Os seus respectivos instrumentos e talentos encorpavam ainda mais as lendárias composições do Maiden, deixando todos ainda mais ansiosos pela chegada do Blaze.

Imagem
De repente, após o belo aperitivo oferecido por Thomas e Anne, o esperado momento finalmente chegou: Blaze discretamente sobe ao palco e se junta aos holandeses. A galera entrou em delírio total já nos primeiros minutos da apresentação. Apesar de ser um show acústico, Blaze não poupou em sua clássica e teatral atuação no palco, o que engrandeceu ainda mais a sua performance.

Além dos clássicos de sua fase no Iron Maiden, como “Lord Of The Flies”, “The Clansman”, “Como estais Amigo”, “Future Real” e “Man Of The Edge”, Blaze também executou algumas faixas de sua carreira solo, como “Soundtrack Of My Life” (que por sinal é uma de suas melhores músicas) e “Russian Holiday” – nova faixa que dá título ao seu último EP, e seu desempenho ao vivo e acústico foi incrivelmente sem comentários, tratando-se de uma bela balada. E para deixar os amantes dos anos 1970 ainda mais loucos, Blaze executou uma versão para “Doctor, Doctor”, do UFO.

Imagem
No entanto, em meio à “Futureal”, Anne Bakker teve que se retirar do palco, devido ao estandarte de seu violino que repentinamente se quebrou. A ausência de Anne nas canções seguintes foi notável. Porém, Thomas conseguiu cobrir a ausência da parceira de forma prática e profissional com o seu violão. Sendo assim, o show prosseguiu apenas com o Thomas e o Blaze até o final.

Imagem
Também vale ressaltar a forte interação dos músicos com o público. Assim como o Thomas e a Anne, Blaze esbanjava simpatia. E o público, claro, retornava com mais aptidão. Em meio ao espetáculo, Blaze anunciou que atenderia todas as pessoas após o show, e foi dito e feito: Blaze só saiu da casa assim que atendeu todos os fãs com a mais boa vontade. Em outras palavras, o vocalista só foi embora quando o local ficou literalmente vazio.

Imagem
Porém, após o acústico, a festa ainda não tinha acabado. A banda Jet Lag Project, oriunda de Ouro Branco, Minas Gerais, foi a responsável por encerrar o evento com um desempenho marcante. Formado por Tainã Iannini (vocal), Carlos Gustavo (guitarra), Erimar Monteiro (guitarra), Christopher Dias (baixo) e Acauã Iannini (bateria, backing vocals), o grupo executou clássicos do rock’n’roll, como “Whole Lotta Love” (Led Zeppelin), “Helter Skelter” (The Beatles) e “Back In Black” (AC/DC). Além disso, a banda também tocou suas composições próprias, como a já aclamada “In The Name Of Me”.

Apesar da casa não ter lotado, quem foi realmente curtiu pra valer. E quem perdeu, perdeu! Mesmo com a chuva e os imprevistos, o desempenho de Blaze Bayley e seus músicos foi sensacional, e a recepção da galera, obviamente, foi à altura. Definitivamente, ficará para a história o início desta nova turnê do Blaze, devido ao seu exímio desempenho, à ótima receptividade e à uma produção impecável.

Imagem
Para finalizar, vale lembrar que, ao longo dos anos, a Sabazim Produções trouxe grandes nomes do cenário nacional para Conselheiro Lafaiete, como Chakal, Witchhammer, Silent Cry, Nervosa e entre outros. Com o seu profissionalismo, Anderson Sabazinho (responsável pela produtora) sempre priorizou valorizar a cena regional e nacional, dando a oportunidade para o público do interior de prestigiar eventos de qualidade. Evoluindo cada vez mais, este ano a produção teve a chance de trazer atrações internacionais de peso, como o Skull Fist (Canadá) e Enforcer (Suécia). E agora, com a Minas Music e a Confraria, Lafaiete teve a chance de receber um dos mais lendários vocalistas do Heavy Metal mundial: Blaze Bayley, que certamente curtiu o início de sua tour brasileira, assim como o seu fiel e adorado público.

Confira a galeria de fotos completa acessando o seguinte link:

https://www.facebook.com/media/set/?set=a.481435648643702.10...

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Bruce Dickinson
A diferença entre cantar em shows e pilotar avião

Top 5: Músicas InstrumentaisTodas as matérias e notícias sobre "Iron Maiden"

Iron Maiden
A impressionante técnica de Nicko em uma drum cam

Iron Maiden
Como são feitos os Eddies de gelo do novo palco?

Bruce Dickinson
O lado ator pouco explorado do vocalista

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Blaze Bayley"Todas as matérias sobre "Iron Maiden"

Guns N' Roses
As lembranças de Duff sobre os shows no Rock In Rio

Bon Jovi
Sexo, drogas e... Jon Bon Jovi?

Ozzy Osbourne
"Não quero que pensem que eu despedi Zakk Wylde!"

Jack White: Sem laços de amizade com a "eremita" Meg WhiteAxl Rose: vocalista do Trans-Siberian ensina a cantar como eleJustin Bieber: "Baby" em versões Hard, Metal e ExtremoGuns N' Roses: casar ou ir ao show da banda?Andreas Kisser: "Pirataria é o efeito colateral do monopólio!"Kiko Loureiro: tocando Iron Maiden com garotas do Iron Maidens

Sobre Gisela Cardoso

Headbanger, Jornalista, Crítica de Metal, vocalista, instrumentista, anarco-comunista, vegetariana, apaixonada por Mitologia Nórdica e adoradora do Deus Metal. A música me move e as palavras constroem! @GisaGrind.

Mais matérias de Gisela Cardoso no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online