Queensryche: apresentação no Monsters foi uma decepção

Resenha - Queensryche (Monsters of Rock, Arena Anhembi, São Paulo, 20/10/2013)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Pedro Zambarda de Araújo
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

O show do "Queensryche de Geoff Tate" às 15h do dia 20 de outubro, um domingo, pode ser definido com uma palavra: Decepção. Não pelo setlist, que manteve os grandes sucessos da banda criadora do metal progressivo. As falhas foram uma soma de regulagem ruim de som com a ausência de membros clássicos do Queensryche, como o guitarrista Michael Wilton. O resultado foi uma decepção. Não dá pra fazer o Queensryche apenas com seu cantor.

Mr. Big e Geoff Tate: shows no Brasil em agostoEddie Trunk: parem com isto, Lady Gaga não é metal!

Imagem

Imagem

Em maio de 2012, Geoff Tate chegou a ameaçar os ex-parceiros do Queensryche com armas brancas na turnê da banda pelo Brasil. Tate foi demitido e a banda seguiu com o cantor Todd La Torre. O cantor antigo conta com Randy Gane (teclado), Rudy Sarzo (baixo), Robert Sarzo (guitarra) e Simon Wright (bateria). Em abril deste ano, Tate lançou um disco chamado Frequency Unknown, que foi criticado. No show do Monsters of Rock, o vocalista cantou apenas uma música do novo material, Cold.

Imagem

A abertura foi com a clichê Best I Can, que funciona bem ao vivo com sua letra positiva e seu embalo contagiante. Tate parecia à vontade no palco, interagindo com músicos e cobrando empolgação do público. Mesmo assim, já nesta música, era possível ver que as duas guitarras da banda eram sufocadas por graves desregulados.

Imagem

Imagem

Another Rainy Night (Without You), Big Noize e The Mission foram tocadas com empolgação pela banda, mas, devido ao som problemático, foram pouco recebidas pelo público. Em determinado ponto do show, era possível ver muitas pessoas de braços cruzados, apenas ouvindo o som, e poucas pessoas realmente pulando empolgadas, especialmente mais longe do palco.

Imagem

Imagem

I Don't Believe in Love foi convidativa para fazer o público novamente vibrar, mas foi somente em Silent Lucidity, com forte apoio feminino, que o show chegou em seu clímax. Todos cantavam a letra de cor no público, contagiados pela interpretação sentimental de Geoff Tate, que continua essencial.

Imagem

Jet City Woman foi a empolgação final, com suas guitarras simples e pesadas. Empire e Eyes of a Stranger fecharam o show com apenas a parte do público na grade do Monsters of Rock realmente empolgado. Mesmo com essa pouca receptividade, Geoff Tate agradeceu o público e distribuiu beijos.

Imagem

Os dois Queensryche, tanto de Tate quanto de Todd La Torre, continuam em disputa judicial pelo nome oficial. Pela apresentação no Brasil, Geoff Tate demonstra que sua demissão perante os antigos companheiros foi prejudicial. Ele faria um show melhor com uma boa regulagem sonora no Monsters of Rock? Faria. Mas, ainda assim, parece que falta um tempero especial em sua banda. Não se faz banda apenas com um vocalista de renome. Os irmãos Sarzo, no baixo e na guitarra, não bastam, mesmo Rudy tendo experiência com gigantes como Ozzy Osbourne, Quiet Riot e Whitesnake.

Imagem

Setlist do Geoff Tate's Queensryche

1. Best I Can
2. Breaking the Silence
3. Cold
4. Another Rainy Night (Without You)
5. Big Noize
6. The Mission
7. I Don't Believe in Love
8. Silent Lucidity
9. Jet City Woman
10. Empire
11. Eyes of a Stranger

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Outras resenhas de Queensryche (Monsters of Rock, Arena Anhembi, São Paulo, 20/10/2013)

Queensryche: tempo não é o maior problema dos vocalistas

Mr Big e Geoff Tate
Shows no Brasil em agosto

Prog metal: os discos essenciais do gênero segundo a BangerTVTodas as matérias e notícias sobre "Queensryche"

Heavy Metal
Os 10 melhores EPs de todos os tempos

Em vídeo
"Três Tenores" do Metal: Halford, Dickinson e Tate juntos

Heavy Metal
Os vinte melhores álbuns da década de 80

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Monsters Of Rock"Todas as matérias sobre "Queensryche"

Eddie Trunk
Parem com isto, Lady Gaga não é metal!

Collectors Room
A coleção de CDs, LPs e raridades de Felipe Fleury

Slayer
Tom Araya e os sorrisos nos shows ao vivo

Los Angeles: fotos de roqueiros célebres em situações cotidianasRed Hot Chili Peppers: Rock & Roll está morto, diz FleaBruce Dickinson: ouça o alcance vocal do vocalistaCerveja: os efeitos sobre a performance de uma bandaGuns N' Roses: 10 fatos sobre o começo que você não sabiaPaul Di'Anno: Bruce Dickinson é um grande homem e vocalista

Sobre Pedro Zambarda de Araújo

Nascido em 1989. Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero, em São Paulo, Pedro foi apresentado ao heavy metal através da banda Blind Guardian, em meados de 2004. Ouve e aprecia outros estilos do rock, como o punk, o indie e vertentes mais variadas. Gosta de assistir e cobrir shows.Toca muito mal guitarra, mas aprecia vários tipos de instrumentos musicais.

Mais matérias de Pedro Zambarda de Araújo no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online