The Cure: show com mais de 3 horas e 40 músicas em SP

Resenha - Cure (Arena Anhembi, São Paulo, 06/04/2013)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Jorge A. Silva Junior
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Os fãs esperaram 17 anos por uma apresentação da banda inglesa The Cure em São Paulo. O grupo liderado por Robert Smith não dava as caras por aqui desde o extinto festival Hollywood Rock (1996). E assim como prometeu o vocalista em diversas entrevistas durante a semana, a banda compensou esse tempo com um show de 3h20 e 40 músicas neste sábado (6), na Arena Anhembi, em São Paulo.

Guitarras: As mais icônicas do Rock - Parte 8História do Rock

A segunda apresentação do Cure no Brasil em 2013 - a primeira aconteceu no Rio de Janeiro na quinta-feira (4) - levou cerca de 30 mil pessoas ao Anhembi, segundo informações da organização. Robert Smith e sua trupe iniciaram a maratona musical às 20h10 em meio à escuridão e fumaça que tomavam conta do palco.

"Open" e "High", ambas do álbum 'Whish' (1992), abriram o show que ainda demoraria um pouco para engrenar, visto que grande parte do público não demonstrava o mesmo interesse dos poucos, porém fiéis fãs da banda.

Com 53 anos e usando o mesmo visual da década de 1980 - cabelos armados, maquiagem dark e trejeitos característicos -, Smith continua com o mesmo timbre de voz e notável competência como frontman.

Sinal de euforia entre os presentes, no entanto, só apareceu na sétima música da noite, "Just Like Heaven", e em alguns momentos depois, durante "Pictures Of You", "Lullaby" e "Fascination", trinca do álbum 'Disintegration' (1987):

Com mais de duas horas sem intervalo, a primeira parte da apresentação ainda contou com os singles "The Walk" (Japanese Whispers, 1983) e "Wrong Number" (Galore, 1997), além do hit radiofônico "Friday I'm Love", o ponto alto para o público até o momento.

No primeiro bis, o Cure alterou as três canções em relação ao que foi tocado no Rio dois dias antes. Na capital paulista entraram no repertório "The Kiss", "If Only Tonight We Could Sleep" e "Fight", todas do álbum 'Kiss Me, Kiss Me, Kiss Me' (1987).

Quando a última parte do show começou, às 22h50, muita gente deixava pista premium como se a noite já tivesse terminado. Ledo engano, afinal o Cure ainda tinha nada menos que 10 músicas engatilhadas.

Fato curioso aconteceu nas primeiras notas de "Boys Don't Cry", maior sucesso da carreira do grupo. Praticamente todos que deixavam o local voltaram correndo para pular, dançar e cantar a música que, para eles, resumiu a noite. Há controvérsias.

"Nos vemos em breve", disse Robert Smith ao sair do palco.

The Cure em São Paulo
Data: 06 de abril de 2013 (sábado)
Local: Arena Anhembi
Duração: 3h20

SET LIST:

1. Open (Wish, 1992)
2. High (Wish, 1992)
3. The End Of The World (The Cure, 2004)
4. Love Song (Disintegration, 1989)
5. Push (The Head On The Door, 1985)
6. In Between Days (The Head On The Door, 1985)
7. Just Like Heaven (Kiss Me, Kiss Me, Kiss Me, 1987)
8. From The Edge Of The Deep (Wish, 1992)
9. Pictures Of You (Disintegration, 1989)
10. Lullaby (Disintegration, 1989)
11. Fascination Street (Disintegration, 1989)
12. Sleep When I’m Dead (4:13 Dream, 2008)
13. Play For Today (Seventeen Seconds, 1980)
14. A Forest (Seventeen Seconds, 1980)
15. Banana Fishbones (The Top, 1984)
16. Shake Dog Shake (The Top, 1984)
17. Charlotte Sometimes (Single, 1981)
18. The Walk (Japanese Whispers, 1983)
19. Mint Car (Wild Mood Swings, 1996)
20. Friday I'm In Love (Wish, 1992)
21. Doing The Unstuck (Wish, 1992)
22. Trust (Wish, 1992)
23. Want (Wild Mood Swings, 1996)
24. The Hungry Ghost (4:13 Dream, 2008)
25. Wrong Number (Galore, 1997)
26. One Hundred Years (Pornography, 1982)
27. End (Wish, 1992)

BIS 1

28. The Kiss (Kiss Me, Kiss Me, Kiss Me, 1987)
29. If Only Tonight We Could Sleep (Kiss Me, Kiss Me, Kiss Me, 1987)
30. Fight (Kiss Me, Kiss Me, Kiss Me, 1987)

BIS 2

31. Dressing Up (The Top, 1984)
32. The Love Cats (Japanese, 1983)
33. The Caterpillar (The Top, 1984)
34. Close To Me (The Head On The Door, 1985)
35. Hot Hot Hot (Kiss Me, Kiss Me, Kiss Me, 1987)
36. Let’s Go To Bed (Whispers, 1983)
37. Why Can’t I Be You (Kiss Me, Kiss Me, Kiss Me, 1987)
38. Boys Don´t Cry (Single, 1979)
39. Saturday Night (Three Imaginary Boys, 1979)
40. Killing An Arab As Another (Single, 1978)

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Guitarras
As mais icônicas do Rock - Parte 8

Todas as matérias e notícias sobre "Cure"

Mulheres
10 músicas que ajudarão a conquistá-las

South Park
Aparições de estrelas do rock no desenho

Góticas
10 grandes bandas do gênero dos anos 80

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 08 de abril de 2013

Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Cure"

Rock
A história dos primórdios aos anos 90

João Gordo
O que ele acha da banda Babymetal?

Edu Falaschi
O fax com convite de seleção para o Iron Maiden

Jack White: Sem laços de amizade com a "eremita" Meg WhiteAxl Rose: vocalista do Trans-Siberian ensina a cantar como eleJustin Bieber: "Baby" em versões Hard, Metal e ExtremoEm 28/08/1993: Bruce Dickinson faz sua última apresentação com o Iron MaidenMarilyn Manson: ex-tecladista chateado porque cantor não morreu em janeiroOzzy Osbourne: "Eu não me lembro de nada dos anos 90"

Sobre Jorge A. Silva Junior

Jorge Junior é paulistano, jornalista diplomado e colaborador do Whiplash.Net desde 2009. Tem mais de 400 matérias e notas publicadas, que somam aproximadamente um milhão e meio de acessos. Também realizou a cobertura de shows de grande porte, entre eles Ringo Starr, Eric Clapton, Deep Purple, System Of A Down, Red Hot Chili Peppers e Ozzy Osbourne. O autor pode ser seguido no Twitter: @jorgejunior85.

Mais matérias de Jorge A. Silva Junior no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online