Foo Fighters: saciando a ansiedade dos fãs argentinos

Resenha - Foo Fighters (River Plate, Buenos Aires, 04/04/2012)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Débora Reoly
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Há 20 anos atrás Dave Grohl se apresentou em Buenos Aires quando manejava as baquetas do NIRVANA. Há 18 anos atrás Kurt Cobain cometia suicídio. Quem em sã consciência imaginaria que um baterista (que os próprios músicos dizem, brincando não fazer parte da banda) iria dar a volta por cima, assumir os vocais de uma nova banda, de um estilo alternativo a sua anterior e levar milhares de pessoas a seus shows, vendendo milhões de discos por todo o mundo? Após todo esse tempo a Argentina esperava ansiosa por um show do FOO FIGHTERS e a espera tinha chegado ao final, não apenas com um, mas dois shows da banda como headliner do Quilmes Rock Festival, o maior festival de Rock de Buenos Aires. As duas apresentações foram distintas, apenas com algumas trocas de canções e algumas surpresas no segundo dia que fizeram com que a segunda noite entrasse literalmente para a história do Quilmes Rock e também para a história do Foo Fighters, levando cerca de 120 mil pessoas ao Estádio do River Plate somada as duas noites.

Taylor Hawkins: ele diz qual banda matou o glam metal oitentistaRegis Tadeu: o chororô insuportável do Red Hot Chili Peppers

Fotos: Federico Maffi

1° DIA

Na terça-feira 3 de abril, tudo conspirava para um show perfeito: céu ensolarado, dia quente pós feriado das Malvinas. Passava das cinco da tarde e o público ainda era tímido no River Plate. Mesmo os portões terem sido abertos as 15 horas quem chegava ao entardecer ainda conseguia ficar muito próximo ao palco. O show da banda MGMT não empolgou o público. Era nítido que o público do primeiro dia estava ali apenas e somente pelo FOO FIGHTERS, ao final da apresentação do MGMT, já se anunciava nos telões a próxima atração, seguida de fogos de artifício, e pontualmente às 21 horas a banda sobe ao palco iniciando com músicas do seu último álbum "Wasting Light", seguindo com músicas de todos seus álbuns, "Echos, Silence, Patience and Grace", "There's Nothing Left to Lose", "Foo Fighters", "The Color and The Shape", "One By One", "In your Honor". Detalhe para a execução de "Big Me" que há tempos não executam em seus shows e que o público que estava em frente ao palco fez o pedido escrito em uma bandeira da Argentina.

Imagem

Os shows na Argentina sempre são emocionantes pois o público entre uma música e outra cantam a famosa música dos jogos de futebol, mas colocando o nome da banda ao final: "Ole, Ole, Ole, Ole, Ole, Ole, Ole, Ola, ole, Ole, Ole cada dia te quiero más! Oooh soy Foo Fighters! Es un sentimiento, no puedo parar!" É de arrepiar, os Argentinos sempre fazem isso nos shows e os músicos sempre ficam "bobos" e com o FOO FIGHTERS não foi diferente, Dave Grohl ficou sem palavras com cara de bobo olhando o público, depois em tom de brincadeira pediu silêncio e disse que era ele quem deveria estar na platéia e o público no palco.

Ao final da execução de "All My Life", quando as luzes se apagaram, em uma pausa de alguns minutos, muitas pessoas deixavam o River Plate pensando em se tratar mesmo do final da apresentação. E em pouco tempo o FOO FIGHTERS retorna com mais cinco músicas no bis. Sempre quis escutar ao vivo "Times Like These" na versão elétrica e também na acústica e esses dois shows me proporcionaram isso, voltaram tocando "Wheels" e "Times Like These" em versão acústica, terminando a apresentação com "Dear Rosemary" "Bad Reputation" tendo a própria Joan Jett como convidada e encerrando com a bela "Everlong". Em seguida fui tratar logo de descansar no hotel, para no dia seguinte enfrentar a maratona de assistir no campo o mais perto possível.

Set list - 03/04/2012

01) Bridge Burning
02) Rope
03) The Pretender
04) My Hero
05) Learn To Fly
06) White Limo
07) Arlandria
08) Breakout / Rockaway Beach (cover) do Ramones
09) Cold Day In The Sun
10) Big Me
11) Stacked Actors / Feel Good Hit Of The Summer (cover) QOTSA
12) Walk
13) Monkey Wrench
14) Let It Die
15) I Should Have Known
16) These Days
17) This Is a Call / In The Flesh ? (cover) Pink Floyd
18) Best of You
19) All My Life

Bis:
20) Wheels
21) Times Like These
22) Dear Rosemary
23) Bad Reputation (cover) com Joan Jett
24) Everlong

Imagem

2° DIA
Na quarta-feira, 4 de abril, foi o contrário. Tudo conspirava para o show ser cancelado. Já no café da manhã a previsão do tempo era de chuva e até granizo para a noite. Chegando ao meio dia ao River Plate, a fila já era imensa. A organização pecava em alguns pontos e era boa em outros. No caso a fila iniciava a 100 metros do Estádio, para assim não haver tumulto logo na entrada. Mas o que deixou a desejar (para a alegria de outros) foi o fato de haver vários Staff credenciados do show, vendendo ingressos falsificados ao preço de "Cuanto tienes?", que foram vendidos a 250 pesos ingresso campo (que no site e bilheteria custava 450 pesos), e os staff ainda acompanhavam até a entrada para mostrar que mesmo sendo falso a entrada era liberada, também não houve revista nos dois dias, a entrada era bem rápida, só destacavam o ingresso e "bueno show" e todos sabendo que em eventos desse porte as pessoas devem ser revistadas, pois sempre há malucos em meio a multidão (fãs dos Beatles sabem ao que me refiro).

Imagem

Ao final da apresentação do ARTIC MONKEYS o céu veio abaixo, chovia muito! E as pessoas que estavam ao fundo do campo para se proteger da chuva pegaram partes do assoalho que tapava o campo do estadio. O que fez com que a chuva contínua adentrasse o gramado e posteriormente virou um lamaçal. No intervalo entre os dois shows, todos estavam em dúvida se realmente haveria o show do Foo Fighters ou anunciariam o seu cancelamento, a todo instante aparecia o radialista da Rock e Pop avisando "só mais alguns minutos", pois o atraso já tinha se iniciado e a chuva não dava trégua, o vento era forte, partes da iluminação queimaram e o público gritava por FOO FIGHTERS. Até que as 21:30 todas as luzes do estadio são acesas e a banda sobe ao palco, pegando a todos de surpresa iniciando com "All My Life" e em seguida "Times Like These" na versão original(elétrica) que já tirou a todos do chão. Milagrosamente a chuva parou e aos poucos todos começaram a registrar as próximas canções em fotos e vídeos. Em "My Hero" por exemplo, o vapor que subia do público era impressionante.

Outro momento marcante foi quando a pedido do público, Dave Grohl assume a bateria em "Cold Day in The Sun" e Taylor Hawkins vai para o microfone de Dave. Momento único, que não aconteceu na noite anterior e não acontecia há tempos. Já ao final de "Stacked Actors" tocam um trecho de "Feel Good Hit Of the Summer" do Queens Of The Stone Age, e a introdução de "Run to The Hills" do Iron Maiden. O cover para "In the Flesh?" do Pink Floyd, foi emocionante, pois há poucos dias Roger Waters havia feito 9 shows no mesmo estádio que vai virar um DVD.

Imagem

Assim como na apresentação anterior, Dave Grohl convida Joan Jett para subir ao palco executando com ele uma de suas cancões mais conhecidas de Joan, "Bad Reputation" fazendo com que todo o River Plate saltasse junto. Após Joan Jett chama Dave, de Dave Fucking Grohl, e Dave a chama de Joan Fucking Jett. Em seguida o encerramento acontece como na noite anterior ao som de "Everlong", com todos ainda pedindo bis, mesmo após ter enfrentado vento, chuva e muito aperto meio a 60 mil pessoas.

Em certo momento Dave Grohl falou que não costumam acender todas as luzes em seus shows, mas que devido a isso, ele conseguia ver cada um dos ali presentes. Mesmo com parte da iluminação queimada (as palavras ROCK do lado esquerdo e direito do palco, só voltaram a funcionar ao término do show), Dave Grohl termina dizendo que "foi o melhor desastre da história do Foo Fighters". Poderia ter sido uma tremenda catástrofe, já que perto dali teve tremor em edifícios do bairro Once, e um vendaval que contabilizou com 17 óbitos. O vento e a chuva constante marcava como certo o cancelamento, mas felizmente parou e assim Buenos Aires pôde assistir a um dos melhores shows que já passaram pelo River Plate. E agora eu já no Brasil, cheia de hematomas pelo corpo, mas feliz de ter sobrevido a mais este show do Foo Fighters a menos de quatro metros do palco e ainda ter realizo a felicidade de mais 125 pessoas, levando três excursões do Rio Grande do Sul para este grande evento.

Set List 04/04/2012

1 - All My Life
2 - Times Like These
3 - Rope
4 - The Pretender
5 - My Hero
6 - Learn to Fly
7 - White Limo
8 - Arlandria
9 - Breakout
10- Cold Day in the Sun (com Dave Grohl na bateria)
11 - Long Road to Ruin
12 - Big Me
13 - Stacked Actors / Feel Good Hit Of The Summer (cover) QOTSA
14 - Walk
15 - Generator
16 - Monkey Wrench
17 - Hey, Johnny Park!
18 - These Days
19 - This is a Call
20 - In the Flesh? (cover) Pink Floyd
21 - Best of You

Bis
22 - Enough Space
23 - For All the Cows
24 - Dear Rosemary
25 - Bad Reputation (com Joan Jett)
26 - Everlong

Imagem

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Taylor Hawkins: ele diz qual banda matou o glam metal oitentistaFoo Fighters: "o novo álbum vai sair em algum momento"Foo Fighters: banda apresenta duas músicas inéditas em showDave Grohl: para ele, quem apoia Trump está "f*dido" da cabeçaFoo Fighters: banda será headliner do festival GlastonburyFoo Fighters: 1° show da banda foi surpresa; assistaTodas as matérias e notícias sobre "Foo Fighters"

Logos de Bandas
Blog elege o Top 10 dos mais bonitos

Nirvana e Foo Fighters
Bizarra semelhança entre os membros

Top 10
Por que o grunge não está morto?

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Foo Fighters"

Regis Tadeu
O chororô insuportável do Red Hot Chili Peppers

Guns N' Roses
Os esqueletos guardados no baú da banda

Rob Halford
"Lady Gaga é o que precisávamos agora na música!"

Separados no nascimento: sou só eu, ou eles são parecidos?Iron Maiden: curiosidades sobre o "The Number Of The Beast"Justin Bieber: "Baby" em versões Hard, Metal e ExtremoSlayer: Kerry King arrebenta mostrando os riffs da banda em vídeoGilby Clarke: Axl Rose nem falava diretamente comigoAndreas Kisser: "Pirataria é o efeito colateral do monopólio!"

Sobre Débora Reoly

Débora Reoly é gaúcha de Ijuí. É formada em Pedagogia e Turismo. Possui a agência de viagens Rocktour RS que é especializada em excursões a shows na América do Sul. Seu lema é "A vida não é um show de Rock. São vários!. Contato: www.facebook.com/debora.reoly.

Mais matérias de Débora Reoly no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online