Doro Pesch: "Se Deus é brasileiro, a Doro é carioca!!"

Resenha - Doro (Ilha dos Pescadores, Rio de Janeiro, 21/04/2011)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Rodrigo The Rock, Fonte: Rodz Online
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Rolou ontem no Rio de Janeiro o sensacional show da metal queen, Doro Pesch!!! Na noite anterior, Doro já tinha concedido uma noite de autógrafos na loja de CDs Sempre Música e foi super atenciosa com os fãs. Pra quem não conhece ou não sabe, a alemã Doro Pesch foi vocalista da banda oitentista de heavy metal/ Hard Rock Warlock e depois de diversas mudanças na formação da banda, Doro permaneceu como a única remanescente da formação original, o que culminou com o fim do Warlock para dar início à sua carreira solo.

Dia da Mulher: 10 nomes femininos de destaque no hard rockAnthrax: Scott Ian apresenta a solução para o Phil Anselmo

Imagem

Vamos ao show... apesar do atraso padrão de meia hora para abertura da casa e por consequência, para o início do show que começou por volta das 21:30h, os fãs ficaram mais que satisfeitos. Mesmo com a Ilha dos Pescadores, local escolhido para o show, contar com um espaço físico pequeno, o público que também foi pequeno, acabou tornando a apresentação mais intimista, aumentando ainda mais a interação de Doro com a platéia.

Imagem

Abrindo com dois clássicos do Warlock, "Earthshaker Rock" e "I Rule the Ruins", a rainha do metal e sua primorosa banda que conta com os músicos Nick Douglas (baixo), Luca Princiotta (guitarra e teclados), Bas Maas (guitarra, ex-After Forever) e Johnny Dee (bateria), pareciam muito empolgados e tiveram recepção calorosa dos cariocas. Doro interagiu muito com o público entre absolutamente todas as músicas, falou várias frases de efeito em português e não cansou de agradecer aos fãs. Chegou a rasgar seda para o Rio de janeiro quando disse em bom português com sotaque alemão: "Se Deus é brasileiro, a Doro é carioca!!". Histeria coletiva.

Imagem

Os clássicos do Warlock não paravam de pintar, como "The Night of the Warlock" e "Burning the Witches", ambas cantadas de forma efusiva pela galera. Doro chegou a descer do palco e colocou o microfone para alguns afortunados cantarem com ela. Em seguida, uma demonstração de amor ao eterno ídolo Ronnie James Dio, quando um fã jogou uma camiseta de Dio ao palco, Doro beijou a foto do mestre e introduziu "Egypt (The Chains Are On)". Alegria geral.

Imagem

O show seguiu com "Für immer" e "Metal Racer". Antes de cantar "Wacken Anthem (We are the Metalheads)", Doro lembrou que em 2009, compôs a música que seria o hino para o 20º aniversário do famoso festival alemão, Wacken Open Air. Seguindo com "True as Steel" e "Hellbound", Doro fez uma pequena pausa antes de tocar as duas músicas que fechariam a primeira parte do show, o cover do Judas Priest, "Breaking The Law", com uma introdução no melhor estilo versão acústica e "All We Are", ambas cantadas em uníssono.

Imagem

Imagem

No bis, depois de 14 músicas, Doro acabou ignorando a ordem do set previsto e estava disposta a atender os pedidos gritados pelo público. No fim das contas, por conta de um problema técnico com o baixo de Nick Douglas, a ordem prevista foi alterada e o baterista Johnny Dee ainda precisou improvisar um solo de bateria com direito a introdução de "I Love it Loud" do Kiss. Fechando a apresentação de 19 músicas, Doro mandou ainda "Burn It Up" que não fazia parte do set original, "You're My Family", "Above the Ashes", "Fight For Rock" e "Metal Tango".

Vale ressaltar a incrível disposição, tanto da Doro quanto da banda, já que todos esbanjaram uma incrível energia, não importando se estão em um grande festival europeu ou em um clube não tão lotado, como foi o caso. Mesmo com o passar do tempo e com anos de estrada, Doro deu 100% de si em sua performance e transpareceu muita humildade e sensibilidade em relação aos fãs que foram vê-la. Show nota 10. Impecável.

Imagem

Parabéns ao empenho da produção do evento em trazer Doro ao Rio, mesmo com as dificuldades de encontrar um local adequado e da decorrente carência de público na Cidade Maravilhosa. Aliás, cabe aqui um manifesto em relação a molecada que prestigia e lota eventos com bandas novas sem qualidade e ignora espetáculos com nomes de respeito como Doro, Glenn Huges, John Corabi, etc...

Set list Doro Pesch Brazil Tour 2011 (Rio de Janeiro):

1 - Earthshaker Rock
2 - I Rule the Ruins
3 - East Meets West
4 - Running From the Devil
5 - The Night of the Warlock
6 - Burning the Witches
7 - Egypt (The Chains Are On) (Dio cover)
8 - Für immer
9 - Metal Racer
10 - Wacken Hymne (We are the Metalheads)
11 - True as Steel
12 - Hellbound
13 - Breaking The Law (Judas Priest cover)
14 - All We Are

15 - Burn It Up
16 - You're My Family
17 - Above the Ashes
18 - Fight For Rock
19 - Metal Tango

Set Original (foi alterado)

Imagem

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Dia da Mulher
10 nomes femininos de destaque no hard rock

Todas as matérias e notícias sobre "Doro Pesch"

Dia da Mulher
10 nomes femininos de destaque no hard rock

Doro Pesch
Musa alemã do Metal quer morrer no palco

Kiss
As dez mais pesadas releituras de músicas da banda

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Doro Pesch"

Anthrax
Scott Ian apresenta a solução para o Phil Anselmo

Steven Tyler
"Minha primeira vez foi aos 7 anos, com gêmeas!"

João Gordo
Ed Motta tem razão, brasileiro não tem noção mesmo!

Ocultismo e Satanismo no Rock e Heavy MetalCornos do Rock: a dor e o peso do chifre em três belas cançõesMotorhead: Lemmy fala sobre ser solteiro para sempreTestament: não se acrescenta rap ao Thrash MetalMetallica: Jason Newsted é melhor que Cliff Burton, mas Lars e James ferraram eleGhost: se tivesse surgido em 1967 não existiria o Black Sabbath

Sobre Rodrigo The Rock

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online