Em 07/04/2011 | Resenha - Ozzy Osbourne (Citybank Hall, Rio de Janeiro, 07/04/11)

WHIPLASH.NET - Rock e Heavy Metal!

Resenha - Ozzy Osbourne (Citybank Hall, Rio de Janeiro, 07/04/11)


  | Comentários:

Que o Brasil – e no especifico caso, Rio de Janeiro - já se tornou rota das grandes turnês e bandas é fato consumado, mas receber em menos de quinze dias os shows de Iron Maiden e Ozzy Osbourne chega ser covardia. Duas das bandas que ainda merecem alguma atenção e não se coloca no hall dos navios afundados. Com isso, o público teve que se virar nos trinta para conseguir dindin e prestigiar as lendas ao vivo e cores.

O texto representa a opinião do autor, não do Whiplash.Net ou de seus editores.

E pelo visto o público se virou nos quinze. Com um Citibank Hall lotado o velho Prince of Darkness cumpriu a promessa feita na última turnê, em 2008, que não demoraria nadinha para uma volta à Cidade Maravilhosa. Sabiamente a energética “Bark at the Moon” é a canção que abre a noite e dá o tom de como seria o resto da apresentação do madman. Na mesma entoada “Let me Hear you Scream” não deixa a peteca cair, mesmo sendo uma canção nova e estar longe de representar todo o poderio do set list do cantor.

Depois uma breve conversa com público, o que serviu para atiçar e desafiar mais um tanto, o vocalista anuncia “Mr. Crowley” que vem rememorar a importância do álbum Blizzard of Ozz para história do rock, e, inevitavelmente, acaba vindo à cabeça que foi bendita hora que Ozzy tomou o pé na bunda dos antigos ‘compadres’ do Sabbath.“I don’t Know” é mais uma representante do clássico disco, e registra em cartório o que foi dito anteriormente.

Não é nada legal fazer comparações entre músicos – ou arte, de forma geral -, afinal cada um tem sua personalidade e imprime na arte aquilo que sente. Mas desconsiderando cegamente essa afirmação e, sim, cometendo a audácia de fazer comparações. Essa nova turnê, assim como a banda, está a passos largos a frente do que foi apresentado em 2008. A banda soa melhor e mais pesada; há mais garra e vontade de fazer um bom espetáculo, ainda que sejam requisitos para lá de simplórios, e que alguns insistem em subestimar, determinam, sem sombra de dúvida, o sucesso de uma banda no palco. E para Ozzy e sua trupe foram itens decisivos e de sobra na atual turnê, ainda bem.

“Fairies Wear Boots” com sua letra pra lá de lisérgica é bem recepcionada, sendo a primeira canção resgatada do álbum “Paranoid”. Em mais uma rápida viagem ao tempo, “Suicide Solutions” com seu deboche e crítica aos beberrões de plantão prova que rock e simplicidade são um casamento mais que perfeito. Nessa altura do show já era mais que tempo suficiente para se ter o diagnóstico: Gus G foi escolha mais que bem acertada. Boa técnica, musicalidade e ótima performance fazem do jovem guitarrista um nome diferenciado. E mais. Conseguiu imprimir na música de Ozzy seu estilo sem desfigurar as canções.

Ozzy não economizou nos clássicos. Do fundo do baú veio “Shot in the Dark” com seu ar glamoroso dos anos 1980; “Road to Nowhere” já é de casa e é garantia de boa recepção pelos fãs. Foi um dos melhores momentos da noite, com Citibank Hall cantando cada verso da canção. “War Pigs” faz parte do beaba do rock pesado, poucas coisas soam e ou têm pretensão de soar tão pesado e melódico ao mesmo tempo. O momento esfria do show ficou por conta de “Rat Salad”, tema instrumental que contou com solos individuais do guitarrista Gus G e o baterista Tommy Clufetos. Mesmo com Gus dando uma boa aula de guitarra e a lambuja de um brasileirinho e Tommy com sua enérgica apresentação, foi um momento dispensável do show. Seria interessante voltar com Killers of Giants, canção que era tocada na primeira perna da turnê.

Depois de recuperado fôlego Ozzy retoma as rédeas do show com “Iron Man”. Desnecessário enfatizar o poder que a canção tem ao vivo, bem como recepção calorosa dos fãs a ela. A ganhadora de Grammy, “I Don’t Want to Change the World”, consegue fazer uma dobradinha esperta com “Crazy Train”, fechando com chave de ouro a primeira parte da apresentação.

Sem muito tempo a perder, o velho madman volta ao palco com o carisma e emoção de “Mama I’m Coming Home”. “Vocês querem mais uma música?”, diz o cantor. Pergunta com resposta mais que obvia. Ozzy deu cheque mate com “Paranoid” e, lógico, levando todos à loucura. E foi assim: em uma hora e trinta de show que o Prince of Darkness aprontou mais uma de suas bagunças no Rio de Janeiro. É cedo para cantar a pedra, mas que há grande chance de um disco bacana com essa formação isso não há dúvida. Que se profetizem essas palavras. Vida longa ao pai do heavy metal!!!

Set list:

Bark at the Moon
Let Me Hear You Scream
Mr. Crowley
I Don’t Know
Fairies Wear Boots
Shot in the Dark
Road to Nowhere
War Pigs
Rat Salad
Iron Man
I Don’t Want to Change the World
Crazy Train

Bis

Mama I’m Coming Home
Paranoid

Criado em 1996, Whiplash.Net é o mais completo site sobre Rock e Heavy Metal em português. Em março de 2013 o site teve 1.258.407 visitantes, 2.988.224 visitas e 8.590.108 pageviews. Redatores, bandas e promotores podem colaborar pelo link ENVIAR MATERIAL no topo do site.

Outras resenhas de Ozzy Osbourne (Citybank Hall, Rio de Janeiro, 07/04/11)

Ozzy no Rio: Quem não foi perdeu um ótimo show


  | Comentários:

Todas as matérias da seção Resenhas de Shows
Todas as matérias sobre "Ozzy Osbourne"

Kelly Osbourne: filha de Ozzy dublará nova série da Disney
Black Sabbath: Ozzy volta a comentar sobre o sucessor de "13"
Ozzy Osbourne: "me sinto como um jovem de 19 anos"
Mötley Crüe: A turnê com Ozzy foi o auge do alcoolismo
Black Sabbath: Ozzy está animado por poder tocar em Londres
Ultimate Classic Rock: Os 10 melhores singles de estreia
Vinny Appice: Sabbath de Dio e Ozzy tem a mesma força musical
Ozzy Osbourne: ameaçando de processo fabricantes de cerveja
Rockstars: algumas imagens de momentos pessoais emocionantes
Kelly Osbourne: há dez anos achava que nem estaria viva até hoje
Kelly Osbourne: salva de ser atropelada por seu cachorro
Metallica: Tributo a Ozzy Osbourne no MusiCares
Cálice Sagrado: baixista posta material inédito de Randy Rhoads
Ozzy: "Randy foi a melhor coisa que já me aconteceu"
Kelly Osbourne: ela está voltando a ser o que era antes

Os comentários são postados usando scripts do FACEBOOK e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Pense antes de escrever; os outros usuários e colaboradores merecem respeito;
Não seja agressivo, não provoque e não responda provocações com outras provocações;
Seja gentil ao apontar erros e seja útil usando o link de ENVIO DE CORREÇÕES;
Lembre-se de também elogiar quando encontrar bom conteúdo. :-)

Trolls, chatos de qualquer tipo e usuários que quebram estas regras podem ser banidos sem aviso. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Sobre Marcelo Prudente

Marcelo Prudente, 28 anos, nascido em Volta Redonda/Rio de Janeiro. É profissional da área de Comunicação, trabalha com Publicidade e Jornalismo. Começou a tomar gosto pela música quando criança por influência dos pais e tio. Louco pela carreira do velho madman, Ozzy Osbourne. Curte também Iron Maiden, Kiss, Rammstein, Rob Zombie, Alice Cooper, etc. E já perdeu a conta dos bons shows que já assistiu e dos ótimos discos que tem. Para mais informação: http://rockonstage.blogspot.com/. Long live to Rock n' Roll.

Mais matérias de Marcelo Prudente no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

QUEM SOMOS | ANUNCIAR | ENVIAR MATERIAL | FALE CONOSCO

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em março: 1.258.407 visitantes, 2.988.224 visitas, 8.590.108 pageviews.


Principal

Resenhas

Seções e Colunas

Temas

Bandas mais acessadas

NOME
1Iron Maiden
2Guns N' Roses
3Metallica
4Black Sabbath
5Megadeth
6Ozzy Osbourne
7Kiss
8Led Zeppelin
9Slayer
10AC/DC
11Angra
12Sepultura
13Dream Theater
14Judas Priest
15Van Halen

Lista completa de bandas e artistas mais acessados na história do site

Matérias mais lidas