Em 23/10/2009 | Resenha - Ripper Owens (Hangar Bar, Curitiba, 23/10/09)

WHIPLASH.NET - Rock e Heavy Metal!

Resenha - Ripper Owens (Hangar Bar, Curitiba, 23/10/09)

Por André Molina | Fonte: autoria própria

  | Comentários:

O ex-vocalista do Judas Priest, Tim Ripper Owens, deu prosseguimento a sua turnê brasileira com show em Curitiba no dia 23 de outubro no Hangar Bar. No repertório formulado especialmente para o país, o cantor exibiu um conjunto de canções do Judas Priest e interpretações para consagradas músicas de heavy metal. Ele não se reservou a somente apresentar canções dos CDs que participou no Judas. O set list incluiu músicas das décadas de 70, 80 e 90. Quem acompanhou Ripper Owens foi a banda paulista Tempestt, que solidifica uma trajetória fazendo turnês ao lado de grandes nomes do metal. Ainda neste ano, o grupo foi banda de apoio de Jeff Scott Soto. O entrosamento entre BJ (vocal e guitarra), Leo Mancini (guitarra), Gabriel Triani (bateria) e Paulo Souza (baixo) deu segurança a Owens. O Tempestt exibiu arranjos fiéis aos originais.

O texto representa a opinião do autor, não do Whiplash.Net ou de seus editores.

Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Fotos: Karil Soar

Após breve abertura das bandas curitibanas Epilepsya e Shoot N’ Blaze, Ripper preferiu iniciar a apresentação já detonando com clássicas canções do Judas como “Painkiller”, “The Ripper” e “Burn in Hell” (música do disco Jugulator – primeiro com Ripper Owens). Talvez pelo novo álbum solo “Play My Game” não estar ainda à venda no mercado brasileiro, o cantor preferiu basear o set list em canções do Judas Priest. Sorte do público que chegou a casa para prestigiar as interpretações de Ripper para as canções da consagrada banda inglesa.

Em seguida, os fãs receberam mais canções de Judas, entre elas “Electric Eye” (responsável por um dos melhores momentos da noite), a obscura "The Green Manalishi” do disco “Hell Bent For Leather” de 1979, “One On One” do “Demolition” (último álbum com o cantor) e Grinder.

O cantor também reservou uma parte do show para exibir alguns covers. O público chegou a esperar interpretações para “Highway Star” (Deep Purple), “Paranoid” (Black Sabbath) e “Gates of Babylon” (Rainbow) que constavam em outros repertórios, mas foram retiradas do set list de Curitiba. Ripper incluiu “Symptom of The Universe” (Black Sabbath) e “Flight of Icarus” (Iron Maiden), que agradou bastante o público. Vale dizer que a canção ficou muito boa na voz de Owens.

Para relembrar sua passagem na carreira do guitarrista sueco Yngwie Malmsteen, o ex-vocalista do Judas Priest executou “Rising Force”. Estranhamente ele preferiu incluir a canção no lugar de qualquer outra música que ele gravou no álbum de Malmsteen do qual participou, o “Perpetual Flame”, de 2008.

Do disco solo “Play My Game”, a canção que agradou foi “Starting Over”. Apesar da maioria dos fãs presentes não conhecerem, o novo trabalho teve uma boa receptividade.

Para fechar, o lendário cantor apresentou uma dobradinha clássica de Judas Priest, com “Breaking the Law” e “Living After Midnight”, do álbum mais marcante da banda britânica, o “British Steel”.

O show foi um dos melhores eventos de heavy metal em Curitiba no ano de 2009. É uma pena que pouca gente presenciou o espetáculo. Estima-se que o público foi inferior a 200 pessoas. Quem admira Judas Priest dificilmente vai poder presenciar evento de tal qualidade na capital paranaense.

Aberturas

As duas bandas que abriram o show de Ripper Owens executaram breves repertórios que esquentaram a platéia. Os curitibanos do Epilepsya aproveitaram a oportunidade para priorizar as composições próprias em meia hora. No estilo do grupo são nítidas as influências de Sepultura, Slayer e Pantera. O que se destaca na banda é a presença de palco. O vocalista e guitarrista, Cleiton Valle, exibe uma maneira de cantar que lembra Rob Zombie. Já o baixista Jeison parece espancar as quatro cordas.

Além das músicas de própria autoria, o Epilepsya também expôs versões de "Symptom of The Universe" (Black Sabbath) e "Ace of Spades" (Motorhead). Já o grupo Shoot n’ Blaze preferiu optar pelos covers, agradando o público com canções do heavy metal clássico, de bandas como Iron Maiden e Dio.

Tarde de autógrafos

No período da tarde, Tim Ripper Owens recebeu aproximadamente 30 fãs na loja de discos e roupas Let’s Rock, localizada no centro de Curitiba. Ele tirou fotos e autografou CD’s e DVD’s. Percebeu-se que os fãs esperavam ter a oportunidade de comprar o álbum “Play My Game”, que ainda é uma raridade no Brasil. Após conversar com admiradores e curiosos, Ripper foi presenteado com um par de tênis , que estava exposto na vitrine da loja.

Criado em 1996, Whiplash.Net é o mais completo site sobre Rock e Heavy Metal em português. Em março de 2013 o site teve 1.258.407 visitantes, 2.988.224 visitas e 8.590.108 pageviews. Redatores, bandas e promotores podem colaborar pelo link ENVIAR MATERIAL no topo do site.


  | Comentários:

Todas as matérias da seção Resenhas de Shows
Todas as matérias sobre "Tim Owens"

Terror Former: Ripper, Jake E. Lee e Bob Daisley em supergrupo?
Kreator: "Sempre acreditei que a música nos une!"
Tim "Ripper" Owens: vídeo de clássicos do Judas Priest e Sabbath
Tim "Ripper" Owens: show no Rio nesta sexta
Tim 'Ripper' Owens: cover de "Man In The Box" do AIC ao vivo
Tim Ripper Owens: ingressos à venda para show no Rio
Tim "Ripper" Owens: "será um dia triste quando Lemmy morrer"
Tim Owen: participação especial no show da Red Sun Rising
Tim Owens: set inteiro de Judas Priest em seu retorno ao Brasil
Tim Ripper Owens: imagens pro-shot da turnê sul-americana
Kreator: informações sobre os shows no Brasil
Zoombie Ritual: Kreator, D.R.I., Benediction e Ripper Owens
Dio Disciples: resenha do show em SP do Minuto HM

Os comentários são postados usando scripts do FACEBOOK e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Pense antes de escrever; os outros usuários e colaboradores merecem respeito;
Não seja agressivo, não provoque e não responda provocações com outras provocações;
Seja gentil ao apontar erros e seja útil usando o link de ENVIO DE CORREÇÕES;
Lembre-se de também elogiar quando encontrar bom conteúdo. :-)

Trolls, chatos de qualquer tipo e usuários que quebram estas regras podem ser banidos sem aviso. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Sobre André Molina

André Molina é jornalista, economista e começou a ouvir heavy metal ainda quando era criança. Tem 30 anos de idade e Rock 'n' Roll é sua religião.

Mais matérias de André Molina no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

QUEM SOMOS | ANUNCIAR | ENVIAR MATERIAL | FALE CONOSCO

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em março: 1.258.407 visitantes, 2.988.224 visitas, 8.590.108 pageviews.


Principal

Resenhas

Seções e Colunas

Temas

Bandas mais acessadas

NOME
1Iron Maiden
2Guns N' Roses
3Metallica
4Black Sabbath
5Megadeth
6Ozzy Osbourne
7Kiss
8Led Zeppelin
9Slayer
10AC/DC
11Angra
12Sepultura
13Dream Theater
14Judas Priest
15Van Halen

Lista completa de bandas e artistas mais acessados na história do site

Matérias mais lidas