Resenha - Badfinger (Campinas, 22/04/2006)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Gabriel Gonçalves
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

O Badfinger é uma daquelas bandas que merecem muito mais reconhecimento do que realmente tem. Contratada pela Apple Corporation - empresa que os Beatles fundaram para lançar seus trabalhos e de outros artistas – em 1968 quando ainda se chamava The Iveys, a banda lançou seu primeiro single – "Maybe Tomorrow" – que não vendeu o esperado. Em 1969, ainda como The Iveys, eles estouraram com a canção "Come and get it", escrita por Paul McCartney. Em 1970, eles adotaram o nome Badfinger e estabilizaram a formação conhecida como a clássica na história da banda: Pete Ham na guitarra e voz, Mike Gibbins na bateria, Tom Evans no baixo e voz, e Joey Molland, o mais novo integrante, na guitarra e voz.

Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1981Lemmy: chorando, Dave Grohl se despede do grande amigo

Trinta e seis anos depois, o Badfinger vem ao Brasil para uma única apresentação em Campinas-SP, no evento Campinas Moto Week. Contando apenas com Joey Molland como remanescente da formação clássica, já que Pete Ham e Tom Evans se suicidaram e Mike Gibbins morreu de causas naturais, o Badfinger fez um show arrasador, mesmo com um público minúsculo.

O show começou por volta das 23h30 com a clássica Come and get it. O som estava muito bem equalizado, e a banda extremamente entrosada brindou o público com verdadeiros hinos do rock. "Day after day", "Baby blue", "Midnight caller" e, é claro, "No matter what you are", o maior hit da banda, fizeram o pequeno, porém animado público, cantar, pular, dançar, gritar, enfim, curtir um show de Rock n’ Roll do jeito que ele deve ser curtido.

Vale destacar a postura da banda que, mesmo tocando para um público diminuto, parecia se divertir o tempo todo o que, consequentemente, contagiou a audiência. Como era de se esperar, Molland foi o porta voz da banda, contando as histórias e curiosidades de cada canção que tocavam. Uma grande surpresa foi ver que todos os integrantes da banda se revezavam nos vocais, com a exceção do baterista John Richardson. Um dos pontos altos da noite – e foram vários – foi ver o baixista Mark Healey cantando "Midnight Caller". Que voz tem esse cidadão!

Após duas horas de show aproximadamente, os integrantes marcam o tempo e cantam com as vozes harmonizadas: "sonny/if you want it/here it is/come and get it"... Terminando com os versos "you’d better hurry/’cause it’s going fast". Um final emocionante para um show irretocável, que já devia ter acontecido há muito tempo. Ainda bem que a chuva, mesmo ameaçando, não apareceu para disfarçar as lágrimas nos rostos de boa parte das pessoas que lá estavam e, com certeza, Pete, Tom e Mike também apareceram por lá para abençoar seu irmão Joey Molland e seus atuais comparsas. Um show que só o Rock n’ Roll consegue proporcionar!

Badfinger:
Joey Molland – Guitarra e vocal
Billy Davis – Guitarra e vocal
Mark Healey – Baixo e vocais
Steve Wozny – Teclado e vocais
John Richardson - Bateria

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Todas as matérias e notícias sobre "Badfinger"

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Badfinger"

Heavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados no ano de 1981

Lemmy Kilmister
Chorando, Dave Grohl se despede do grande amigo

Slash
"Nunca fui o que você chamaria de guitarrista técnico!"

Kiko Loureiro: contando como foi chamado pelo MegadethRock Brasileiro da Década de 70Twisted Sister: Dee Snider responde bonito a Gene SimmonsW. Axl Rose: antes do Hollywood Rose e do Guns houve o RapidfireRaven: James Hetfield pagou pau pra banda em show no BrasilPantera: músicos do Korn, Slayer e outros comentam sobre a banda

Sobre Gabriel Gonçalves

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em agosto: 1.237.477 visitantes, 2.825.604 visitas, 7.034.755 pageviews.

Usuários online