Resenha - Deep Purple (Goiânia Arena, Goiânia, 12/09/2003)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Marco Camargo
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Quem disse que os dinossauros foram extintos? No ultimo dia 11, em plena quinta-feira, em um vôo da TAM,``as 15:00 hrs, desembarcaram no Aeroporto Santa Genoveva, aqui em Goiânia, cinco espécies raras de dinossauros. Dinossauros do Hard-Rock.

Rock e Metal: Doze ótimos álbuns para iniciantesPlanet Rock: As músicas com os melhores solos de guitarra

Mr. Voice & Cia, sem segurança alguma, adentraram o saguão do aeroporto de encontro aos fãs. Ávidos pelo primeiro contato, os purplemaniacos se depararam com cinco figurões.Não sei qual adjetivo usar: simplicidade, humildade,educação....De uma coisa tenho certeza: igual a esses cara, existem poucos na vida.

Deixando o aeroporto, a banda rumou ao hotel, saindo de lá, só à noite. Como fã que sou, resolvi chamar um grupo de amigos e dar aquela “passada” no hotel, para ver se conseguia saber do paradeiro dos Purples.Perguntando a um dos recepcionistas, fui informado de dois possíveis locais onde se encontravam a “moçada”.Segui a informação, e para minha surpresa, na segunda hipótese levantada, lá estava ela, a vã que transportava minha banda preferida. Banda que acompanho desde 1983.Aroeira Bar, esse era o meu destino.A sorte estava lançada.

A surpresa foi enorme. O citado bar, sempre vive lotado. Justo aquela noite, só havia uma mesa ocupada. Preciso dizer quem eram os ocupantes? Preciso sim, pois não estavam todos que vocês estão pensando. Duas figuras eu reconheci de cara: Gillan e Glover. Acompanhando-os, estavam um roadie, um casal que não fiquei sabendo quem era e Miss Adriana, representante da EMI no Brasil.

Após devidamente instalados, pedimos a primeira cerveja.Nessa hora, o controle da respiração se fez necessário.Tentar manter a calma numa situação dessas, se torna quase uma utopia.Afinal, lá se vão 20 anos afora, ouvindo os acordes do Deep Purple.

Depois de algumas apresentações e do primeiro contato feito, veio àquela famosa seção autógrafos. Como sou uma pessoa prevenida, carregava a tira-colo, digo porta-malas, uma pequena seleção de aproximadamente 40 CDs. Foi nesse momento que pedi a Sra. Adriana, da EMI, que dissesse aos dois que, eu tinha preparado um presente para a banda. Pois, quando fiquei sabendo da vinda deles para o Brasil, contatei o Departamento de Marketing do Goiás Esporte Clube e consegui ganhar cinco camisas oficiais do Verdao. Não hesitei, mandei bordar o nome de cada componente nas camisas.

Aproveitando a oportunidade rara, que surgiu, comentei com a interprete que gostaria muito de ver Mr. Voice cantando Smoke on the Water, vestido com a referida camisa. Gillan interrompeu nossa conversa e perguntou para ela, o que eu tinha dito. Após o relato, de cara ele fez a promessa. Quase tive um “piripaque”. Após alguns pares de cerveja, regadas ao som de In Rock, Fireball, e Perfect Strangers, Mr. Gillan e Glover, vieram sentar a nossa mesa. Foi nesse momento que nossos flashs começaram a espocar. Gillan, então, olhou para o relógio: 02h30 de Sexta-feira. Muito educados e cordiais, os Purples se despediram, deixando para trás, alguns faz estasiados. O clima contagiou ate nossas esposas e filhos. Minha pequena Nathalia, de apenas 2 anos, dançou e pulou com muita vibração as musicas. Algo inacreditável acabara de acontecer: seu papai tinha acabado de dividir uma mesa de bar com o Deep Purple....

Sexta-feira, 11:30, a hora da coletiva chegou. A sala no hotel, estava lotada.Fizemos varias perguntas. Com muita competência e paciencia, os mestres responderam uma a uma. Próxima parada: Goiânia Arena.

20h30, as bandas de abertura, o MQN e o The Note, fizeram shows rápidos, mas eficientes. Foi então que anunciaram: "Com vocês..."

Foi ai que tive uma surpresa: o ginásio estava quase lotado. O publico foi ao delírio, quando os acordes de Highway Star começaram. Ai começou o dilema: será que vou conseguir separar o repórter do fã? Como diz o velho jargão: A emoção fala mais alto.Ver os Purples desfilar “velhos clássicos” como: Woman From Tókio, Lazy,Hush,Perfect Stragers,Black Night, Knocking at Your Back Door, e a mais pedida: Smoke on the Water, com Gillan trajando a camisa do meu Goiás, foi algo que emocionou a todos. Do Bananas (um grande disco), eles tocaram I’ve Got Your Number, Silver Tongue,Contact Lost,Haunted, Bananas e House of Pain. Entre uma musica e outra, tivemos ainda vários Medleys. Steve Morse saiu com Starway to Heaven e Sweet Child of Mine. Don Airey veio com Dificult to Cure e um trecho do Hino do Goiás. Mr Paice, bem que ensaiou um solo, mas me pareceu que Gillan o “atravessou” meio que sem querer. Já Mr.Voice, veio de Jesus Christ Superstar.

Para não dizer que foi perfeito, achamos que o show foi curto (01:45) e faltaram alguns clássicos, que não podiam ficar de fora: Stranger Kind of Woman, Space Truckin, Child in Time....

Mas isso, foi apenas um detalhe. A noite foi inesquecível. Foi uma daquelas noites que não vai sair das cabeças de nenhum roqueiro de verdade que esteve presente no Goiânia Arena. Bastava olhar para os rostos de cada uma que deixava o Ginásio. Parecia que todo mundo tinha visto assombração.

Long Live To Deep Purple. Thank You Very Much. A partir de hoje, eu acredito que dinossauro ainda vive.

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Rock e Metal
Doze ótimos álbuns para iniciantes

Smoke on the Water: jovens garotas tocam clássico do Deep PurpleDeep Purple: gravadora deu a ideia para título de novo discoDeep Purple: Roger Glover garante que turnê do "adeus" será longaDeep Purple: confira nova música, "All I Got Is You"Todas as matérias e notícias sobre "Deep Purple"

David Coverdale
"Sou eternamente grato ao Deep Purple"

Wikimetal
Top 11 Músicas que fazem arrepiar

Cantam muito
Onze dos maiores vocais isolados que você vai ouvir

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Deep Purple"

News.com.au
Guns, Floyd, Lynyrd e Van Halen são os melhores solos?

Angra
Problemas não se resolvem com sonho de doce de leite

Bruce Dickinson
Ouça o alcance de quatro oitavas do vocalista

Avenged Sevenfold: desmistificando o ódio pela bandaFotos de Infância: Red Hot Chili PeppersJimi Hendrix: 12 coisas que talvez você não saiba sobre eleO Metaleiro: versão metal para o hit "Piradinha"Bruno Sutter: novo video satiriza os radicais do MetalIron Maiden (1969): Tesouro Perdido do Rock e Heavy Metal

Sobre Marco Camargo

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em agosto: 1.237.477 visitantes, 2.825.604 visitas, 7.034.755 pageviews.

Usuários online