"Imagine": Utopia só na poesia

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Claudinei José de Oliveira, Fonte: rollandorocha.blogspot
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

A música Imagine, de John Lennon, é um atentado à humanidade, não por ser piegas, brega, pegajosa, como, de fato, é, mas, principalmente, por suscitar, em seus versos, condições altamente perniciosas à psiquê: dê ao ser humano o equilíbrio, a satisfação, a segurança e ele, enquanto ser, definha. Aquilo que faz do ser humano, humano, foi resumido pelo velho Schopenhauer da seguinte forma: "dê-lhe a satisfação de um desejo e dois novos surgem no lugar". Não é à toa que todas as experiências históricas de igualdade social só foram garantidas com o uso da violência. Não é à toa que as condições propostas nos versos foram definidas pelos antigos gregos, sábios que só, como utopia: u = não; topos = lugar. Portanto utopia é o "não-lugar", ou "lugar que não existe".

Assalto em Niteroi: A inacreditável manchete do Meia-HoraMotorhead: Lemmy comenta as suas tatuagens e as tatuagens dos fãs

Lennon: Jesus Cristo Superstar?!!!

John Lennon sempre nos ensinou que, dele, podíamos esperar tudo: desde o início dos Beatles se mostrou o "porra-louca" por excelência. Senão, vejamos: o lance dele afirmar que os Beatles seriam maiores que Jesus Cristo. Teve que baixar a franja e, nervosamente, tentar remendar o dito em entrevistas e se, como dizem por aí, Jesus o castigou, foi transformando-o em uma espécie de Cristo de segunda categoria com sua morte. As fotos nuas e o casamento com Yoko Ono dispensam comentários. Se envolveu com drogas pesadas e cantou, em Lucy In The Sky With Diamonds e Cold Turkey, por exemplo, suas experiências. Sabemos que para o bem ou para o mal, música é uma espécie de propaganda. Além de tudo, apoiou a esquerda radical e sabemos, muito bem, do resultado de experiências de governo baseadas no radicalismo esquerdista: extravasar todo o ódio acumulado no ressentimento em não ter sido governo na violência social, garantindo, assim, a "igualdade". No fundo, porém, John Lennon foi apenas um ser humano.

Mas um ser humano que não teve pudor em tornar público os fantasmas que o assombraram. Com isto, se tornou, literalmente, um alvo fácil. Ele próprio se definiu em entrevistas como "um palhaço capaz de rir de si mesmo": pode ser uma citação de Nietzsche mas pode ser, também, um tiro no próprio pé.

O biógrafo Philip Norman narra, no livro John Lennon: Vida, a história de que, no final dos anos 1970, entre vários investimentos, Lennon e Yoko compraram gado leiteiro e, quando o negócio não deu o retorno esperado, uma das pessoas envolvidas foi chamada para prestar contas. Diante de uma inquisição irada, tal pessoa teria, com muita presença de espírito, citado o verso "imagine no possessions", de Imagine, que pode ser traduzido como "imagine que não haja posses". Lennon, bufando de raiva, retrucou: "Isto é só a porra de uma música". Este é o John Lennon fascinante. De verdade.

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Beatles
A ocasião em que Ringo Starr saiu da banda

Assalto em Niteroi: A inacreditável manchete do Meia-HoraFloyd, Beatles, Dylan: não gostariam de começar a carreira hojePaul McCartney: K7 exclusivo será lançada na Record Store DayBeatles: a história do integrante temporário vai virar filmeBeatles: "Sgt Peppers" ganha edição de 50 anos com faixas extrasTodas as matérias e notícias sobre "Beatles"

Fotos
Blog elege o Top 10 das mais emblemáticas do Rock

Q Magazine
Leitores elegem as 100 Maiores Estrelas do Século XX

Capas de discos
Agora com ícones da cultura pop

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção OpiniõesTodas as matérias sobre "John Lennon"Todas as matérias sobre "Beatles"

Motorhead
Lemmy comenta as suas tatuagens e as tatuagens dos fãs

Lemmy Kilmister
Conheça a "caverna" onde mora o líder do Motorhead

Andre Matos
Conheça a esposa sueca e o filho do vocalista

Aerosmith: Steven Tyler e três mulheres nuas no chuveiroO tempo é implacável: a turma do rock/metal não sabe envelhecer?Câncer na língua: outros cinco músicos que sofreram deste malMetal: os dez maiores bateristas da atualidadeTradução - Highway To Hell - AC/DCMötley Crüe: cocaína, pilhas de Ferraris e outros excessos

Sobre Claudinei José de Oliveira

Claudinei José de Oliveira é graduado em História e aproveita o tempo vago para ouvir, ler e escrever rock´n´roll e conversar com seus cachorros. Criou e mantém o blog rollandorocha.blogspot.

Mais matérias de Claudinei José de Oliveira no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online