Angela Gossow: adolescência conturbada, família, medos e planos

WHIPLASH.NET - Rock e Heavy Metal!

Angela Gossow: adolescência conturbada, família, medos e planos


  | Comentários:

Angela Gossow, frontwoman do ARCH ENEMY, publicou em dezembro de 2006, em sua página pessoal no MySpace.com, trecho de um diário onde conta um pouco de sua vida, a adolescência conturbada, sua família, seus medos, planos para o futuro e até sobre culinária.

Leia abaixo os principais trechos:

“Nasci em Cologne, Alemanha, numa noite sombria e chuvosa de novembro, em 1974. Dia 05 para ser mais exato. O que faz de mim uma escorpiana com ascendente em câncer ou, em outras palavras, uma pessoa de personalidade ambivalente que adora o extremo. Eu tive uma infância agitada e maravilhosa com meus três irmãos no campo, até que decidi ser uma adolescente revoltada, trocando meus discos de vinil do Queen por LPs do Carcass, Morbid Angel e Cannibal Corpse. Eu estava com cerca de 16 anos e conseguia irritar como ninguém meus pais muito católicos e tradicionais [Felizmente eles pararam com aquela ‘viagem’ agora]”.

“Eu entrei para minha primeira banda de Death Metal em 1991: ASMODINA. Pouco tempo depois, eu me mudei de casa... bem, eu meio que fugi, eu tinha 17 anos na época. Num piscar de olhos minha infância tinha se transformado numa adolescência infernal. Meus pais se divorciaram. O negócio deles foi à falência. Nossa casa foi leiloada. Eu era uma estranha na escola; ninguém me entendia. Roupas estranhas, música terrível [barulho, na verdade] e desenhos sangrentos nas aulas de educação artística não faziam de mim a pessoa mais sociável do lugar. Eu não ligava pra porra nenhuma! Eu tinha a minha banda. Eu tinha o Heavy Metal. Bom, eu era muito perturbada. Fui pra terapia por uns dois anos. Tive problemas com a alimentação. Basicamente eu tentei aos poucos ir desaparecendo. Minha música me manteve viva. Era algo pelo qual se valia à pena viver”.

“Eu terminei o colégio e comecei a trabalhar como estagiária em uma firma de publicidade. Eu me especializei em marketing online e simultaneamente comecei a estudar economia na Universidade de Colonha. Eu nunca parei de dar meus gritos na minha banda durante todos esses anos. Em 1997 Asmodina deu uma parada nas suas atividades e eu formei a MISTRESS. Nós éramos muito ativos, fazendo shows todo fim de semana e gravando demos. Entretanto eu nunca havia pensado em fazer isso profissionalmente; parecia algo simplesmente muito distante. Então eu comecei a escrever para uma revista online de música cobrindo a seção de rock & metal e encontrei com o Arch Enemy para uma entrevista sobre a turnê do Burning Bridges em 1999 em Bochum, Alemanha. Então o destino me pegou pela mão. Eu tinha trazido uma fita demo da Mistress comigo e entreguei pro Christopher Amott [Nós estávamos sempre tentando conseguir apoio local para espaço de divulgação]. Os caras do Arch Enemy a escutaram no ônibus da tour e o Chris resolveu guardar a fita, porque eles haviam ficado um pouco surpresos com os meus vocais. Eu continuei mantendo algum contato por e-mail com eles. Afinal de contas eu era uma fã”.

“No Outono de 2000 eu recebi uma ligação telefônica do Sr. Michael Amott em pessoa. Ele havia me dito que eles tinham se separado de Johan Liiva e estavam procurando um novo vocalista e se eu estaria interessada em ir até a Suécia para uma audição. Eles tinham achado aquela antiga fita da Mistress. Naquela hora eu virei uma tonta gaguejando – mas de alguma forma eu consegui dizer SIM. Poucas semanas depois eu estava gritando até explodir a minha cabeça na sala de ensaios deles. E de repente nós estávamos no Fredman Studios, fazendo uns testes. Depois que eu gravei a primeira música, ‘Enemy Within’, a decisão foi tomada: Angela Gossow será a nova vocalista do Arch Enemy. O que? O que?? O que??? Minha vida mudou pra caramba desde aquele fatídico dia em Novembro de 2000”.

“Eu havia gravado profissionalmente minha primeira música com uma banda de verdade. E com o ARCH ENEMY, porra!! Eu pedi demissão do meu emprego [Oh que dia feliz. Andar até o escritório do chefe e ouvir ele me implorar para ficar. Eu dizendo ‘Não, eu agora vou ser musicista em tempo integral’. A expressão de quem não está acreditando na cara dele. Não tem preço!], também parei de estudar. Eu basicamente cortei todas as amarras que me prendiam. Sem compromissos. Eu queria ser livre. Eu estava muito, mas muito determinada a fazer isso acontecer. Nós ensaiamos e ensaiamos. Então eu perdi minha voz completamente antes de nossa primeira tour pelo Japão. Me deram o diagnóstico de nódulos. Más notícias! Todos esses anos gritando sem NENHUMA técnica me fizeram finalmente pagar o preço com as minhas cordas vocais e me atingiu justamente no pior momento possível. Eu tive que parar por 6 meses e reaprender tudo. Como falar, respirar e gritar. Começar do rascunho, dessa vez com o conhecimento e as técnicas para me apoiar. Hoje estou grata por isso ter acontecido comigo. Eu aprendi tanto depois da minha falha na época, isso me ajudou a superar muitas situações difíceis durante as turnês e no estúdio. Eu conheço minha voz muito bem. Sei das minhas capacidades e limitações. O que não nos mata, nos fortalece. Porque caímos? Caímos para que possamos ficar de pé novamente”.

“Os últimos cinco anos. Eles não têm sido os mais fáceis. Mas de longe foram os melhores! Eu saí em turnê pelo mundo várias vezes; estive em todos os 5 continentes. Toquei em palcos pequenos e grandes, em locais bacanas e em buracos de merda todo empoeirados. Com e sem camarim. Com e sem comida, ducha e lugar pra dormir. Mas sempre com vocês. Nossos fãs. Nossos amigos. Eu tenho recebido tanto amor, palavras de afeto, presentes e flores de vocês. É surpreendente e até difícil de compreender porque. Mas está acontecendo comigo e estou muito, muito agradecida por isso. Eu dedico 100% do meu tempo para o Arch Enemy. Eu tenho ‘hobbies’, mas eles estão todos de alguma forma ligados ao Arch Enemy. Eu leio muito, sempre procurando por inspiração para as letras. Por essa mesma razão eu curto muito filmes. E óbvio, música. Eu malho pra ficar em boa forma para cantar e para dar presença de palco. Eu me alimento e vivo de forma saudável para manter meu corpo = instrumento em ordem. Eu durmo muito, porque... bem, a verdade é, porque sou preguiçosa”.

“Isso agora não tem nada a ver com o Arch Enemy: Comida. Eu adoro comida. Eu sou vegetariana. Quase uma ‘vegan’ [Pessoas exclusivamente vegetarianas, que não consomem nada de origem animal incluindo ovos, leite e laticínios, e costumam ser também contra o uso de roupas de couro ou pele de animais]. Sou alérgica à maioria dos laticínios. Estou constantemente cozinhando e assando alguma coisa quando estou em casa. Eu adoro blueberries [Frutinha de cor azul-escura, arredondada, doce, geralmente em cachos, que cresce em arbustos]. E pão fresco assado na hora, quentinho do forno coberto com bastante manteiga. Marmelada feita em casa, castanha de caju, saladas, queijo de cabra, rosquinhas com canela e passas. Cookies com pedacinhos de chocolate, só se for feito em casa. E claro, space cookies. Mas isso é outra história... Porque eu sou vegetariana? Eu cresci sem comer carne. Eu não gosto da idéia de comer um animal morto, um cadáver, uma carcaça. E eu não gosto da industrialização da carne, sua produção em massa e exploração dos animais. Se você sair e caçar o seu cervo na floresta, por mim tudo bem. Mas não os façam procriar em cativeiro, dando esteróides e antibióticos como se fossem doces. Deixando-os viver essa vida triste por 6 meses à um ano e então quebrar suas pernas e os levar para o matadouro. Onde eles gritam em pânico absoluto até que você atire na cabeça deles. Isso é muito errado. E ao mesmo tempo você ainda faz carinho no seu bicho de estimação”.

“Eu sou canhota. Toquei acordeão por 6 anos e guitarra por uns dois. Estou começando com as aulas de piano agora. Família. Sinto muita falta da minha família. Eu não os vejo mais com freqüência desde que me mudei para a Suécia, há 2 anos. Minha mãe – Às vezes ela é a minha melhor amiga. Às vezes ela fica bem deprê e acaba me levando junto pro abismo. Eu sou a mais velha de quatro irmãos. Eu sempre tive que ser a forte, a madura. Atualmente, meu irmão Benjamin é a rocha na família. E eu ainda sou aquela que quer manter tudo unido. Meu pai. Ele está se esforçando para ficar mais envolvido, para assumir alguma responsabilidade. Eu respeito ele por isso. E eu o amo não importa o que aconteceu no passado. Todos cometemos erros. Os pais vão ficando velhos, de tempos em tempos eles vão parar no hospital porque estão doentes ou algum órgão parou de funcionar apropriadamente. Então eu percebo que eles são mortais. E eu tenho medo que eles possam morrer enquanto eu estou em turnê. Ou que alguma coisa terrível possa acontecer com um dos meus irmãos. O lado ruim de ficar naquela de turnê, turnê, turnê”.

“Planos futuros e sonhos. Arch Enemy por mais alguns anos. Depois disso eu não sei. Talvez ensinar crianças como cantar e gritar, talvez me mudar para uma ilha pequena com bastante verde e relaxar. Talvez algo completamente diferente. Eu não gosto de planejar. Qual a razão pra fazer isso, afinal? A vida dá muitas voltas inesperadas. Eu sou uma pessoa muito pragmática. Eu não acredito em religião. Eu não acredito em Deus. Eu acredito que exista mais pra esse mundo do que eu consiga ver. Eu acredito no amor. E responsabilidade. Nós somos responsáveis por nossas vidas e nossas ações. Somos responsáveis por este planeta e suas criaturas. Quando é que iremos acordar? Como ovelhas para o matadouro. E eu não acredito em políticos. Mas eu voto. Para garantir que os conservadores de direita NÃO recebam meu voto”.

“Eu tenho medo da morte e da perda. Eu não quero que ninguém que eu amo morra antes de mim. Eu odeio ficar gripada. Eu não tenho medo de aranhas. Mas tenho medo de guerra, terror e crime. E de voar. Não gosto de estar lá em cima, sabendo que eu não tenho asas e nem pára-quedas. Eu acho que esse mundo é um lugar terrível e maravilhoso ao mesmo tempo. Gostaria que não existisse doença, pobreza, assassinato, violência, inveja, mentiras e ódio. Mas eles existem e por isso existe o Heavy Metal. As sinfonias da destruição. Meu jeito e o seu de lidarmos com a frustração, a raiva, a dor, canalizar isso tudo e botar pra fora do sistema. Eu não consigo viver sem música, ela me faz sentir viva e forte, não importa o que aconteça”.

“Love, Angela”.
“Com amor, Angela”.

Criado em 1996, Whiplash.Net é o mais completo site sobre Rock e Heavy Metal em português. Em março de 2013 o site teve 1.258.407 visitantes, 2.988.224 visitas e 8.590.108 pageviews. Redatores, bandas e promotores podem colaborar pelo link ENVIAR MATERIAL no topo do site.

Esta é uma matéria antiga do Whiplash.Net. Por que destacamos matérias antigas?


  | Comentários:

Todas as matérias sobre "Arch Enemy"

Arch Enemy: ouça a faixa "War Eternal" apenas na bateria
Arch Enemy: capa e track-list de War Eternal são revelados
Arch Enemy: veja capa e track-list do novo álbum War Eternal
Angela Gossow: "é realmente difícil dizer adeus"
Arch Enemy: vídeo de "War Eternal" com Alissa White-Gluz
Arch Enemy: Alissa White-Gluz agradece os fãs pelo apoio
Arch Enemy: ouça a diferença entre as vozes de Angela e Alissa
Arch Enemy: Sai Angela Gossow e entra Alissa White-Gluz
Arch Enemy: novo álbum War Eternal sairá em junho
Europe: Mike Amott do Arch Enemy em jam de "Wings of Tomorrow"
Arch Enemy: próximo trabalho será diferente de "Khaos Legions"
Arch Enemy: novo álbum será bem diferente do "Khaos Legions"
Separadas no nascimento: Angela Gossow e Julia Rabello
Separados no nascimento: Angela Gossow e Madonna
Arch Enemy: Uma verdadeira aula de peso aliado a muita melodia

Os comentários são postados usando scripts do FACEBOOK e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Pense antes de escrever; os outros usuários e colaboradores merecem respeito;
Não seja agressivo, não provoque e não responda provocações com outras provocações;
Seja gentil ao apontar erros e seja útil usando o link de ENVIO DE CORREÇÕES;
Lembre-se de também elogiar quando encontrar bom conteúdo. :-)

Trolls, chatos de qualquer tipo e usuários que quebram estas regras podem ser banidos sem aviso. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Sobre Nelson Arakaki Jr

Médico cirurgião, nascido em 1974, morador do Rio de Janeiro e aluno do Guitar Club de Ipanema. Seu gosto pela música vem desde os anos 80, começando por Led Zeppelin, Pink Floyd, Rolling Stones e Beatles, influenciado por seu pai. Passou então a se interessar mais pelo Hard Rock, Blues e especialmente pelo universo do Heavy Metal, tendo sempre como base as grandes bandas clássicas do gênero, como Black Sabbath e Iron Maiden. É fã de Arch Enemy, Carcass, Hendrix, Ozzy, Hibria, Atlântida, Endless, Scelerata, Fates Prophecy, Michael Amott, Zakk Wylde, Richie Kotzen, Jimmy Page, Doug Aldrich, Yngwie Malmsteen, Angra, Dr. Sin, Shaaman, Whitesnake, Guns n' Roses, Skid Row [antigo], Allman Brothers, Gov't Mule, Muddy Waters, Lynyrd Skynyrd e recentemente, Dream Theater.

Mais matérias de Nelson Arakaki Jr no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

QUEM SOMOS | ANUNCIAR | ENVIAR MATERIAL | FALE CONOSCO

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em março: 1.258.407 visitantes, 2.988.224 visitas, 8.590.108 pageviews.


Principal

Resenhas

Seções e Colunas

Temas

Bandas mais acessadas

NOME
1Iron Maiden
2Guns N' Roses
3Metallica
4Black Sabbath
5Megadeth
6Ozzy Osbourne
7Kiss
8Led Zeppelin
9Slayer
10AC/DC
11Angra
12Sepultura
13Dream Theater
14Judas Priest
15Van Halen

Lista completa de bandas e artistas mais acessados na história do site

Matérias mais lidas