Makinária Rock: "Longa vida ao Rock N' Roll nacional!"

WHIPLASH.NET - Rock e Heavy Metal!

Makinária Rock: "Longa vida ao Rock N' Roll nacional!"

Press-Release postado por Débora Brandão | Fonte: propria

  | Comentários:

Matéria publicada em 22/07/11. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

Sabe aquele dia que você está meio pra baixo e coloca aquela banda pra tocar e tudo muda? Parece que seus problemas se acabaram e o que vale nesse mundo é Rock’n'Roll? Esse é o melhor jeito de definir o Heavy Rock da banda MAKINÁRIA ROCK: Música em alto astral, inteligente e com aquele jeitinho ‘malvado’ que o Rock nacional cunhou durante esses anos.

Com letras em português a banda nos remete a clássicos do estilo, como Baranga, Carro Bomba e Velhas Virgens, porém com um ‘quê Heavy’ que deixa a banda bem distinta e interessante. Recentemente a MAKINÁRIA passou por algumas mudanças e agora estabilizada, volta a chutar as bundas das pessoas que dizem que o Rock nacional morreu! Confira abaixo uma entrevista com uma das bandas mais legais da atualidade.

O debut de vocês já saiu faz algum tempo. O que a banda pôde colher deste lançamento?

Carlos Digger: Tem sido muito legal, após o lançamento do CD fomos convidados para dividir o palco com grandes feras do rock brazuca, o lançamento do CD foi em pleno dia mundial do Rock ao lado da lenda Made in Brazil, nosso som rolou e até hoje depois de 1 ano toca em diversas rádios especializadas.

Carlos Digger: Para uma banda de som próprio é mais que obrigação ter um material profissional gravado em mãos, pois as portas abrem com mais facilidade, é um cartão de visitas mesmo que você seja do meio undergroud.

Carlos Digger: Além de tudo conseguimos grandes parcerias se tratando de distribuição, fechamos com a Voice Music, do grande Silvio Golfetti (ex-guitarrista do Korzus), e com a Die Fight Records que distribui e bem em todo interior de Sampa.

De uns tempos pra cá o Brasil sofre um ‘revival’ de bandas de Rock Nacional dos anos 80. Como vocês enxergam isso?

Carlos Digger: Cara o que posso dizer? MARAVILHOSO! Você ter a oportunidade de assistir bandas como Golpe de Estado, Harppia, Casa das Máquinas, Salário Mínimo, isso é hilário, cresci escutando essas bandas e tivemos a oportunidade de dividir o palco com o Harppia que pra mim e a maior banda de metal Nacional de todos os tempos.

Carlos Digger: Isso é bom, principalmente para bandas como a gente, bandas novas que podem pegar uns toques, contatos com essa galera, o conhecimento que eles passam de palco e de estrada é muito bom.

Carlos Digger: E o mais legal e que não são só as bandas 80 que estão voltando, muitas bandas da década de 90, 2000 estão firmes como a galera do Baranga, Carro Bomba, Tomada entre outras. A cena nacional só tem a ganhar com isso.

A banda só toca músicas em português, o que limita um pouco a extensão de países que se interessariam pelo som. Isso incomoda vocês? Vocês já pensaram em escrever músicas em inglês?

Carlos Digger: Sinceramente não pensamos em viver de música, claro que seria magnífico, mas a realidade é outra, e temos ciência disso. Quando montei a Makinária Rock sabia exatamente das limitações, mas na boa, se a Makinária Rock cantasse em inglês, seria só mais uma banda de garagem, não desmerecendo as milhares de bandas espalhadas pelo país que são de garagem, o que quero dizer é, acho que não teríamos conseguido tanto destaque como cantando em português, a identificação com a galera é maior, e outra meu inglês é péssimo…(risos).

Outro aspecto que chama atenção é que a formação da banda não tem exatamente um frontman, já que o Carlos Digger é vocalista e baterista. Como o público reage nos shows? E para a banda como funciona?

Carlos Digger: (risos), você quer mesmo saber? Tem certeza? Bom, então a resposta é: NÃO SEI (risos). Cara é sério, tudo começou por não termos um vocalista de oficio, quando iniciamos as atividades com a Makinária Rock era apenas baixo, guitarra e bateria, porém e voz? Quem seria nosso vocal? Colocamos diversos anúncios e etc. Porém não apareceu ninguém, cara todos sabemos que quando montamos uma banda se a parada não vai, fica só nos ensaios e tudo mais, uma hora ou outra a banda se estressa e larga tudo, e isso eu não queria que acontecesse com a gente então resolvi encarar e acabou dando certo, o que era um problema virou algo bom, pois com certeza é um atrativo a mais nos shows, geralmente quando começo a cantar a galera fica se perguntando “cadê o vocalista?”. Foi algo que deu uma característica única pra banda e enquanto aguentar vou levar assim.

Alexandre Sartori: Nos dá uma liberdade, quando recebi aceitei de cara, pois já havia visto a banda ao vivo, e foi uma das coisas que me chamou a atenção esse lance de batera vocal e etc.. Todo show tem uma galera que pergunta: “pow como ele consegue?”, mas sei lá é um dom que o Digger tem, e cá pra nós, sorte a nossa, temos um bom batera e um bom vocal, sem contar na hora de tomar as decisões, com apenas 3 membros 2×1 já era a maioria ganha, agora se tivesse um quarto já teria briga…(risos)

A banda passou por uma mudança drástica e porque não falar dramática, já que 2/3 da banda mudou de uma hora pra outra. Carlos, em algum momento você pensou em desistir da MAKINÁRIA ROCK?

Carlos Digger: Jamais, sempre que começo algo vou ate o fim, fiquei quatro anos afastado de banda e quando resolvi montar a Makinária Rock não era pra largar no meio do caminho, isso não seria justo, batalhamos muito pra conquistar nosso espaço, e estamos batalhando até agora. Quando o Jow disse que iria sair, ele foi o primeiro a falar que só sairia quando eu achasse um substituto, a mesma coisa com o Renato, a formação se desfez mais foi tudo na paz, sem estresse, os caras são meus irmão literalmente, não houve briga nem nada, então não haveria motivo pra encerrar as atividades.

Carlos Digger: Consegui os substitutos muito rápido graças a internet, (hoje não somos nada sem ela), e aí estamos, o Jow e o Renato sempre quando estão com uma folguinha comparecem nos ensaios sempre mandam e-mail perguntando sobre o andamento da banda nossa amizade continua a mesma.

Carlos Digger: E os dois vagabundos que aqui estão hoje, sem comentários, são demais, tanto musicalmente falando quando no pessoal. Tenho sorte de sempre ter bons companheiros de banda o que acaba virando um bom relacionamento fora dos palcos.

Uma das características da MAKINÁRIA ROCK é a pegada de suas músicas que mistura o ‘Rock Putão’ de bandas como Velhas Virgens e Baranga com aquele toque ‘Heavy’ especialmente das bandas de Metal dos anos 80. Com a nova formação o que muda no estilo da banda?

Carlos Digger: Sinceramente não mudou muito, o Alexandre tem praticamente as mesmas influências do Jow, ele é um pouco mais voltado ao Blues, mas essa é a origem do Rock n’Roll então encaixou perfeitamente, o Maurício Parra a mesma coisa, ele até é um pouco mais técnico, pois tem outras influencias dentro do Rock, foi uma união do útil ao agradável e tudo sem mexer na característica da banda.

Com a formação nova estabilizada com grandes músicos e energia total, o que vem pela frente? Quais os planos futuros?

Carlos Digger: Ah tocar, tocar e tocar. Imagina um adolescente descobrindo que bater punheta é bom… (risos), é mais ou menos assim que nos sentimos, trocamos a formação e a mesma está ótima, fizemos o primeiro show após a troca e a aceitação foi ótima então vamos descer a lenha, planos para um novo álbum temos também, e se tudo correr bem em dezembro já entramos em estúdio, já estamos com 9 faixas prontas apenas acertando os últimos detalhes, como elas já estavam feitas antes da mudança, agora é hora dos novos membros darem a suas caras para as músicas, quando isso finalizar, é ir direto para o Studio.

Carlos Digger: A Makinária Rock tá mais viva que nunca e muita coisa boa vem por ai.

Carlos Digger: Obrigado a MM pelo espaço e a toda galera que nos acompanha nesses quase três anos de estrada, Longa vida ao ROCK N’ ROLL NACIONAL!

A banda já está pronta para subir nos palcos Brasil afora e está disponível para shows pelos contatos: [email protected] ou pelo telefone: 11 8388-8133.

Sites Relacionados:
http://www.makinariarock.com.br
http://www.myspace.com/makinariarock
http://www.metalmedia.com.br/makinaria
http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=75502917

Criado em 1996, Whiplash.Net é o mais completo site sobre Rock e Heavy Metal em português. Em março de 2013 o site teve 1.258.407 visitantes, 2.988.224 visitas e 8.590.108 pageviews. Redatores, bandas e promotores podem colaborar pelo link ENVIAR MATERIAL no topo do site.


  | Comentários:

Todas as matérias sobre "Makinária Rock"

Little Drop Joe: power trio paulistano lança "Prisão"
Centúrias: criador e criatura se encontram em Sorocaba
QueroRock: mais de 300 bandas e 2500 músicas cadastradas
Stolen Byrds: 2014, lançamento do primeiro disco
Misfits: confira todas as datas da turnê na América Latina
Lacuna Coil: Mensagem em vídeo para os fãs do Brasil
Dissidentes: banda anuncia novo guitarrista
Midnight: Trio maldito chega ao Brasil na semana que vem
Focus: Thijs van Leer em show acustico e inédito no Brasil
Skin Culture: ouça o cover do Sepultura e músicas do novo álbum
Mad Dragzter: versão demo de música nova em campanha da Army
Hibria na Young Guitar: virtuosismo, peso e paixão
Executer: "Helliday" já disponível para venda
Slasher: versão física do novo álbum está disponível
Hibria: Atração confirmada do Abril Pro Rock 2014

Os comentários são postados usando scripts do FACEBOOK e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Pense antes de escrever; os outros usuários e colaboradores merecem respeito;
Não seja agressivo, não provoque e não responda provocações com outras provocações;
Seja gentil ao apontar erros e seja útil usando o link de ENVIO DE CORREÇÕES;
Lembre-se de também elogiar quando encontrar bom conteúdo. :-)

Trolls, chatos de qualquer tipo e usuários que quebram estas regras podem ser banidos sem aviso. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Sobre Débora Brandão

Responsável pela Metal Media Management, cresceu ouvindo clássicos do Rock n' Roll e Heavy Metal por influência de seus pais. Em 2007 iniciou sua carreira na área da música trabalhando em uma gravadora nacional e fundando uma assessoria de comunicação voltada a bandas de Rock/Metal. Hoje, com grandes nomes no Roster, a Metal Media é uma das empresas que mais apoia e acredita no Metal Nacional.

Mais matérias de Débora Brandão no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

QUEM SOMOS | ANUNCIAR | ENVIAR MATERIAL | FALE CONOSCO

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em março: 1.258.407 visitantes, 2.988.224 visitas, 8.590.108 pageviews.


Principal

Resenhas

Seções e Colunas

Temas

Bandas mais acessadas

NOME
1Iron Maiden
2Guns N' Roses
3Metallica
4Black Sabbath
5Megadeth
6Ozzy Osbourne
7Kiss
8Led Zeppelin
9Slayer
10AC/DC
11Angra
12Sepultura
13Dream Theater
14Judas Priest
15Van Halen

Lista completa de bandas e artistas mais acessados na história do site

Matérias mais lidas