Iron Maiden: relato de apresentação em NJ

WHIPLASH.NET - Rock e Heavy Metal!

Iron Maiden: relato de apresentação em NJ

Traduzido por Gabriel Carvalho

  | Comentários:

Matéria publicada em 10/08/12. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

Gabriel Carvalho nos mandou um relato de como foi a apresentação do Iron Maiden no Prudential Center em Newark, NJ, no dia 2 de julho de 2012, confira:

Desde que o Iron Maiden finalizou a The Final Frontier World Tour em agosto do ano passado todos os fanáticos pelo grupo como eu vinham se contorcendo para saber como seria a próxima turnê de clássicos da banda.

Então, após muita especulação em fevereiro de 2012 foi anunciada a Maiden England North American Tour 2012. Não poderia perder essa chance de ver a banda pois sabia que seria uma tour especial para quem curte a faze do final dos anos 80 da banda, e estava muito feliz pois eles haviam anunciado que tocariam a maior parte do VHS Maiden England e também pois contariam com o Alice Cooper como banda de abertura. Porém eu já havia feito planos para ir ao Hellfest 2012 na França em junho, então para poder fazer essas 2 viagens o meu primeiro semestre foi bastante apertado em relação a gastos.

Após analisar os pontos da América do Norte aonde a banda iria tocar eu optei por assistir apenas um show em Newark NJ, diferente de vários brasileiros que eu conheci no caminho que percorreram grande parte da costa leste dos EUA e viram a banda em várias outras cidades.

Cheguei em Nova York no dia do show as 8 da manhã e após comer algo e descansar um pouco eu peguei o trem para Newark que fica no estado de New Jersey a mais ou menos 30 minutos da onde eu estava. Cheguei a casa de shows Prudential Center uma arena para 20 mil pessoas aproximadamente e logo reparei que já se formava uma pequena fila para a entrada de General Admission (o equivalente a pista no Brasil).

Entrei na fila e logo eu percebi que ainda faltavam quase 4 horas para a casa abrir, após conversar um pouco com as pessoas que estavam na fila comecei a notar que muitos ali presentes estavam indo assistir a banda pelo primeira vez e muitos já haviam assistido a esta turnê em outras cidades dos EUA também. Achei estranho pois sabia que alguns brasileiros estariam presentes neste show e ate agora eu era o único por lá.

Após 3 horas de espera, a região aonde o show ocorreria virou um mar de fans do Maiden e logo começaram a aparecer pessoas de outros paises que vieram conferir a tour, inclusive brasileiros que logo acabei fazendo amizade. Antes das portas se abrirem algo inédito acontece, uma van para em frente a porta da entrada da casa e o primeiro e único Bruce Dickinson desce da van em frente a fila de fans. Ele desce da van entra pela porta da frente da arena e sobe as escadas rolantes seguido de outras pessoas. Gesto muito humilde e de certa forma engraçado do Bruce, nunca vi nada igual, o vocalista da banda entrar na casa no meio dos fans que aguardam para vê-lo de perto no palco, somente o Bruce mesmo. Com isso a fila vai à loucura e as portas finalmente se abrem.

O Prudential Center por dentro era muito bom, parecia ter uma ótima acústica, uma grande pista e um palco não tão grande, o que para mim não era um problema pois queria ver a banda de perto. Logo após a entrada eu encostei na grade ao lado de onde o palco do Alice Cooper estava sendo montado e nunca fiquei tão feliz antes de um show, pois nas 6 vezes em que já havia visto o Maiden eu nunca tinha assistido o show de tão perto como ali.

Logo antes do show do Alice comecei a perceber que muitos brasileiros e argentinos começaram a aparecer por ali, o que ficou obvio para mim e para outros e que a intenção de todos era a mesma que a minha, assistir ao show de perto, ou seja o que na minha cabeça seria uma grade tranqüila aonde nada iria me atrapalhar, logo se transformou na área do show dos Sul Americanos loucos que vieram de longe para ver a banda e iriam fazer de tudo para ficarem na grade aonde eu e outro brasileiro estávamos.

Em 2010 eu havia assistido a primeira LEG da The Final Frontier World Tour no Madison Square Garden em Nova York de arquibancada (balcony no caso) pois já não havia mais ingressos para a pista e desde então sempre quis assistir a banda novamente nos EUA justamente por achar que seria mais confortável, é muito mais confortável assistir a banda em uma arena para 20 mil pessoas do que ver a banda em um estádio para 70 mil . e nos EUA o povo e mais tranqüilo na pista em relação a empurra empurra pois a maioria deles já foi mimado pelas bandas e por isso já viram muito mais shows que nos brasileiros. Porém assistir ao show ao lado de sul americanos fez parecer que eu estava em São Paulo, mas mesmo assim não iria abrir mão da posição aonde eu estava de jeito nenhum, afinal dentro de alguns instantes estaria cara a cara com Steve Harris.

Logo entra Alice Cooper no palco com The Black Widow, o show de Alice foi um perfeito show de abertura, apenas clássicos conhecidos, produções teatrais, mortes, sangue, bonecos e uma banda impecável formada por Chuck Garric (Baixo), Ryan Roxie (Guitarra), Tommy Henriksen (Guitarra), Orianthi (Guitarra), Glen Sobel (Bateria) .

Destaque para a guitarrista Orianthi que iria ser a guitarrista na turnê de despedida de Michael Jackson em 2009 e agora se juntou a banda Alice para essa turnê, uma excelente guitarrista feminina que durante o show se destacou dos demais guitarristas e jogou diversas palhetas em minha direção mas lesado que sou não consegui pegar nenhuma. Alice tocou clássicos como Feed My Frankenstein, Poison, I'm Eighteen, Hey Stoopid, Billion Dollar Babies e claro School's Out, como já mencionei antes foi uma perfeita banda de abertura, o povo cantava várias músicas junto com a banda e eles pareciam se divertir muito no palco.

Destaque para o final do show aonde bolas infláveis estavam sendo jogadas na platéia pela banda e pelos roadies e do nada para a surpresa de todos ali presentes, o senhor Nicko Mcbrain sobe ao palco e começa a atirar bolas na platéia enquanto a banda executava Schools Out. Realmente magnífico o show do Alice, produção de headliner e a esse ponto já era o segundo membro do Maiden que eu via antes do show começar.

Agora para a missão final...

Muitos roadies sobem ao palco e começam a montar um cenário que lembrava muito a capa do álbum Seventh Son, nesse momento a área em que eu estava do show já estava aglomerada de fans se apertando para ver a banda de perto e eu já estava praticamente sufocado na grade. Porém quando as luzes se apagaram e uma intro começou seguida das frasses Seven Deady Sins... Seven ways to win... no playback eu fui a loucura, não estava acreditando que conseguia erguer meu braço e quase colocar a mão no palco aonde dentro de instantes estaria o Maiden.

Então a banda entra com explosões no palco executando Moonchild e Steve Harris e Janick Gers vem correndo diretamente na direção aonde eu estava, foi um daqueles momentos aonde a pessoa não consegue nem processar direito o que estava acontecendo, eu fiquei com um sorriso de orelha a orelha e todas as letras na ponta da língua. Durante esta música Harris me encarou diretamente várias vezes, emocionante mesmo, uma introdução realmente incrível. Bruce Dickinson, Steve Harris, Dave Murray, Adrian Smith, Nicko Mcbrain e Janick Gers entram quebrando tudo, com sangue nos olhos e vontade de tocar. Na seguida veio Can I play with madness e foi realmente emocionante ver a platéia cantando junto com Bruce e ele sorrindo de alegria por estar ali, logo após veio a mais esperada em minha opinião The Prisioner com direito a um vídeo de introdução, um dos momentos mais delirantes de todo o show em minha opinião, para mim sempre foi um sonho ouvir essa música ao vivo. Execução magistral, um dos momentos que mais lembro do show, Bruce cantando como nunca e Adrian solando com perfeição. Após o delírio em The Prisioner veio a já manjada 2 minutes to midnight, que foi a música em que eu escolhi para tentar sair um pouco do aglomerado que se formava em volta de mim, já havia visto essa música ao vivo tantas vezes que acabei mais tentando me ajeitar para ter uma boa visão do palco do que realmente assistir a performance da banda.

Ate que veio uma música que também sempre foi um sonho para mim escutar ao vivo e com a formação de 3 guitarras Afraid to Shoot Strangers, antecedida por um discurso do Bruce. Execução perfeita da música, um dos melhores momentos do show para mim, solo fenomenal de Dave e Janick agitando e dançando como nunca.

SET LIST

Bom agora eu como um bom fan do Maiden preciso falar um pouco mal do setlist, se eu não falasse eu não seria fan de verdade da banda. E como sou daqueles fans bem chatos eu aqui expresso minha opinião em relação a escolha das músicas para esta turnê. Quando se está assistindo a banda da grade e vendo praticamente todos os membros da banda de perto fazendo o que sabem fazer de melhor a última coisa em que se passa na cabeça e falar mal das músicas que estão sendo executadas pela centésima vez e poderiam facilmente ser substituídas por algo mais original, porém deixar de fora Infinite Dreams em uma turnê chamada Maiden England não faz sentido para mim, colocar Afraid to shoot strangers e Aces High e chamar a turnê de Maiden England também não faz muito sentido para mim, obviamente na hora eu nem estava pensando nisso pois já sabia qual era o set e estava delirando por estar vendo Steve tocar a menos de um metro de distância. Porém meu maior sonho em relação ao Iron era ver músicas como Cauth Somewhere in Time , Infinite Dreams, Sea of Madness, Stranger in a Strange Land e Killers ao vivo, e acredito que essas músicas tem muito mais a ver com essa turnê do que Afraid to shoot strangers, não sei se um dia poderei escutá-las ao vivo como tanto desejo, uma pena, mas isso esta ficando cada vez mais claro para mim. Adorei ouvir Afraid to shoot strangers ao vivo mas acho que seria mais interessante ouvi-la em uma futura turnê ao lado de clássicos como From here to eternity, Bring your Daughter to the Slaughter e Wasting Love, não em uma turnê intitulada Maiden England, e no qual no release oficial de fevereiro havia sido dito que seria tocado a maior parte do VHS de mesmo nome, Também não me incomodei com a ausência de Halowed be thy name como outros que estavam lá vendo a banda pela primeira vez se incomodaram. E tudo me leva a crer que clássicos que deveriam estar ali como Still Life e Die with your boots on não estão porque o show Maiden England original não teve um lançamento oficial em DVD e somente está disponível em VHS ou no Youtube, como nessas platéias muitos fans são novos e estão vendo a banda pela primeira vez eu acredito que foi dada a preferência a músicas de mais livre acesso a esses novos fans, e Afraid to Shoot Strangers aparece na coletânea From Fear to Eternity lançada pela banda no ano passado, esta é minha teoria e critica a respeito do setlist...

Voltando ao show, a banda em plena forma se divertia muito no palco, e seguiu com The Trooper e The Number of the Beast que por sua vez teve uma excelente execução devido a pirotecnia durante o refrão, após isso veio outro ponto forte do show Phantom of The Opera que apesar de ter uma incrível execução pela banda a platéia me fez sentir como se estivesse no Brasil, pessoas paradas olhando para o palco era a única coisa que não se via durante essa música, muito empurra empurra e pessoas sendo retiradas por seguranças, depois durante Run to The Hills algumas pessoas foram levantadas e tiradas da platéia devido ao grande tumulto que se aglomerava, tumulto esse que se acalmou durante a execução de Wasted Years. Esta música teve um fato engraçado durante sua execução, Dave Murray que é famoso por sempre usar suas Fender Stratocaster deste vez aparece com uma Gibson Flying V, muito estranho ver isto para quem acompanha a banda faz tempo e até o próprio Bruce brincou com o fato mais tarde.

Após isso, veio outra das músicas mais esperadas Sevent Son of a Seventh Son, acredito que em todos os meus anos como fan nunca vi um palco tão produzido em um show do Iron, um Eddie gigante, tochas que ficam acessas durante a parte calma da música, o órgão com Michael Kenney mascarado e muita pirotecnia, aliás um dos pontos altos dessa turnê e justamente a pirotecnia, muitas explosões e tochas aonde e possível sentir o calor na platéia, execução de primeira, me arrepio só de lembrar da banda tocando os solos da segunda parte da música que sempre foi uma das minhas prediletas e foi incrível vê-la ao vivo, mal posso esperar para ver a reação da platéia brasileira em 2013 durante essa parte do show.

Após isso veio The Clairvoyant com o refrão sendo cantado por todos, outra parte muito boa do show, Is a time to live and a time to die... excelente mesmo, e claro aquela musiqueta que ninguém mais aquenta escutar Fear of the Dark, que obteve uma enorme resposta da platéia inclusive da minha pessoa, talvez seja por isso que ela nunca saia do setlist, todos reclamam mas na hora acabam curtindo.

Durante o hino Iron Maiden mais um Eddie gigante entra ao palco, igual a capa do Seventh Son desta vez, acredito que esta seja a primeira turnê a contar com 3 Eddies nos shows, o primeiro entrou durante a Run to the Hills e era bem bizarro, a banda executa a música com maestria já com os tradicionais Goodnight From Iron Maiden... from Eddie and from the boys e sai do palco para o bis. E então outro momento mágico do show, a banda executa Aces High pela primeira vez como retorno após a pausa para o bis, muita pirotecnia e muita emoção (poderia ser Caught somewhere in time mas...). Aces High acabou funcionando muito bem nessa parte do show e foi bem diferente também, o público mais uma vez vai a loucura. E então vem a já manjada The Evil that Men Do com o Bruce correndo de um lado para o outro e encarando a platéia, e para finalizar Running Free que para mim e um final perfeito para qualquer show de qualquer turnê do Maiden, e finalmente o show se encerra ao som já manjado dos fans Always Look on the Bright Side of Life

Após o encerramento do show eu tomo o trem de volta para Nova York com a sensação de missão cumprida, que show incrivel!!!!! Valeu cada centavo, muito brasileiros ali presentes saíram com munhequeiras, palhetas e ate baquetas da banda, o melhor de tudo foi escutar das pessoas que foram aos shows de Boston, Jones Beach e Filadélfia que este show de Newark havia sido o melhor ate então!!!!

Tirando a minha opinião em relação ao setlist o show foi fantástico, mesmo que tumultuado em certo ponto, foi incrível ver a banda de perto fazendo o que fazem de melhor. Bruce cantando muito bem e sem cansar, Dave e Adrian fazendo seus shows a parte, Nicko aos seus 60 anos sem desacelerar, Janick com sua incrível e indispensável presença de palco e Steve... bem, Steve is God.

Ficamos no aguardo para vê-los no Brasil em 2013, mal posso esperar!!!

UP THE IRONS!!!

VEJA MAIS ABAIXO OS VIDEOS COM O RESUMO DOS SHOWS.

Set List

01 - Moonchild
02 - Can I Play With Madness?
03 - The Prisoner
04 - 2 Minutes to Midnight
05 - Afraid to Shoot Strangers
06 - The Trooper
07 - The Number of the Beast
08 - Phantom of the Opera
09 - Run to the Hills
10 - Wasted Years
11 - Seventh Son of a Seventh Son
12 - The Clairvoyant
13 - Fear of the Dark
14 - Iron Maiden

15 - Aces High
16 - The Evil That Men Do
17 - Running Free

Part 1

Part 2


Criado em 1996, Whiplash.Net é o mais completo site sobre Rock e Heavy Metal em português. Em março de 2013 o site teve 1.258.407 visitantes, 2.988.224 visitas e 8.590.108 pageviews. Redatores, bandas e promotores podem colaborar pelo link ENVIAR MATERIAL no topo do site.


  | Comentários:

Todas as matérias sobre "Iron Maiden"

Jon Lord: um timaço prestando tributo, veja vídeo
Separados no nascimento: Steve Harris e Bruce Campbell
Rock e metal: o outro lado das capas de discos
Iron Maiden: Steve Harris nunca gostou de "Flight of Icarus"?
1º de abril: Dois primeiros do Maiden serão regravados com Bruce
Bruce Dickinson: 450 mil dólares na maior aeronave do mundo
Iron Maiden: Gastão Moreira repassa as vindas da banda ao Brasil
Bruno Sutter: "Run To The Lepo Lepo" no Motorcycle Rock Cruise
Dj Yahel: Iron Maiden bombando numa Rave
Iron Maiden: fãs de Fortaleza ajudam crianças desnutridas
Iron Maiden: a semelhança com uma capa do Earth Wind & Fire
Bruce Dickinson: cantor pilotará jatinho em maratona beneficente
Guitar World: 10 Álbuns clássicos essenciais do Metal
Iron Maiden: Rachel Sheherazade testa conhecimentos sobre a banda
Riffs Battle: Crazy Train vs Two Minutes to Midnight: semifinais

Os comentários são postados usando scripts do FACEBOOK e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Pense antes de escrever; os outros usuários e colaboradores merecem respeito;
Não seja agressivo, não provoque e não responda provocações com outras provocações;
Seja gentil ao apontar erros e seja útil usando o link de ENVIO DE CORREÇÕES;
Lembre-se de também elogiar quando encontrar bom conteúdo. :-)

Trolls, chatos de qualquer tipo e usuários que quebram estas regras podem ser banidos sem aviso. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Sobre Gabriel Carvalho

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados.

Caso seja o autor, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Link que não funciona para email (ignore)

QUEM SOMOS | ANUNCIAR | ENVIAR MATERIAL | FALE CONOSCO

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em março: 1.258.407 visitantes, 2.988.224 visitas, 8.590.108 pageviews.


Principal

Resenhas

Seções e Colunas

Temas

Bandas mais acessadas

NOME
1Iron Maiden
2Guns N' Roses
3Metallica
4Black Sabbath
5Megadeth
6Ozzy Osbourne
7Kiss
8Led Zeppelin
9Slayer
10AC/DC
11Angra
12Sepultura
13Dream Theater
14Judas Priest
15Van Halen

Lista completa de bandas e artistas mais acessados na história do site

Matérias mais lidas