Indústria musical: sete coisas que um músico não quer ouvir

WHIPLASH.NET - Rock e Heavy Metal!

Indústria musical: sete coisas que um músico não quer ouvir

Postado por Nacho Belgrande | Fonte: Playa Del Nacho

  | Comentários:

Imagem

7 Coisas que um músico não quer ouvir...

… e quatro coisas que ele provavelmente quer. O texto abaixo é de Lee Parsons, fundador da DITTO MUSIC. A DITTO é um serviço de distribuição digital sediado nos EUA e no Reino Unido e que lida com mais de 50 mil artistas ao redor do mundo.

É 2013 e a indústria musical está evoluindo rapidamente. Você pode acompanhar ou ser chutado pra for a. Eis 11 maneiras de se dar uma melhor chance de sucesso em 2013.

1. As grandes gravadoras e as rádios NÃO estão contra você

Não caia nessa de ‘nós contra eles’, essa mentalidade que parece ter chegado ao auge em 2012. As gravadoras ainda querem contratar bons músicos e os programadores de rádios estão desesperados por boas músicas.

Veja as gravadoras e os veículos tradicionais como parceiros em potencial. Uma grande razão pela qual as gravadoras e a rádio rejeitam música é a falta de originalidade. Esteja certo de que sua música não só muito boa, mas que soe original. Ouça opiniões honestas de gente que não seja do seu círculo de amizades e por mais duro que seja, dê atenção às críticas dessas pessoas.

Entenda a indústria musical em 2013 [e que ela precisa de você].

2. A música pode estar piorando, mas isso é bom.

Com ‘Gangman Style’ em número 1 no mundo todo e programas como ‘X Factor’ controlando a mídia, você pode ter perdido toda sua fé no público consumidor de música em 2012.

Você passa muito tempo dizendo pras outras pessoas o quão ruim a música de hoje em dia é? Não desperdice sua energia. Toda moda grande como o ‘X Factor’ faz com que os reais amantes da música fiquem ainda mais propensos a procurar algo bom para ouvir.

Reconheça que a indústria musical como ela é: UM NEGÓCIO. Sempre foi um produto arremessado contra o mercado adolescente. Ignore isso. Mantenha a cabeça baixa e concentre-se no que lhe faz grande.

3. Sobreviva como músico em 2013 [isso requer mais do que tocar um instrumento]

Se você ainda não sabe o que significa PRS [ou ASCAP e BMI], ou insiste que você é um músico e não um executivo, isso não é bom o bastante em 2013.

As boas novas: só um pouco de esforço coloca você num grupo de 10 por centos dos músicos. Passe um tempo aprendendo a usar as redes sociais de modo correto. Filie-se a organizações como a AIM ou a A2IM nos EUA e comece a construir relações sólidas. Pense em sua música como um produto e então decida como vendê-la a seu público. Mantenha suas finanças em ordem e planeje seus orçamentos com cuidado.

4. Copie outros artistas [mas seja original].

90% dos artistas parecem ser influenciados pelos 10% dos artistas mais populares atualmente. Mumford & Sons, Foo Fighters e Rihanna são todos artistas queridos, mas se você só usa os maiores artistas do mundo como referência, você sempre soará como um subproduto. E pior – feito todo outro artista no meio.

O streaming de música abriu um mundo novo para se descobrir músicas novas. Sites como o Pitchfork, amazingradio, e o Spotify fornecem músicas novas meses antes de elas chegarem ao rádio. Então se liberte de seus preconceitos. Saia e descubra algo novo e inspire-se.

5. Não é mais 2005 [então pare de agir online como se fosse]

Forjar popularidade rolou por pouco tempo em 2005. Só porque o Myspace voltou não quer dizer que agora ele vai funcionar.

Uma gravadora não vai lhe contratar porque você tem 50 mil fãs, e um amante de música vai gostar da sua obra tenha você um fã ou mil.

Os ‘curtir’ do Facebook são importantes? Tão importantes quanto o que você faz deles. Não gaste tempo colecionando ‘curtir’ no Facebook. Gaste seu tempo colecionando fãs. Sejam os do seu mailing list, redes sociais ou em pessoa, os fãs de verdade são só o que importa em 2013.

6. Não tenha medo de começar do zero [e se DIVERTIR]

Você está preso em um nicho musical? Você está se tornando menos entusiasmado pela música que toca:

Em 2008 o cantor Nate Reuss ainda estava em seu grupo THE FORMAT. Uma mudança de nome e uma nova direção e ele agora é líder de um dos maiores grupos do planeta: FUN. É 2013, uma excelente época para se apagar regrar, melhore seu estilo.

Não tenha medo de começar do zero.

7. POR FAVOR, COMPARTILHE MEU VÍDEO! RT! RT! [#TEAMFOLLOWBACK]

Tantos artistas tweetam pedindo que as pessoas se envolvam, sem separar tempo para dar apoio ou interagirem com outros artistas.

O Twitter em 2013 significa interação. Há um sobrefluxo de conteúdo. As pessoas estão ficando mais conscientes de material sem qualidade.

Passe um pouco de tempo conhecendo seus seguidores. Comece a compartilhar música de outros artistas. Converse com as pessoas. Lembre-se da regra 9/10. Pra cada tweet promocional, mande outros 9 não-promocionais.

8. Não passe todo seu tempo fazendo divulgação.

Tantos músicos passam o tempo todo divulgando música que se esquecem de passar um montante apropriado de tempo produzindo música.

Ficou bem mais fácil produzir música. Isso tem seu lado bom e ruim. Mas só porque você consegue mixar e masterizar um álbum inteiro na sua garagem, não quer dizer que você o deva fazer assim.

Você está jogando música que nem se parece com você ao vivo pras pessoas? Você já disse, ‘esse é uma demo antiga, nós não fazemos mais esse tipo de som’?

Não gaste tempo divulgando música que não o represente integralmente. Passe mais tempo afinando sua música e invista em produção de qualidade.

9. Estabeleça metas loucamente ambiciosas [mas trace um plano para alcançá-las]

Se sua ambição para 2013 é assinar um contrato e vender 1 milhão de discos, você vai ter que se preparar para uma decepção.

Entretanto, se sua ambição for gravar um excelente EP e triplicar seu número de fãs, isso é facilmente conquistável. Então faça uma lista para todas suas metas em 2013. E faça algumas anotações em cada uma delas descrevendo como você vai conseguir aquilo. Foque-se no plano e verifique a cada mês para ver como você está se saindo.

10. O termo ‘sem contrato’ é irrelevante [quem precisa de gravadoras?]

Não se preocupe com assinar contrato com gravadora, concentre-se em arrebatar fãs e fazer boa música.

Até recentemente, a única maneira de ser bem-sucedido era assinando um contrato com um selo. Em 2013, os artistas estão fazendo sua própria distribuição, suas relações públicas e fazendo sucesso independentemente. Ironicamente, quando você for bem-sucedido por si próprio, uma gravadora virá bater na sua porta.

11. Entre na onda do ‘Gangman Style’ [mas por favor, não vire um ‘Gangman Style’]

No começo de 2012, ninguém teria previsto [ou esperado] que a música mais popular do ano no mundo seria ‘Gangman Style’.

Você pode fazer o contrário de tudo que eu acabei de dizer e ainda ter sucesso. Em 2013, não há regras. Saia e faça acontecer.

Criado em 1996, Whiplash.Net é o mais completo site sobre Rock e Heavy Metal em português. Em março de 2013 o site teve 1.258.407 visitantes, 2.988.224 visitas e 8.590.108 pageviews. Redatores, bandas e promotores podem colaborar pelo link ENVIAR MATERIAL no topo do site.

Esta é uma matéria antiga do Whiplash.Net. Por que destacamos matérias antigas?


  | Comentários:

Os comentários são postados usando scripts do FACEBOOK e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Pense antes de escrever; os outros usuários e colaboradores merecem respeito;
Não seja agressivo, não provoque e não responda provocações com outras provocações;
Seja gentil ao apontar erros e seja útil usando o link de ENVIO DE CORREÇÕES;
Lembre-se de também elogiar quando encontrar bom conteúdo. :-)

Trolls, chatos de qualquer tipo e usuários que quebram estas regras podem ser banidos sem aviso. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Sobre Nacho Belgrande

Nacho Belgrande, 33 anos, residente em Marilia - SP, é professor de inglês e francês, apesar de formado em Técnico de Engenharia de Estúdio pelo Recording Workshop de Los Angeles, nos EUA. Suas lembranças musicais mais remotas datam de 1983, com a fervilhante passagem do Kiss pelo Brasil e da alta popularidade do Queen no país. Fã(nático) por Mötley Crüe (de quem tem mais de 100 CDs), segue de perto também o trabalho de Slayer, Krisiun, Guns N´ Roses, Van Halen e Ozzy Osbourne, entre outros.

Mais matérias de Nacho Belgrande no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

QUEM SOMOS | ANUNCIAR | ENVIAR MATERIAL | FALE CONOSCO

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em março: 1.258.407 visitantes, 2.988.224 visitas, 8.590.108 pageviews.


Principal

Resenhas

Seções e Colunas

Temas

Bandas mais acessadas

NOME
1Iron Maiden
2Guns N' Roses
3Metallica
4Black Sabbath
5Megadeth
6Ozzy Osbourne
7Kiss
8Led Zeppelin
9Slayer
10AC/DC
11Angra
12Sepultura
13Dream Theater
14Judas Priest
15Van Halen

Lista completa de bandas e artistas mais acessados na história do site

Matérias mais lidas