Aerosmith: "Walk This Way" surgiu enquanto esperavam cocaína

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Nacho Belgrande, Fonte: Playa Del Nacho
Enviar correções  |  Comentários  | 

A mente ociosa é a oficina do demônio. Exceto para STEVEN TYLER e seus colegas do AEROSMITH, que, no começo de 1975, enquanto esperavam por uma entrega tamanho família de cocaína, usaram seu tempo sabiamente, bolando uma música que desencadearia uma revolução no rap e no rock e abriria o hip-hop para as massas: “Walk This Way”, a colaboração deles com o grupo do bairro do Queens [NYC] RUN DMC. “Estávamos todos esperando por uma baita encomenda de cocaína”, recorda o frontman. “JOE PERRY estava no palco e eu subi no palco e comecei uma jam com ele. Quem sabia que daquela Jam com Joe sairia algo tão grande e o que causaria?”

Aerosmith: Tyler demonstra mágoa com banda em sua autobiografiaRoger Moreira: chamando Pitty de "imbecil" via rede social

Na edição dessa semana da publicação inglesa NME que comemora os 40 anos do hip-hop, perguntaram a Tyler sobre mais detalhes da composição de um dos maiores hinos do crossover musical.

Imagem
“A música começou na passagem de som no HRC em Honolulu. Foi uma coisa bem rítmica. Nosso baterista JOEY KRAMER tocava com uma banda de funk, e sempre estava puxando coisas do JAMES BROWN. Ele que contribuía com os lances de funk. E Joe pegou em cima e isso pariu o lick de ‘Walk This Way’. A levada meio que se debandou por si própria pro rap. Aquilo me deixou meio puto no começo, por eles não estarem seguindo a letra, e sim o ritmo. Mas eu improvisava, e escrevia a letra depois. Eu a escrevi na parede do corredor. Era tão galgada em ritmo que eu não tinha uma linha melódica para seguir, então era mais tipo [cantando] ‘backstreet lover, going under cover’. Eu não conhecia muito hip-hop na época. Eu me lembro de que você recebia umas fitas cassete dos DJs, caras bons, a maioria do centro da cidade. Eu adoraria dizer, ‘eu sabia o que era rap, com certeza’. Mas é mentira. Se eu sou fã de rap agora? FROM THE WINDOOOOOOW TO THE WALL, TILL THE SWEAT DRIPS DOWN MY BALLS! É do caralho.”

“Aqueles filhos da puta do RUN DMC, nenhum deles queria gravar essa música no começo. Eles não gostavam dela. Mas curtiram o ritmo dela. RICK RUBIN me ligou e disse, ‘Você faria um dueto com eles?’ Simples assim. Eu acho que a genialidade aqui está na paixão deles por querer fazê-lo. No estúdio [o Record Plant de NYC]. Quando gravamos, alguns dos Beastie Boys estavam lá também, e eu me lembro de como eles se divertiam recitando aquela letra. Eu pensei, ‘Porra, eu nunca me diverti tanto assim com nossas paradas!’ Na verdade eu perdi a letra no táxi do hotel pro estúdio. Eu deixei uma bolsa no banco de trás do carro. Eu não tinha papel nenhum no estúdio, então eu pensei, ‘foda-se’ e a escrevi na parede do estúdio.”

Imagem

“Fico honrado demais por isso ter impulsionado as bandas pra fundirem o rap com o rock. Se não fosse o caso, então não estaríamos aqui hoje. Eu sempre tive muito orgulho do AEROSMITH, do fato de podermos fazer ‘Dream On’ e ‘Train Kept A-Rollin’ e ‘I Don’t Want To Miss A Thing’. Tínhamos essa diversidade, parte do que nos manteve vivos todos esses anos. Não somos só de um gênero, o hard rock. Se eu voltaria ao hip-hop? Tenho certeza que poderia, mas no momento estou bem ocupado com o Aerosmith.”

Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Aerosmith
Steven Tyler demonstra mágoa com banda em sua autobiografia

Bastille: cover para "I Don't Want To Miss A Thing", do AerosmithAlta Fidelidade: Aerosmith ou Stones... Quem é melhor ao vivo?Todas as matérias e notícias sobre "Aerosmith"

Aerosmith
Vidro de câmera quebra com grito gravado de Tyler

Aerosmith
Joe Perry desabafa sobre Steven Tyler

Aerosmith
Joe Perry derrubou Steven Tyler do palco por vingança?

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 02 de março de 2017

Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Aerosmith"Todas as matérias sobre "Run Dmc"

Roger Moreira
Chamando Pitty de "imbecil" via rede social

AC/DC
A definição de Bon Scott por Brian Johnson

Musical Box
A História da Guitarra, Parte 1: do alaúde ao violão

Baixista Magnus Rosén quase morre durante vôo rumo à América do SulHaja pente: os músicos mais cabeludos e barbudos do RockPorrada: os 5 melhores temas de entrada dos lutadoresEvanescence: Biel "pediu" estupro de Amy Lee em tweet antigoHeavy Metal: site elege as dez melhores bandas do BrasilRock in Rio 1985: Globo entrevista "Brian Dickinson"

Sobre Nacho Belgrande

Nacho Belgrande foi desde 2004 um dos colaboradores mais lidos do Whiplash.Net. Faleceu no dia 2 de novembro de 2016, vítima de um infarte fulminante. Era extremamente reservado e poucos o conheciam pessoalmente. Estes poucos invariavelmente comentam o quanto era uma pessoa encantadora, ao contrário da persona irascível que encarnou na Internet para irritar tantos mas divertir tantos mais. Por este motivo muitos nunca acreditarão em sua morte. Ele ficaria feliz em saber que até sua morte foi motivo de discórdia e teorias conspiratórias. Mandou bem até o final, Nacho! Valeu! :-)

Mais matérias de Nacho Belgrande no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online