Andreas Kisser: 1º brasileiro no muro da fama do Cavern Club

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Alexandre Caetano, Fonte: Brave Words & Bloody Knuckles, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 26/01/14. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

Em 7 de fevereiro de 1964, os BEATLES chegaram no aeroporto John F. Kennedy, Nova York, saudados por dezenas de fãs gritando, desmaiando, que correram ao portão para conseguir um olhar de relance de John Lennon, Paul McCartney, George Harrison e Ringo Starr, assim que eles dessem os primeiros passos em solo americano. Duas noites depois, no domingo, 74 milhões de expectadores nos EUA e outros milhões no Canadá sintonizaram a CBS para assistir aos BEATLES fazendo sua estreia no programa 'The Ed Sullivan Show'. Nesta apresentação, que foi um divisor de águas na cultura americana e um dos eventos mais vistos em todos os tempos na TV mundial, os BEATLES tocaram cinco músicas transmitidas ao vivo. A Beatlemania, já no auge, fervilhava no Reino Unido, e foi desencadeada com fervor pela América e por todo o mundo. A invasão britânica começava.

Rockers: dez músicos que os fãs gostariam de ver de voltaDonald Trump: a reação de roqueiros brasileiros com a vitória

Imagem

Para celebrar os 50 anos deste evento histórico, a BraveWords falou com o fanático confesso dos BEATLES e lenda do SEPULTURA, Andreas Kisser, sobre seu amor pelo quarteto. Claro, longe de 'andar pelas ruas sujas com ódio em minha mente' [n. frase da música Inner Self, do Sepultura], o reverenciado guitarrista já vez várias jams no expressivo tributo brasileiro à banda, CLUBE BIG BEATLES.

Imagem

Sem dúvida os BEATLES têm raízes profundas no rock n' roll e assim como o gosto musical deles aumentou com o tempo, o material da banda passou a fazer mais sentido - principalmente no fim dos anos 60 - em termos de composição e arranjo, junto com as táticas de produção marcantes de George Martin.

É difícil convencer um metaleiro de que os BEATLES são muito, muito mais profundos do que 'I Want To Hold Your Hand' e 'She Loves You'.

"Como você disse, eu era bem radical no começo, só ouvia metal, essas coisas. Os BEATLES e os ROLLING STONES estavam meio que bem distantes de mim. Mas minha mãe tinha os álbuns antigos dos BEATLES, BEE GEES e muita coisa de samba, e meu pai costumava ouvir muito country, música brasileira e esse tipo de coisa. Quando eu era bem jovem eu ouvia muito o Help (1965), e esse é o álbum que eu mais conheço, porque era o mais fácil de tocar. Era fácil de cantar também, então era bem pegajoso. Mas daí eu comecei a ouvir mais BEATLES e respeitá-los. Agora eu tenho tudo no meu iPod, e é um privilégio na minha idade ver tudo que eles lançaram, todo o material raro e demos. O Anthologies é incrível. Você vê o desenvolvimento da música e o quanto eles foram grandes. E como eles tinham um pensamento rápido e bonito sobre as coisas. Os BEATLES são tudo e eles fizeram tudo. Como 'Helter Skelter', de 1968, é um dos primeiros riffs de heavy metal já feito, pelo menos na minha opinião. Embora eu adore a versão do MÖTLEY CRÜE. Mas ir para Liverpool com essa banda brasileira e tocar como fizemos no lugar histórico onde John Lennon costumava estudar, onde Ringo Starr tocou pela primeira vez com eles. Então os caras do Clube Big Beatles sugeriram meu nome para o muro da fama lá e de alguma forma eles aceitaram. O dono do Cavern Club nem sabia o que era Sepultura. Ele começou a perguntar para as pessoas próximas sobre nós e eles pensaram que o cara era louco, que ele não conhecia a gente. Então foi ótimo ser reconhecido por tudo o que eu tenho feito com o SEPULTURA e tudo mais, porque no Brasil eu toco e faço jam com as mais diversas pessoas, do country ao blues, do pop rock ao clássico. É essa diversidade que os BEATLES tinham e é o que eu tento fazer. É uma grande honra porque eu sou o primeiro brasileiro a ter o nome no muro do Cavern Club. É algo que você nunca sonharia, é inacreditável. Tem toda uma vibração no Cavern Club. Eu toquei em tantos palcos diferentes pelo mundo, mas naquele lugarzinho pequeno eu estava nervoso de verdade."

Imagem

Qual a música dos BEATLES que mais te desperta?

"Acho que The White Album (1968) é insano, a maneira como eles abordaram. Eles não saíram mais em turnê durante aqueles dias, então estavam livres para fazer qualquer coisa. O material de George Harrison é ótimo - 'While My Guitar Gently Weeps' e 'Something' - tão simples, mas tão lindo. Você ouve aquelas notas e pensa que eles são simples, mas não, e pensa; ele é virtuoso? Sim, ele é um virtuoso. Ele tem a capacidade de colocar a nota certa no lugar certo."

E é triste que ele tenha sido ofuscado pelo John Lennon e Paul McCartney. E não por acaso ele era chamado de "o Beatle quieto". Mas quando ele morreu, o mundo inteiro lamentou a perda.

"Bom, é bem difícil competir com Lennon e McCartney, eu adoro o trabalho solo de Paul McCartney também, principalmente Band On The Run (1973), que eu acho um álbum maravilhoso."

Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube
Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube
Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Rockers
Dez músicos que os fãs gostariam de ver de volta

Max Cavalera: trabalhando em dois novos discos simultaneamenteTodas as matérias e notícias sobre "Sepultura"

Max Cavalera
Falando sobre Sepultura e Soulfly em entrevista

Machine Head
Ouça covers de Sepultura, Pantera, Iron & Metallica

Fotos de Infância
Os membros do Sepultura muito antes da fama

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Andreas Kisser"Todas as matérias sobre "Sepultura"Todas as matérias sobre "Beatles"

Donald Trump
A reação de roqueiros brasileiros com a vitória

Humor
Headbangers adoram o Deus Metal, que adora Hansi Kürsch!

Guns N' Roses
As melhores músicas segundo a Ultimate Classic Rock

Iron Maiden: uma curiosa versão de "Aces High" em portuguêsLauren Harris: Como é ser filha do baixista do Iron MaidenSeparados no nascimento: Tuomas Holopainen e Johnny DeppTom Morello: Pagando de rockstar contra pequeno restaurante em SeattleManowar: vídeo antigo mostra quebra de recorde mundialHelloween: "temos boa relação com Kai Hansen"

Sobre Alexandre Caetano

Alexandre Caetano, tem 31 anos, mais da metade dedicados ao Rock. Mora em São Paulo, é formado em ciências sociais, mas nas horas vagas arruma um tempinho para escrever e traduzir textos, para divulgar material de suas bandas favoritas!

Mais matérias de Alexandre Caetano no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online