Maximum Rocknroll: entrevista com a editora Grace Ambrose

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Rafael Fioravanti, Fonte: Bolha Musical
Enviar correções  |  Comentários  | 

A Maximum Rocknroll (abreviada para MRR) é uma revista mensal fundada em 1982, na cidade de San Francisco, nos Estados Unidos. Seu fundador Tim Yohannan sempre se dedicou à ética DIY do movimento e sempre fez questão de deixá-la visivelmente impressa nas páginas da revista. A Maximum Rocknroll é conhecida por focar unicamente no cenário independente, com foco na música punk e hardcore. Apesar da morte de Tim Yohannan em abril de 1998, a Maximum Rocknroll continua na ativa através do trabalho de seus voluntários, amplamente conhecidos como "shitworkers". A vontade do pessoal do Bolha Musical é de trazer ainda mais detalhes dessa revista para os fãs brasileiros, e, para isso, o jornalista musical Rafael Fioravanti foi conversar com Grace Ambrose, a atual editora da Maximum Rocknroll.

Lars Ulrich: "Quem são essas outras bandas para nos criticarem?"Avril Lavigne: Aprenda com Rihanna como fazer um meet & greet

Bolha Musical: Grace, como você faz a seleção de notícias que serão publicadas na Maximum Rocknroll?

Grace Ambrose: Todo mês a gente tenta equilibrar o conteúdo. Isso significa que a gente quer incluir bandas de diferentes países e gêneros, e, inclusive, bandas que representam identidades raciais e de gênero. Eu sempre digo que se existir uma edição da Maximum Rocknroll onde eu seja fã de todas as bandas, essa edição muito provavelmente será uma edição falida! É importante pra caramba que a MRR represente variadas facetas do que significa ser punk, e não apenas o que é relevante na minha vida. Se a gente puder, a gente gosta de ajudar bandas publicando material em períodos de lançamento de novo disco ou turnê, mas isso não é uma exigência.

Imagem

Bolha Musical: Qual a circulação da Maximum Rocknroll em números nos dias de hoje?

Grace Ambrose: A gente prensa 4,000 cópias da revista. É claro que o número caiu em relação ao período clássico da revista, mas vale dizer também que o número aumentou em relação ao ano anterior. A gente também vende bastante cópias digitais (mas o número eu não tenho em mãos agora).

Bolha Musical: Qual o tamanho da equipe da Maximum Rocknroll atualmente (com todas as pessoas incluídas)?

Grace Ambrose: Existem, ao menos, 100 pessoas envolvidas na produção de cada edição da revista. Alguns deles (críticos, colunistas, revisores, distribuidores) ajudam todos os meses; outros contribuem apenas uma ou duas vezes ao ano. No decorrer do ano, pelo menos 700 punks diferentes de todo o mundo estão envolvidos na produção da Maximum Rocknroll.

Bolha Musical: Grace, fale para mim: o que você sabe a respeito da cena punk/hardcore aqui no Brasil?

Grace Ambrose: Eu tenho vários penpals no Brasil que me deixam a par das coisas que estão ocorrendo no país. E claro, eu gosto das bandas clássicas, como Olho Seco, Cólera, Mercenárias, Inocentes, e Ratos de Porão. Eu acho que o Mateus, do Nada Nada, fez um excelente trabalho ao disponibilizar o velho punk Brasileiro para um número maior de pessoas. Eu compraria qualquer coisa que ele lançasse.

Para continuar lendo esta entrevista, acesse www.bolhamusical.com

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Entrevistas

Lars Ulrich
"Quem são essas outras bandas para nos criticarem?"

Avril Lavigne
Aprenda com Rihanna como fazer um meet & greet

Aerosmith
Slash conta como o disco "Rocks" mudou a sua vida

Preconceito: dificuldades de ser roqueiro em cidade do interiorGuns N' Roses: Dj Ashba imitando Slash em fotoRock In Rio: "O cara que quer ver o Metallica ou o Iron Maiden ama repetição"Iron Maiden: Final de Copa do Mundo retratada em capa de álbum?Mustaine: Vivemos em uma geração que está pegando as musicas de graça na InternetYngwie Malmsteen: guitarra se arrebenta no chão e faz um ruído doloroso

Sobre Rafael Fioravanti

Rafael Fioravanti (também conhecido como Paquela) é jornalista graduado pelo Mackenzie, escritor e músico. Seus trabalhos como jornalista são mais voltados à música e à literatura. Como escritor, Rafael é autor do livro "Raízes da Cosmovisão". Já como músico, ele tem um projeto-solo chamado "Paquela" (onde ele compõe e toca todos os instrumentos) e é baixista/vocalista da banda Frente Niilista. Atualmente, o jornalista reside na cidade de SP.

Mais matérias de Rafael Fioravanti no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em agosto: 1.237.477 visitantes, 2.825.604 visitas, 7.034.755 pageviews.

Usuários online