Aerosmith: a história por trás do clássico "Sweet Emotion"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Paulo Giovanni G. Melo, Fonte: Gibson.com, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Se você está em uma banda com Steven Tyler e Joe Perry, você está praticamente vivendo na sombra. Durante os primeiros anos do AEROSMITH, nos anos setenta, quase todas as canções foram escritas pela dupla. Mas assim como os BEATLES, onde George Harrison estava à frente de algumas jóias ocasionais nos álbuns, os outros três membros da banda também não ficavam para trás. O baterista Joey Kramer levou os créditos da letra de "Pandora's Box" e o guitarrista Brad Whitford é co-responsável por duas das maiores músicas do AEROSMITH: "Last child" e "Nobody's fault" do clássico álbum "Rocks". Quando o grupo estava a gravar o que viria a ser o disco "Toys in the Attic", parece que o baixista Tom Hamilton estava a mil. Ele é creditado em "Uncle Salty" e no clássico "Sweet Emotion".

Aerosmith: Tyler demonstra mágoa com banda em sua autobiografiaZakk Wylde: nada truezão logo que entrou na banda de Ozzy

Imagem
Na autobiografia oficial do AEROSMITH, Walk This Way, Hamilton fala sobre como a famosa introdução de "Sweet Emotion" tomou forma: "tive a idéia deste riff de baixo no colégio. Trouxe ele para a banda quando estávamos fazendo o [álbum] 'Get Your Wings' e vivendo em Cleveland. Eu o mostrei a Steven, mas o riff era um pouco diferente e de cara ele não gostou. Então o riff ficou guardado para o 'Toys', e tivemos um dia extra em que Jack [Douglas, produtor de 'Toys in the Attic'] chamou de 'Dia de Jam', onde ele nos questionou: 'alguém tem algum riff escondido aí?'"

Além da introdução de baixo de Hamilton, um dos destaques de "Sweet Emotion" é Joe Perry usando uma talk box no começo da música. Perry canta as palavras "Sweet Emotion" enquanto toca sua guitarra em uma versão muito antiga de uma talk box, chamada "The Bag". Em uma entrevista para a Ultimate-Guitar, Perry falou sobre alguns dos equipamentos que ele e Brad Whitford usavam em estúdio na época: "naquele tempo eu realmente não tinha uma coleção de guitarras [...] Eu sei que para os dois primeiros discos tive uma Les Paul Junior. E usei um amplificador Marshall e um Ampeg - que era equivalente a um Marshall 50-watt - e era basicamente isso. Brad era muito rigoroso sobre o uso de Marshalls naquela época e eu sei que ele usou definitivamente uma Les Paul."

Tom disse que o riff entre os versos foram em parte inspirados no álbum "Rough and Ready" de Jeff Beck, como explicou em uma entrevista para o Buzz Worthy da MTV: "vivíamos juntos em um apartamento e tínhamos um aparelho de som que ouvíamos música juntos e o 'Rough and Ready' estava lá. Somos todos fãs de Jeff Beck e ele estava atravessando uma nova fase. Queríamos aproveitar aquilo e eu estava apenas atento ao baixo, a como era divertido e cheio de energia. Não tentei aprender nada, mas várias ideias vieram à tona. Em 'Sweet Emotion' tem a parte da introdução, em seguida versos, então a parte rápida, então as partes centrais - estas últimas foram as partes inspiradas no 'Rough and Ready'."

Existem algumas versões diferentes de "Sweet Emotion". Em primeiro lugar, a versão do álbum, que é a original. Mas se você ouvir alguma estação de rádio norte-americana, as chances são de que você muitas vezes irá se deparar com a versão que foi incluída na compilação "Greatest Hits" de 1980 do AEROSMITH. Esta versão ignora o baixo e o talk box da introdução, assim como o solo final. Em 1991, "Sweet Emotion" foi relançada para promover o box-set "Pandora's Box" da banda. A música foi remixada por David Thoener, resultando em uma bateria mais alta. A versão remixada também foi incluída na trilha sonora do filme Armageddon. A versão de "Sweet Emotion" do jogo "Guitar Hero: Aerosmith" é diferenciada por ter um final de verdade, em vez do fade-out que as outras versões têm. É o mesmo final que o AEROSMITH usa quando a toca ao vivo.

O solo de guitarra monstro de Joe Perry, que também serve como fim da versão original da música, é o mais provável resultado da improvisação do guitarrista. Quando o AEROSMITH toca ao vivo, Perry tende a tocar de forma diferente a cada vez, ao mesmo tempo em que vai na direção do final do solo.

Neste raro vídeo promocional de "Sweet Emotion" de 1975, Perry e Whitford estão tocando com guitarras Gibson Firebird:

Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Aerosmith
Steven Tyler demonstra mágoa com banda em sua autobiografia

Bastille: cover para "I Don't Want To Miss A Thing", do AerosmithAlta Fidelidade: Aerosmith ou Stones... Quem é melhor ao vivo?Todas as matérias e notícias sobre "Aerosmith"

Steven Tyler
Vocalista admite em livro que já queimou a rosca

Aerosmith
Steven Tyler conta origem do lenço no microfone

Aerosmith
Steve Tyler errando "Crazy" em performance de rua

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção CuriosidadesTodas as matérias sobre "Aerosmith"

Zakk Wylde
Nada truezão logo que entrou na banda de Ozzy

Megadeth
Recadinho provocante da vocal do Huntress

Dave Mustaine
A emocionante carta de despedida ao amigo Nick Menza

Rock Nacional: Os 15 melhores riffs de guitarraAngela Gossow: Não existe deus! Simplesmente lide com isso!Metallica: Jason explica o baixo apagado de And Justice For AllRegis Tadeu: Boa viagem de volta ao seu planeta, David BowieBruce Dickinson: não sabia que "Tears..." era sobre Robin WilliamSlayer: Araya fala sobre fé e sua relação com o cristianismo

Sobre Paulo Giovanni G. Melo

Mineiro de Belo Horizonte. Fã de Hard Rock e Heavy Metal, especialmente a partir dos anos 80, não dispensa um disco ao vivo destes estilos. Entre várias de suas bandas preferidas estão Ratt, Aerosmith, Buckcherry, The Cult, Whitesnake, Whitecross, Guns N´ Roses e Motley Crue.

Mais matérias de Paulo Giovanni G. Melo no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online